Os filhos, as viagens e os sonhos adultos

37
10060
Os 50 de hoje são os 30 de ontem

É das viagens que guardamos algumas das melhores recordações das nossas vidas, por isso é tão bom pegar numa mala e ir para longe, seja para onde for, mas para longe, para um sítio que cheire e saiba a novo.

Durante muitos anos, praticamente desde que comecei a trabalhar, fiz unicamente férias de cidade. A primeira vez que fui para um resort na vida foi na lua-de-mel, em 2010. Antes disso, férias de praia só por uns dias, na Comporta. De resto, optava sempre por uma cidade, um País, uma road trip, ia variando.Nos últimos seis anos, tive a sorte de conhecer muitos sítios novos: Índia, Maldivas, Chicago, Salvador da Bahia, Cidade do Cabo, Joanesburgo, Praga, Bratislava, Budapeste, Viena, Berlim, Basileia, Florença, Pizza, Cinque Terre, Verona, Roma, Havana, Varadero, Samaná. Ainda repeti três vezes Nova Iorque, voltei a Washington, a Filadélfia, ao Rio de Janeiro, a Paris, a Londres, a Madrid, várias vezes.

Uma das perspectivas que se perdem com a chegada dos filhos (e eu tenho dois) é a de voltar a fazer grandes viagens, pelo menos nos próximos anos. Já sei que antes dos 42 ou 43 anos não vou pegar no carro no México e descer até à Patagónia. Não vou cruzar o Japão. Não percorrerei os balcãs e o leste da Europa numa road trip de mochila às costas.

No entanto, quero acreditar que os cinquentas de hoje são os trintas de há duas ou três décadas. E quando chegar aos 50 vou ter um filho com 20 e outro com 14, mais do que prontos a meter-se nestas aventuras comigo.

Há quem veja o crescimento dos filhos como sinal do nosso próprio envelhecimento. Não acho isso. Não sou daqueles pais que adoram bebés queridos e fofinhos e que ficam com pena quando passam a ser crianças. Sou o contrário. Acho muito mais desafiante e interessante esta fase, a das primeiras leituras, a dos ensinamentos que eles não esquecem, a da afirmação e definição dos valores.

Há tempos, por exemplo, enquanto acompanhava o meu filho a fazer um trabalho sobre a Beira Litoral, dei comigo a falar-lhe de Zeca Afonso, a mostrar-lhe um vídeo no Youtube de “Traz Outro Amigo Também”, a contar-lhe a história e a importância de “Grândola, Vila Morena”, a explicar-lhe o que é uma revolução e o que foi o 25 de Abril. No dia seguinte, quando o levava à escola, pediu-me para lhe contar outra vez a história do 25 de Abril. Quando o fui buscar contou-me, entusiasmado, que tinha falado aos colegas da revolução e dos senhores que festejaram na rua quando puderam andar em liberdade.

Depois, ouve-se isto, vive-se isto, e esquecem-se as viagens.

Há muito mundo para ver ao lado de um filho.

37 Comentários

  1. Arrumadinho, mesmo para quem tem 1 filho ja viajou bastante. Disse:"Nos últimos anos, no entanto, tenho ido a poucos sítios novos. Conheci a Índia, as Maldivas, Chicago, Salvador da Bahia, a Cidade do Cabo e Joanesburgo. E acho que foi só. De resto, repeti três vezes Nova Iorque, repeti Washington, repeti Filadélfia, repeti o Rio de Janeiro, repeti Paris, repeti Londres, repeti Madrid. " . Em 2 anos e pouco,6 sitios novos e mais umas repetições nao me parece nada mau, pelo contrario, é óptimo. Mais uma criança não muda nada. Vá, menos umas repetições aos USA, na loucura.

    Parabéns pelo baby.

