Tempos

8
3217

Depois de uma semana sem fazer rigorosamente nada – não me lembro de umas férias assim – eis que estou de volta a Lisboa e ao trabalho. Foi só uma semaninha mas o suficiente para ganhar forças para o que aí vem, e o que aí vem requer forças. Faltam sensivelmente seis semanas para nascer o Mateus e, desta vez, optei por ser eu a tirar a licença de paternidade, para poder acompanhar de perto e participar em tudo o que puder ao longo dos primeiros cinco meses do nascimento do meu segundo filho. Infelizmente, quando nasceu o meu primeiro filho, não tive possibilidades de fazer o mesmo, não só porque a legislação era diferente, como as circunstâncias do meu trabalho também não o permitiam.

Por ser um segundo filho, não posso dizer que esteja às cegas quanto ao que vou enfrentar. Sempre fiz questão de participar em tudo na educação do meu primeiro filho, por isso, desde que ele nasceu que me habituei a fazer tudo: dar banhos, mudar fraldas, vestir, fazer biberons, papas, sopas, livrá-lo das cólicas, adormecê-lo e tudo o mais. À medida que ele foi crescendo fui tomando consciência de que os primeiros tempos são, efectivamente, os mais fáceis. Parecem-nos muito complicados e duros porque os estamos a viver pela primeira vez mas, depois, quando chegamos a outras fases, em que eles são mais matreiros, mais exigentes, mais absorventes, percebemos o quão simples era a nossa vida quando ele estava paradinho num berço e só era preciso mudar-lhe fraldas, dar-lhe banho, alimentá-lo e dar-lhe miminhos.

Por enquanto, tenho mais seis semanas para aproveitar. Quatro delas serão de trabalho, duas de descanso e preparativos finais para o nascimento do Mateus. Estou naquela em que, por um lado, quero muito aproveitar este tempinho que me resta, mas, por outros, estou ansioso pelo nascimento.

É deixar o tempo ir passando. Afinal, tem corrido desde que soube a notícia.

8 Comentários

  1. Também vou ser mãe do meu segundo filho daqui a 6 semanas, por isso sei bem do que fala. É um misto de ansiedade pelo nascimento, mas de não querer que estas semanas passem depressa. O bebe está tão bem na minha barriguinha!
    É como se agora tivesse tudo controlado… e depois do nascimento nada irá ser assim. Tudo volta a mudar, e isso cria ansiedade a vários níveis.
    Mas será certamente muito bom ter novamente um filho nosso nos braços não é?
    Felicidades.

  2. Ohhh! Isso é tão bonito 🙂
    Entretanto, e porque adoras séries, aqui fica uma sugestão: Under the Dome; uma adaptação do livro do Stephen King. Vi o episódio piloto e adorei; creio que o único que existe até agora… o outro há de dar hoje ou amanhã, creio eu.

  3. Isso dos primeiros tempos serem mais fáceis ou mais difíceis, depende muito. No meu caso penso exactamente ao contrário, a minha filha nos primeiros meses acordava sempre de 30 em 30 mins ou menos, era difícil de comer, quando foi aos 5 meses para o infantário estava constantemente doente a requerer atenção. Até perto dos 2 anos dela não tive 1 noite boa de sono. Finalmente perto dos 2 anos tudo melhorou, ela já dorme bem, já come bem e raramente está doente. Agora sim acho tudo muito fácil 🙂

DEIXE UMA RESPOSTA