Uma noite gloriosa

2
1811

Ontem foi um dia de verdadeiras vitórias, algumas das quais sinto muito como minhas, já que mereceram o meu contributo.

A entrega dos prémios Meios&Publicidade, que distingue os melhores do ano na área da comunicação, premiou a maior parte das publicações do grupo Cofina, onde trabalho, mas também outros meios onde já colaborei. Três deles merecem destaque:

1. A SÁBADO, revista da qual faço parte, foi eleita a melhor newsmagazine do ano. Esta vitória é especial para todas as pessoas que por lá trabalham, e que sabem como é que a revista é feita, o nível de exigência que é posto em cada texto, em cada abordagem, a forma minuciosa como todos os artigos são escritos, lidos, relidos, editados. Isto só acontece porque naquela redacção estão os melhores profissionais com que eu já trabalhei nos quase 17 anos de profissão que já tenho.

2. A CMTV, canal de televisão no qual colaboro, foi eleito o lançamento de media do ano. É um canal com apenas seis meses, que arrancou de forma difícil, que esbarrou contra imensas barreiras técnicas, que teve de ser criado de raiz, e que aprendeu a crescer com os meios humanos que estão ao dispor do jornal Correio da Manhã, o que nem sempre é fácil, já que escrever para a imprensa não é a mesma coisa que fazer televisão. O caminho ainda está a ser desbravado, as dificuldades ainda são diárias, os problemas também, as afinações idem, mas, em seis meses, muito já foi feito e conseguido. É um produto no qual acredito imenso, e que tenho a certeza que daqui a uns anos terá uma posição dominante em Portugal. Mas, até lá, baby steps, que é o que está a ser feito, e bem.

3. SP Televisão, a produtora que produziu o “Liberdade 21”, onde trabalhei, e que está a ser emitido de segunda a sexta na RTP2. Viveu durante anos na sombra da NBP/Plural, mas, com o tempo, tem sabido crescer e tornar-se num gigante da produção, igualando e superando a máquina da Plural que há pouco tempo parecia imbatível. Este prémio é um estímulo forte para todos os que lá trabalham, e também para a Plural, que terá de dar o litro para voltar a merecer o prémio.

Nos restantes prémios, fiquei muito feliz pela distinção do Jornal de Negócios como a melhor publicação económica, derrotando o Diário Económico. O Negócios, igualmente da Cofina, é o vizinho do lado da SÁBADO e parceiro no torneio de futebol MediaCup, o campeonato nacional de futebol de jornalistas, que foi vencido por nós — SÁBADO/Jornal de Negócios — em Junho deste ano. Uma vez mais, mérito de uma grande equipa, liderada por um grande director.

Estas distinções enchem-nos de orgulho até porque são resultado de uma votação de algumas das personalidades mais importantes e influentes da comunicação portuguesa. Podem consultar todos os vencedores aqui.

2 Comentários

  1. Olá Arrumadinho =)

    É a primeira vez que comento o blog, apesar de vir cá dar uma olhadela de vez em quando, nunca senti necessidade de comentar. No entanto houve uma frase aqui neste post que me deixou intrigada

    “e que sabem como é que a revista é feita, o nível de exigência que é posto em cada texto, em cada abordagem, a forma minuciosa como todos os artigos são escritos, lidos, relidos, editados.”

    Eu pessoalmente ADORO a Sábado, é a revista que me chama mais a atenção, adoro como é redigida, e sempre que o meu pobre orçamento de estudante me permite, lá a compro para matar a fome. No entanto há uma coisa que já reparei bastantes vezes na revista, e já cheguei a apontar no facebook da mesma, que é o facto de os artigos, muitos deles, virem constantemente cheios de erros factuais. Estou a ter alguma dificuldade em arranjar um exemplo, mas assim de repente, o último que me lembro de ter visto foi numa revista de Agosto, com uma capa referente à magia se não me engano, em que tinha lá a lista das 50 bandas que se deveria ver ao vivo. Li a lista com atenção, e chamou-me a atenção o facto de vir lá referido que a última passagem dos NIN por Portugal ter sido em 2007. Esta informação está errada, pois a última passagem da banda por Portugal foi em Agosto de 2009, no Festival Paredes de Coura. É um erro pequeno, eu sei, mas como este já me deparei com tantos outros que me fazem confusão e me fazem questionar se o resto da informação que eu leio tão maravilhada e da qual não tenho o mesmo tipo de conhecimento não estará também, muitas vezes, errada.

    Tudo isto para chegar ao que? Apenas ao facto de que os autores dos artigos podiam ter um bocadinho mais de cuidado neste tipo de coisas, que na verdade são apenas pequenos pormenores, mas é de pequenos pormenores que é feito o trabalho =)

DEIXE UMA RESPOSTA