    J.B

  2. Ja' vi que tem ai' uma lacuna muito grande… Mo,cambique ;). Se um dia quiserem vir conhecer, espreitem o nosso site, http://www.corallodge1541.com. Pode ter um misto de viagem cultural e puro relax, visto ser um parai'so ainda muito pouco explorado, mas situado mesmo em frente `a ilha hist'orica ilha de Mo,cambique. Posso assegurar-lhe que e' uma viagem Ma'gica.

    Aqui fica o meu contacto pessoal para o caso de algue'm necessitar de dicas, sugestoes, ou quem sabe um dia alguma ajuda ou um simples cafe' na praia de Mia Couco.. A varanda de Frangipani.

    saramacedo78@hotmail.com

    Pe,co desculpas pelas calinadas na caligrafia, mas estou a escrever num teclado holandes e nao me entendo com isto.

    Boas Viagens

    Sara

  3. Bem, o meu filho mais novo foi a Trancoso/arraial d'ajuda com 7 meses e a Pipa/recife/Olinda/Porto de Galinhas com 1 ano… Aos 2 esteve em salvador e praia do forte. Aos 3 foi à Polónia… Aos 4 a Paris, aos 6 a Roma e Madrid… Com estas idades só nao o levamos para destinos potencialmente perigosos!
    O Nordeste (ê imenso) é muito bonito com praias maravilhosas e um povo super hospitaleiro. Nesta época costuma estar calor e realmente chove, mas normalmente é de noite! Durante o dia podem apanhar aguaceiros, até fortes, mas tão depressa chove como logo a seguir o sol queima a serio!

  4. Pessoalmente julgo que uma coisa não invalida de todo a outra! Os meus pais foram pais muito cedo, mas sempre adoraram fazer grandes viagens, e desde sempre que eu e o meu irmão fomos habituados a ir com eles. O meu irmão tinha 4 anos quando foi à Amazónia, e garanto-te que se portou bem melhor do que eu, que tinha 14! Passou todo o tempo maravilhado com o facto de haver macaquinhos e araras por todo o lado, enquanto eu só gritava que havia aranhas e mosquitos! 😉 É tudo uma questão de educação e de hábito: se educares os teus filhos no sentido de eles se habituarem a viajar desde cedo, então eles vão fazê-lo sem qualquer estranheza. E garanto-te que ganhas muito mais em levá-los, porque para eles também é uma experiência e tanto 😉 E isto dito por uma pessoa que viajou muito enquanto criança e que agora (aos 24 anos!) continua a adorar viajar com os pais malucos 😉

  5. Boas.
    Sou um leitor bastante assiduo mas raramente faço comentários.
    Hoje apeteceu-me, talvez porque é um assunto que me toca. Tenho 32 anos, acabei de casar, e o relógio biológico das mulheres (tb tem 32) não pára… apesar de não existir pressão nós não somos estúpidos! 🙂
    Acontece que adoro viajar. Sobretudo turismo de cidade tb! Eu mais de 2 dias ao sol tou farto! lol.
    Mas confesso que ainda estou na fase que não quero abdicar do meu espaço e da minha liberdade. Egoismo? Talvez… E muito honestamente não sei se algum dia será diferente! Para mim "travel is the only thing you buy that makes you richer" 🙂
    Mas haverá mal assim tão grande em não querer ter filhos? Serei assim tão esquisito por isso… Por vezes fazem-me sentir anormal…
    Abraço 😉
    Bruno Magalhães

  6. Boa tarde Arrumadinho. Costumo passar por aqui mas só hoje vou comentar e isto porque, em miuda, como o meu pai era militar conheci e vivi nas "colónias" e tive uma infancia maravilhosa. Já adolescente também viajei bastante, os meus pais sempre acharam que "ter mundo" era mais importante que muita das coisas que aprendemos na escola. Hoje, com 50 anos, 4 filhos entre os 10 e os 26 continuo a viajar com e sem eles. Arrastei-os para museus (ganda seca mãe), para igrejas, falei sempre muito com eles de cultura e do maravilhoso que é o mundo e como somos todos tão diferentes. o meu momento de glória aconteceu quando uma das minhas filhas, na altura com 5 anos, entrou na casa de uma amiga, olhou para um quadro e disse: isto é um Picasso não é??? hoje são cidadãos do mundo, juntam dinheiro, com o programa Erasmus têm sempre cama em todo lado e compram bilhetes de avião em leilões das low cost. Não podia estar mais orgulhosa do legado que lhes deixei, ver o mundo e respeitar todas as culturas e religiões. Acredito que, com a sua paixão por viagens, assim acontecerá com os seus, felicidades e boas viagens

