Outra vez o estilo

0
4726

Bom, uma vez mais parece que há uma série de gente com dificuldades de compreensão de texto. Gente que lê coisas que não estão escritas, revolta-se com elas e depois despeja toda uma raiva em forma de comentários ou mails. Por isso, vamos lá a tentar clarificar alguns pontos mais pertinentes:

1. Eu não acho (nem nunca o escrevi) que só os homens que vestem calças vermelhas é que têm pinta. O que eu disse foi que os homens deviam arriscar um bocado mais nas cores (sejam elas quais forem) e fazia-lhes bem sair da habitual zona de conforto estético, que é o basicozinho do costume. Como também disse – num comentário – há looks simples com muita pinta. Há looks monocromáticos com muita pinta. Há looks com calças de ganga e T-shirt com muita pinta. Só que há mais mundo para lá desse universo. E os homens exploram pouco essas opções – e, mais grave, têm preconceitos relativamente a esse novo mundo de cores. Não deviam ter. E o que disse – e repito – é que não é por um homem vestir calças vermelhas que se torna gay. É contra essa mentalidade pequenina que sou contra.

2. Não fiz nenhum juízo de valor, personalidade ou, pior, orientação sexual, sobre quem usa esta ou aquela peça de roupa. Apenas dei a minha opinião – acho que, em geral, os homens em Portugal não têm muita graça a vestir, são monocromáticos, despreocupados, pouco cuidados, desleixados. Isso não faz deles más pessoas. Nem bimbos. Nem gays. Nem nada. Faz deles pessoas com poucas preocupações estéticas – o que não é condenável, nem traz nenhum mal ao mundo. Eu sou uma pessoa com poucas preocupações em muitas áreas (sou um bocadinho leigo em música, não entendo patavina de coisas ligadas ao espaço, sou um nabo em anatomia, etc., etc.), mas isso também não faz de mim um idiota, um imbecil, um gay, ou o que quer que seja. Pessoas destas áreas podem escrever em blogues pessoais que acham mal que haja tanta ignorância sobre estas coisas que, de mim, só ouvirão um “têm toda a razão”.

3. Naturalmente que cada um deve vestir aquilo com que se sente confortável. Mas isso não faz dessa pessoa uma pessoa com pinta. Nada é mais confortável do que o meu pijama e as minhas pantufas, mas não é por isso que eu os trago para a rua. Claro que eu adoro aquela T-shirt branca que comprei em 1998 que diz “Clã” à frente e tem, em letras minúsculas, as letras de todo o álbum “Lustro”, da banda. Já está larga, rota de lado, com aquele ar – lá está – de T-shirt com 10 anos, mas eu continuo a usá-la e a gostar dela. Mas quando saio com ela à rua não conta ter estilo. Naquele dia apetece-me ir assim, e pronto. Não quer dizer que seja SEMPRE assim. Não quer dizer que não haja dias em que não experimente coisas novas, que arrisque.

4. No fundo, era só isso, e nada mais. Eu ACHO (é a minha opinião) que os portugueses, em geral, vestem-se de forma pouco interessante. O marido da comentadora A, B, C ou D podem ser o máximo do estilo com o primeiro trapinho que apanham no armário, mas lá está, eu sou livre de achar o contrário (caso me cruze com eles na rua e ache isso). Mas queridas, nada contra eles. Tenho a certeza de que são uns gajos porreiros.

5. Sim, não tenho qualquer problema de masculinidade em olhar para um homem e perceber se ele tem ou não estilo, é bonito ou é feio. Tenho essa capacidade. E não me sinto menos homem por isso. Pode ser? E sim, também consigo fazer o mesmo com mulheres. A minha esposa deixa e até me incentiva (na praia, até me pede a opinião sobre rabos e mamas alheios – sou ou não sou um sortudo?)

1 Comentário

  1. Os portugueses (homens) não gostam de roupas coloridas, SO WHAT?! Que eu saiba Portugal não tem nenhuma capital da moda como França, Itália e Espanha. Gostam de monocromáticos, deixai-os, não é por isso que vestem menos bem.

    Não concordo com essa história do português ser descuidado, hoje em dia até acho o contrário, mas isso sou eu…

  2. Para a Ana 14Julho 16:12

    O "animal" foi empregue porque não se chama nomes a alguém por vestir certa roupa. Se o motoqueiro chamou um nome feio alto e bom som na via pública e sem razão ou direito que lhe assistisse, o Arrumadinho chama-lhe animal;
    Ainda assim, o parecer homossexual (acho eu, e um blog é feito disso mesmo, opiniões) não daria direito algum ao animal, de chamar paneleiro a outra pessoa.
    Ressalva: talvez o "paneleiro" seja usado como equivalente a f-d-p; idiota; enfim, nomes feios também mas diferentes
    a barcelence

  3. Eu concordo com o Arrumadinho… acho que o homem Português devia cuidar um pouco mais de si, da mesma forma que os homens querem que as mulheres se vistam bem, façam a depilação etc, estes também deveriam tratar na sua imagem…

    Mas pelos que vejo os homens têm medo dos rótulos, nesta sociedade ainda se tem em mente que homem que vista bem, etc, é gay… Enfim!!! Continua a usar as calças verdes, vermelhas, etc!!!

  4. Mais: Ela passa a vida a implicar com coisas minhas, mas são quase sempre coisas menores – as calças de bombazine, os casacos que são muito grandes, as sandálias, os calções, as T-shirts velhas, a barba e o cabelo que não estão como ela gosta, enfim, vocês sabem como são as mulheres.

    Qual é o problema de seres e de te vestires como achas que tem mais a ver contigo?

  5. Tu és o que a Pipoca quer que sejas, ou não?

    Palavras tuas (porque te tenho no google reader):

    Não tenho problemas em que me apontem defeitos. Encaro as observações – se pertinentes e justificadas – como desafios. É uma barreira que se ergue à minha frente e que eu vou ter de ser capaz de transpor para me tornar uma melhor pessoa ou, simplesmente, para que as coisas corram melhor numa relação.

    Depois há outras coisas que nos apontam, que não são bem defeitos, mas que também estão ao nosso alcance. Podemos fazer a barba ou deixá-la crescer, ao vosso gosto. Podemos ter o cabelo mais ou menos comprido. Podemos deixar de usar aquelas botas que adoramos. Podemos deitar fora as T-shirts velhas. Podemos passar a usar este ou aquele perfume. Podemos perder 5 quilos. Podemos começar a conduzir mais devagar. Podemos baixar a tampa da sanita. Podemos limpar os cabelos da banheira. Podemos deixar de roer as unhas. Podemos deixar de usar punhos elásticos no pulso. Podemos modernizar a colecção de óculos de sol.

    Estou aberto a isto tudo, e a muito mais.

    Mas por favor, não me peças para ter mais cinco centímetros de altura.

  6. Trabalho para uma conceituada marca portuguesa de confecção de homem e concordo plenamente contigo. Colocamos nas nossas colecções cores e padrões mais arrojados e só os mercados espanhol, francês e italiano é que arriscam nessas cores/padrões. Os clientes do mercado nacional continuam sempre na gama dos azuis, cinzas e pretos. Claro que há exceções mas são uma minoria. Tb concordo plenamente qd dizes que as pessoas associam logo cores garridas aos gays, aqui as próprias colaboradoras da linha quando vêm bombazinas e algodões em amarelo, rosa, vermelho, roxo….dizem-me logo "lá vêm as calças dos maricas". Mas depois quando vêm os nossos desfiles e catálogos algumas já dão o braço a torcer e comentam "Realmente assim conjugado fica muito bonito" mas contrapõem logo "mas o meu homem nunca usaria uma coisa dessas. No entanto tb penso que vamos no bom caminho, mas à boa moda portuguesa, muito devagarinho.

  7. um brinde à liberdade de expressão. a verdade é que há muita gente que se pode esforçar mas que nunca transparece estilo. o mesmo "trapinho" pode dar imagens bastante distintas, dependendo do corpo que o veste. Com ou sem estilo o importante é que se sinta bem, os conceitos de estilo também são tão variados felizmente, eu por mim aprecio estilos proprios.