  7. Boas.
    Sou um leitor bastante assiduo mas raramente faço comentários.
    hoje apeteceu-me, talvez porque é um assunto que me toca. Tenho 32 anos, acabei de casar, e o relógio biológico das mulheres (tb tem 32) não pára… apesar de não existir pressão nós não somos estúpidos! 🙂
    Acontece que adoro viajar e confesso que ainda estou na fase que não quero abdicar do meu espaço e da minha liberdade. Egoismo? Talvez…
    Mas haverá mal assim tão grande em não querer ter filhos? Serei assim tão esquisito por isso… ~Por vezes fazem-me sentir anormal…
    abraço 😉

  8. Bom dia Arrumadinho,
    Sou leitora assídua, embora não tenha o hábito de comentar. Mas não resisto a dizer que adorei o post.
    Tive a sorte de crescer com pais que me (nos) quiseram (e puderam) mostrar o Mundo, e hoje (a caminho do 2º filho) é das coisas que quero muito oferecer aos meus filhos. Claro que é logística e financeiramente mais complicado. Claro que não podem ser road trips com eles muito pequeninos (e eu adoro road trips!), mas se há coisa que as pessoas não esquecem são as viagens que fazem. E o quanto estas as enriquecem.
    Mais uma vez, obrigada pelo post.

  9. Sem dúvida que os filhos condicionam as viagens mas eles valem mais que tudo o resto do mundo. Se há possibilidade de os levar sem dúvida que eles ganham conhecimentos e memórias que nunca esquecerão o resto da vida. Levar crianças antes dos 6 anos não concordo pois não se lembrarão de nada, sei por experiência própria, minha ( sempre viajei com os meus pais) e da minha filha, mas depois já apreciam e gostam. E ter um filho não é o mesmo que ter dois, quer em termos de orçamento quer em termos de logistica. Eu tenho dois e antes fazia 2 viagens ao estrangeiro por ano e escapadinhas todos os fins de semana. Quando tive a primeira mantive todas as escapadinhas e 1 viagem ao estrangeiro por ano mas, desde que tive o 2º filho, as viagens ao estrangeiro passaram a ser de 2 em 2 anos e as escapadinhas só quando há possibilidade, sujeita já a responsabilidades escolares! Mas assim que os meus miúdos estiverem mais crescidos espero levá-los para todo o lado.Por isso aproveitem a viagem e … Boas férias!

  10. Olá Ricardo!
    Um filho (que seja do nosso sangue ou não) traz-nos a um mundo Novo. Todos os dias aprendemos com eles e eles connosco. Despertam o lado de partilha, de conquista, de abrir horizontes. O Plantar de uma semente, que não sabemos qual é o fruto ou a cor da flor. Só mais tarde… Adoro! Obrigada pela partilha e façam boa viagem