  8. Recém chegada a estas lides e depois de ler alguns post e respectivos comentários, dou por mim a pensar .."mas será que há assim tantas pessoas "de mal" com a vida (ui que isto vai dar direito a "pano para mangas"), que não concordando com uma opinião (yep opinião.. eu tenho a minha, tu tens a tua, ele tem a dele.. e que bom que assim é), aparentemente uma situação normalíssima, se insurgem quase como se de uma ofensa pessoal se tratasse". Juro que me esforço para compreender mas é difícil. Ok, eu não concordo com algumas coisas, mas respeito a opinião.. talvez essa opinião que eu não concordava me vá ser útil quando eu menos esperar ou então eu não vejo as coisas por esse prisma.. mas se eu me esforçar, talvez vá ver mais do que alguma vez tinha visto, ou então não.. mas guess what?.. Também não perdi nada! Subitamente a meio deste pensamento lembro-me que talvez não seja nada disso… não pode ser, "ora lá sermos um país de gente de mal com a vida…..nem pensar" e afinal a tão apregoada "liberdade de expressão" (mais uma deixa para atear fogo), serve para que?…Para maldizer…óbvio, quando assim nos aprouver, de outra forma nao tinha piada…Então e se pudermos estar confortavelmente sentado atrás de um monitor, melhor ainda, porque assim podemos dar largas à imaginação, e ser… sem os problemas de ter que parecer!!
    Vá…brincadeirinhas….bora lá continuar a apontar dedos uns aos outros só porque o meu partido é diferente do teu, tu usas calças vermelhas e alpargatas e eu não, e se te esforçares muito pode ser que tenhas direito a um "anormal", "aberração" ou " retardado".. mas claro tudo com afecto porque o que importa é ter opinião e "liberdade de expressão"!
    P.S. "Arrumadinho.. hoje descansas ;), o "rasga tório" vai ter nova direcção! Whatever…

  9. os portugueses têm um problema muito grande: falta de capacidade de rir de si próprio.
    Levam tudo a peito, principalmente opiniões que os contrariem e não lidam bem com a diferença.
    Se eu gosto de ver homens com calças coloridas? Não. Mas não acho que quem o faz seja gay, até porque o que não falta neste cantinho à beira mar é muito gay disfarçado de macho latino. São presunções tão erradas como a ignorância que lhe está associada.
    para mim estilo é aquele homem que sem precisar de se vestir de bandeira de portugal consegue chamar a atenção, que num fato fica todo ele apetecível. Mas isto é o MEU conceito de estilo. Se todos gostássemos do amarelo o que seria do azul…

    depois há a questão seguinte, a incapacidade de olhar para o lado sem achar que pode ser considerado gay. Eu sei ver e reconhecer uma mulher bonita, boa, bem ou mal vestida e comento com o esposo, da mesma forma que ele o faz em relação a homens e mulheres. A certeza dos sentimentos e das nossas opções dá-nos uma segurança que nos permite uma zona de conforto bastante alargada. O que, penso, contribui muito para a nossa felicidade em geral.

  10. Aprendam a ouvir (ler) a opinião dos outros.Se não concordam digam a vossa, com calma e educação.Quem não gosta não lê. Não é obrigatório.Aqui a Troika ainda não entrou.
    Margarida

  11. Sabem qual é a minha opinião? Portugal tem uma grande quantidade de desocupados que passam os seus dias a ler blogs e a distorcer o que os autores deles dizem..
    Aposto que muitas dessas pessoas se contentam com o rendimento mínimo e a calcinha preta com a camisa cinza..Por favor! O Arrumadinho só deu a opinião dele e cada um tem direito à sua… Cada um tem direito a vestir-se como quer, a gostar do que quer…

    Quanto ao comentário de que o Arrumadinho não deve andar de transportes públicos, é ridículo! não é necessário andar de transportes públicos para perceber como é o estilo dos homens Portugueses (nada contra, são bem giros e calientes).. Eu não ando e sei bem como é o estilo deles.. Convivo diariamente com 3 auto-intitulados de "machos latinos" que não usam chapéu de palha, não se depilam e não apreciam homens..E isso não os torna mais machos que os que usam, que se depilam e que usam calças vermelhas…Por favor! Que mente mesquinha e pequena que algumas pessoas têm…

    Estilo, pessoas..Chama-se estilo aquilo que o Arrumadinho tem..