  11. Fantástico texto. Sou leitora assídua do teu blog. Eu tenho 2 filhos e hoje percebo exactamente o que descreves. Eu adoro, ADORO viajar e fazia 2 a 3 viagens por ano (e mais umas escapadinhas em Portugal), antes de ter filhos. Entretanto, eles foram aparecendo e o orçamento decresce significativamente. Faz parte. Mas algumas vezes dá uma nostalgia quando leio sobre as aventuras de outros (tuas incluídas) e adoraria poder descobrir novamente outros mundos…
    Hoje com 2 filhotes atrás, consigo 1 viagem por ano e vamos uns dias valentes de praia para sul de espanha (mais barato que Algarve, ah pois é…) e já sou uma sortuda, pois há muitos pais que não podem dar isso aos filhos.
    Tenho pena de não viajar mais como o fazia, mas se tiver de escolher entre filhotes e viagens… escolho, sem hesitações, FILHOS pois educá-los, conhecê-los e conviver com eles é uma viagem linda… a melhor da nossa vida, diria. Talvez um dia, as coisas melhorem e consiga ter os filhos e as viagens…. há que ter esperança. Por falar em esperança, não deixem de ir à MANIF! Beijinhos Claudia

  12. Só penso ter filhos daqui a uns 2 ou 3 anos, mas confesso que é uma das coisas que me faz confusão e ainda não consigo compreender muito bem.
    Adoro viajar e viajo sempre que posso, várias vezes durante o ano, então estou aos poucos a ler tudo o que encontro sobre viajar com filhos, e cada vez mais me parece que não é assim tão complicado!

  13. Vais para onde eu gostaria de ir e fugir deste frio. Sou nordestina, de João Pessoa – Paraíba, mas vivo no Porto e por isso consigo perceber o teu entusiasmo! Ahhh!!! As previsões de chuva no nordeste só duram 2 horas por dia, se diz que terás 32 graus, de certeza que terás muito sol, muito calor e muito boa comida. Diverte-te!!! Vai a Natal, Pernambuco ( Porto de Galinhas) porque vale muito a pena conhecer esse lado do Brasil.

    Beijos para ti e para a Pipoca, boas férias!!! De certeza que terás muito para escrever depois que conheceres o nordeste!

  14. Espero que gostem bastante do nordeste brasileiro. É uma região muito rica em cultura, com belíssimas praias de águas mornas e piscinas naturais, com um povo muito hospitaleiro, e segundo pesquisas recentes, é a região mais feliz do Brasil.

    É claro que existe pobreza, mas onde não existe? Vivemos num mundo de desigualdades, e isso existe em todo lugar. Tive o prazer de conhecer Portugal no mês passado e vi pessoas dormindo numa estação de metrô, porque provavelmente não têm um lar pra morar devido a crise em que se encontra o país, onde muitos perderam seus empregos, mas isso não torna o lugar ruim, feio ou desagradável, muito pelo contrário, amei o seu país!!!!

    Ah, na minha cidade não há feirinhas na orla, nem lojas para atrair turistas, mas mesmo que houvesse, isso é uma coisa muito normal em cidades turísticas, concorda?
    Garanto que serão muito bem recebidos aqui no nordeste brasileiro, portanto, boa viagem!!!!

  15. As viagens são fantásticas, mas a partilha com os filhos do que conhecemos e sabemos é ainda melhor. Levar os filhos em viagem às vezes dá trabalho mas eles desfrutam imenso de estarmos todos a passear num ambiente relaxado e adaptam-se muito bem.

  16. Olá, sou tripulante e tenho estado pelo nordeste brasileiro. A chuva no geral é de noite e grande parte das vezes, apesar da previsão, nem sequer ocorre. Tem estado um calor de morte, mas sabe bem!
    Particularmente não gosto do Nordeste, é muito pobre e resume-se a praias medianas, com uma orla de feirinhas e lojas ali plantadas para os turistas, no entanto se já conheces o Rio, acho que também deves conhecer um outro lado brasileiro e assim criares a ua opinião. Boa viagem, quem sabe faço o vosso voo!