    Kiss Kiss pró Arrumadinho 🙂

  12. Mas tantas estupidez que paira nas mentes desta gente…era só que que faltava agora cada um não ter liberdade de expressão para depois andarem para aqui a dizerem disparates…sim DISPARATES…porque as pessoas não gastam as suas energias positivas em outras coisas.Ui santa estupidez e vergonha por tanta estupidez à portuguesa, pior do que andar mal vestidos é com certeza estes comentários que andam por aqui…ui

  13. arrumadinho, não tentes ser fashionista, porque não é por aí…
    dizer mal dos hábitos de vestuário dos portugueses nem parece de quem é tão viajado. muito bem vestimos nós para o que vejo, qd saio fora do país.

  14. Clara Reis

    E porque, sem querer, assumiste um tom de alguma arrogância do género "'bora lá pôr os homens a vestir com estilo, tipo sigam o meu exemplo"

    Que parte do "sem querer" e de "alguma arrogância do género" é que não percebeste? Da mesma forma que o Arrumadinho não disse o que me dizes que eu entendi, também não entendeste o que quis dizer. Mas tudo bem, era ao Arrumadinho que eu me dirigia, mesmo.

  15. Ana, um chazinho de tília e isso passa, agora no verão com uma pedrinha de gelo é do melhor…

    É que eu não percebi onde é que o arrumadinho disse que só quem anda como ele é que tem estilo. Ele só deu o exemplo dele e incentivou outros homens a arriscar em peças diferentes, não necessariamente iguais às que ele veste…

  16. Fico impressionada com a capacidade de distorção que algumas pessoas têm. Uma pessoa diz "A" e elas começam a desencadear subhipóteses que não têm nada a ver com nada.
    Mais importante que tudo, na minha opinião, é uma pessoa ter o seu estilo, a sua imagem de marca. Pessoalmente diverte-me arriscar em termos de estilo. Mas pronto, cada um é cada qual…:)

  17. "Sim, não tenho qualquer problema de masculinidade em olhar para um homem e perceber se ele tem ou não estilo, é bonito ou é feio. Tenho essa capacidade" Gostei.

    "E sim, também consigo fazer o mesmo com mulheres. A minha esposa deixa e até me incentiva" Subscrevo, faço o mesmo ao meu marido 🙂

    E por fim, o melhor, é apenas rir com os comentários, afinal a minha liberdade começa quando a sua termina 🙂

  18. Pela forma como te explicaste, acendeste o rastilho ;). E sim, também eu, mulher, sou a primeira a comentar com o meu gajo, os cús e as mamas das gajas…E sou primeira a olhar do que ele…E isso é muito saudável…

  19. Resolvi publicar o comentário daquele anónimo ali de cima, só para terem uma ideia do tipo de coisas que me chegam. E só tenho uma coisa a dizer-lhe: o senhor é mesmo muito, muito burro. Adoro a parte do "Mas tu conheces os homens todos de Portugal? Foi feito algum censo para poderes chegar a essa conclusão?". Qual foi a parte do "ESTA É A MINHA OPINIÃO" que não entendeu? Irra, que há gente burrinha.

  20. "E de pai pra filho o racismo passa
    Em forma de piadas que teriam bem mais graça
    Se não fossem o retrato da nossa ignorância
    Transmitindo a discriminação desde a infância
    E o que as crianças aprendem brincando
    É nada mais nada menos do que a estupidez se propagando"

    acho que o pessoal devia ouvir a "lavagem cerebral" do Gabriel durante a noite, over and over.

    *onde se lê racismo pode-se substituir por outro preconceito semelhante.

  21. E mais nada! Homem que é homem não tem problema algum em achar, pensar ou dizer que fulano é bonito e tem pinta! Concordo contigo quando dizes que os homens, na generalidade, não têm grande atrevimento na hora de comprar roupa. É uma pena, porque um gajo com pinta é sempre um gajo com pinta, mas depois também há quem queira e quem possa. Ás vezes não é para quem quer, mas para quem pode!

  22. Já diz o Sousa Lara: somos um país de achadores! Eu acho isto, eu acho aquilo, enfim.

    Mas tu conheces os homens todos de Portugal? Se calhar nem andas de transportes públicos. Foi feito algum censo para poderes chegar a essa conclusão? Ou apenas queres que todos os homens se vestiam como tu?

    TU é que pensas que todos pensam que quem anda assim vestido é homo. Ou então, conheces poucos homos.
    Há muitos homos pais biológicos casados com mulheres e muitos homos, mas mesmo muitos, que usam fatinho preto. Nem todos os gay (homo) são gay (alegres). Opps! Mais outro preconceito teu.

    Nós, ou melhor, eu percebi perfeitamente onde querias chegar. Tens é de te "expremer" melhor.

  23. Eu não gosto do teu "estilo". Também é simples de entender. E não acho que o homem português bláblá, a não ser que consideres os adolescentes e os rabos à mostra.

    Há "estilos" e "estilos", e o de metrossexual-ou-gay-arrumadinho-style não faz, de todo, o meu género, detestaria ver o meu homem de chapéu de palha e ainda bem que ele não vai nessa conversa.

    Se as pessoas não perceberam foi porque se calhar a tua forma de expôr não foi a mais clara. E porque, sem querer, assumiste um tom de alguma arrogância do género "'bora lá pôr os homens a vestir com estilo, tipo sigam o meu exemplo".

    Quanto aos preconceitos, é giro que tu próprio assumiste um quando disseste:

    "Para aquele animal, isto só podia ser roupa de paneleiro. Nem mesmo o facto de ir com uma criança pela mão o levou a achar que pudesse ser outra coisa qualquer".
    Ou seja, assumiste que pelo facto de levares uma criança já seria motivo para se pensar que não eras gay. E, ei, nada a ver…

    Agora sê feliz com o teu estilo, ninguém disse para não seres. Não venhas é tecer considerações sobre o que os homens são e o que as mulheres devem fazer, porque… eles se calhar preocupam-se mais em investir em música ou livros de anatomia, do que ir comprar trapos ou revistas de moda. E o orçamento da maioria dos lares é limitado, não é como – pelos vistos – o do teu 🙂

  24. Por acaso eu e a minha menina também discutimos rabos e mamas alheios. Para mim isso é sinal de uma relação saudavel e sem preconceitos.

    Só discordo de uma coisa. Acho que há cada vez mais homens preocupados com a imagem, só que é uma tendência relativamente recente. Mas acredito que daqui a 10 anos vais poder dizer com orgulho: "Eles leram o meu post" !!! loool

  25. A Pipoca é muito liberal, está visto. Deus me livre de pedir comentários sobre mamas e rabos alheios. ahahah E se ele mos desse (de borla, sem eu perguntar) comia arroz de trombas durante umas horas.

    Quanto ao resto… há homens e homens. Alguns homens ficam bem com qualquer trapinho, mesmo com o básico. Outros precisam de se produzir mais para fazer uma mulher olhar duas vezes. Outros, mesmo vestidos de palhaço, não chamam a atenção. Mais do que a roupa, importa o homem que a veste.

    Alguns homens ficam bem no estilo relaxado. O meu, por exemplo. É o estilo dele. Eu até posso sonhar 8que não sonho) em vê-lo de calças de pano e sapatos… nunca vai passar de um sonho. E também não quero que esse sonho se concretize, porque todo ele é relaxado. Desde ao estilo de roupa, ao jeito, à maneira de viver. Encaixa. 🙂

    Mas consigo entender o teu texto. Acho que a maioria dos homens não se veste de maneira a ficar favorecido. Compram qualquer coisa, sem reparar se lhes fica bem ou mal. Umas calças quaisquer, sem verificar se lhes valoriza as pernas/rabo. Podiam ser mais cuidados, lá isso podiam…

DEIXE UMA RESPOSTA