  17. O nordeste é lindo! Quer dizer, só conheço Fortaleza, não cheguei a conhecer outros estados, mas achei maravilhoso. Não sei para onde vão mas se estiverem no Ceará não deixem de ir a Jericoacoara! Boa viagem 🙂

  18. Ohhhh, essas palavras fizeram-me sonhar. Tenho pena que os meus pais nunca me tenham ensinado nada, para além da educação que me deram. Quando digo nada falo a nível cultural, coisas passadas através de gerações.
    Em Agosto também vou ter uma menina, a minha primeira filha e quero muito assistir ao desenvolvimento intelectual e cultural que lhe puder proporcionar.
    Estas pequenas histórias são uma boa motivação.

    beijinhos 🙂

  19. Olá!
    Em primeiro lugar gostaria de felicitá-lo pelo novo membro da família :)!
    Depois, já que o assunto é sobre viagens, gostaria que me desse uma pequena ajuda a responder ao questionário para a minha tese de mestrado que é sobre aeroportos e a experiência do consumidor.
    A todos os fãs, seguidores e leitores que também quiserem participar e ajudar, o meu sincero muito obrigada!

    Obrigada!
    Boa viagem e divirtam-se!

    https://qtrial.qualtrics.com/SE/?SID=SV_afarLXah3qo2pWR

  20. Fantástico!
    .
    Tenho essas mesmas recordações, não dos meus pais mas dos meu avô. É das melhores coisas que se podem guardar para sempre. Quero ser, ir e contar. Ter filhos, alguns, para dizer-lhes e falar-lhes que o mundo já foi, é, e com eles e por eles e através deles será.
    .
    Cumps. HBBH

  21. Fantástico!
    .
    Tenho essas mesmas recordações, não dos meus pais mas dos meu avô. É das melhores coisas que se podem guardar para sempre. Quero ser, ir e contar. Ter filhos, alguns, para dizer-lhes e falar-lhes que o mundo já foi, é, e com eles e por eles e através deles será.
    .
    Cumps. HBBH

  22. Gostei imenso deste post. Estou ainda longe de ter filhos mas essa é uma das questões que mais me "assombra" por ter esta vontade constante de viajar e viver noutros países. Como no momento, que estou a viver no nordeste brasileiro 🙂 Que zona vão visitar? Tenho a certeza que vão adorar! Estou cá desde Agosto e todos os dias os pequenos detalhes do dia-a-dia desta gente e das belezas imensas que aqui existem me fazem ficar apaixonada e a querer mais disto o resto da vida.

  23. Gostei imenso deste post. Estou ainda longe de ter filhos mas essa é uma das questões que mais me "assombra" por ter esta vontade constante de viajar e viver noutros países. Como no momento, que estou a viver no nordeste brasileiro 🙂 Que zona vão visitar? Tenho a certeza que vão adorar! Estou cá desde Agosto e todos os dias os pequenos detalhes do dia-a-dia desta gente e das belezas imensas que aqui existem me fazem ficar apaixonada e a querer mais disto o resto da vida.

  24. É verdade, estou sempre a dizer isso. A vida é muito mais divertida com filhos. É tão bom ensiná-los, e ver que fomos importantes. Que por nossa causa e do que lhes passamos, eles são uns seres humanos maravilhosos.
    E quando crescem então, não há nada mais divertido que viajar com eles, mostrar-lhes o mundo…
    Somos um e somos muitos, mas vimos todos do mesmo, e por isso entendemos-nos.

  25. É verdade, estou sempre a dizer isso. A vida é muito mais divertida com filhos. É tão bom ensiná-los, e ver que fomos importantes. Que por nossa causa e do que lhes passamos, eles são uns seres humanos maravilhosos.
    E quando crescem então, não há nada mais divertido que viajar com eles, mostrar-lhes o mundo…
    Somos um e somos muitos, mas vimos todos do mesmo, e por isso entendemos-nos.

  26. Exactamente Arrumadinho…há muito mundo a ver com os filhotes…eu agradeço muito aos meus pais por todos os países e cidades onde me levaram…graças a eles com vinte e poucos anos já tenho muitas recordações de sítios lindos xD

    Boa viagem para vocês e para mim xD não vou para tão longe mas este fim-de-semana também vou dar um giro =D

    (ocadernodeardnas.blogspot.pt)

DEIXE UMA RESPOSTA