Os senhores dos cromos

10
4130

Quando era miúdo, e vivia longe de Lisboa, sonhava frequentemente com o dia em que viria à capital e poderia ter a sorte de os meus pais passarem pelos Restauradores. Não queria ir à Feira Popular, não queria ir comer Pastéis de Belém, queria ir aos Restauradores. E fazer o quê? Comprar cromos.

Lembro-me de ter 10 ou 12 anos e levar os cromos do Lucky Luke e do campeonato nacional de futebol aos senhores que tinham pequenas bancas ali perto da estação de comboios do Rossio. Eles viam os meus repetidos, escolhiam uns quantos, e depois era eu que podia ver tudo o que eles tinham para trocar e vender. Ficava absolutamente deslumbrado quando me mostrava aquele cromo que nunca tinha visto e que não fazia ideia de como era, quando percebia que ele tinha aquele jogador que me faltava para completar uma equipa. Na altura, não eram cromos baratos, mas saía sempre de lá com uma série de deles e aquilo era felicidade garantida para muitos meses.

Este domingo, enquanto esperava que a minha mulher terminasse a BES Run (sim, já chegámos ao ponto em que é ela que vai correr e eu fico à espera – as voltas que o mundo dá), fui com o meu filho mais velho até ao sítio onde ia quando era criança para ver se encontrava o senhor dos cromos. No sábado, contei-lhe, com entusiasmo, que existiam estas pessoas, senhores que trocavam cromos e que tinham todos os cromos do mundo, e ele ficou logo em êxtase. Perguntou-me 749 vezes quando é que podíamos ir aos Restauradores. Então lá fomos. Ele levou o seu saquinho com as cartas dos Invizimals repetidas e assim que viu a caderneta no chão, ao lado do homem dos cromos, até deu saltinhos de alegria. Enquanto ele via a caderneta do senhor, e escolhia todas as cartas que não tinha, eu ia conversando com um senhor que lá estava, a comprar cromos para os netos. Disse-me que ia lá quando era mais novo, que depois foi lá comprar cromos para os filhos e agora estava de volta, a comprar para os netos. Três gerações a caminho dos Restauradores. Aproveitei para trocar umas cartas com o senhor, que ficou com uma série delas e deu-me umas quantas. Senti-me a recuar até aos tempos de miúdo. Só não me lembrava era das filas imensas. Sem exagero, havia ali mais de 50 pessoas a trocar cromos de todas as coleções – sobretudo do Mundial. Aquele local tornou-se num ponto de encontro de colecionadores, o que, confesso, lhe dá ainda mais graça.
Já agora, se alguém quiser trocar cartas dos Invizimals é só dizer.

10 Comentários

  1. As minhas faltas são :

    Invizimals – Desafios ocultos
    10, 18, 40, 41, 43, 47, 48, 49, 53, 57, 60, 64, 87, 121, 126, 138, 144, 163, 165, 168, 175, 182, 183, 196, 204, 206, 211, 213, 219, 222, 223, 226, 235, 237, 241, 248, 249, 256, 268, 287, 295, 296, 325, 328, 329, 334, 336, 337, 338, 349, 351, 358, 363, 372, 387, 389, 392, 403, 412, 417, 418, 420, 421, 424, 427, 435, 440, 442, 447, 449, 460, 461, 462, 465, 466, 467, 468, 469, X01, X02, X03, X05, X064

    Invizimals – Nova Aliança
    FALTAS: 1, 3, 6, 9, 11, 14, 20, 37, 45, 57, 59, 61, 70, 77, 78, 91, 93, 98, 107, 109, 124, 128, 130, 141, 157, 158, 160, 162, 176, 179, 182, 184, 190, 197, 199, 200, 206, 212, 213, 219, 222, 230, 248, 250, 259, 272, 298, 334, 345, 363, 372, 377, 384, 387, 392, 399, 401, 412, X2, X3, X4, X5, X6, X7, X12

    Invizimals – The Resistance (Staks)
    FALTAS: 1, 5, 6, 10, 21, 22, 24, 25, 26, 38, 46, 51, 52, 60, 64, 66, 68, 71, 73, 79, 81, 82, 85, 89, 93, 94, 96, 103, 105, 106, 107, 108, 109, 110, 115, 117, 122, 126, 135, 138, 147, 150, 154, 157

    arcrosa1@gmail.com

  2. Boas

    eu quero acabar a coleção dos invizimals do meu filhote e faltam 3 cartas e não sei onde arranjar se poderem dar-me uma ajuda agradecia

    Faltas
    248-x01-x02
    -Repetidos
    3-7-8-10-19-20-21-37-43-55-56-57-58-61-62-100-106-112-113-114-117-118-127-133-134-136-143-145-148-149-150-151-152-160-175-189-194-195-199-218-280-286-307-318-339-340-342-343-354-356-357-359-360-362-367-371-375-376-377-388-393-394-397-398-399-401-402-404-405-406-407-411-413-414-415-418-419-423-428-430-432-436-440-442-445-449-450-462-463-464

  3. Muitas vezes passei por esse local. Na altura, era o único que conhecia.

    Perto do centro de estágios do Benfica existe uma papelaria onde se juntam dezenas de pessoas aos sábados e domingos para trocar cromos. Também existe quem venda. Aquilo é a loucura.

    homem sem blogue
    homemsemblogue.blogspot.pt

  4. Olá,
    Estive a ver o seu post e gostava de lhe perguntar onde é exatamente esse senhor dos cromos, porque tenho de lá ir com o meu filho ver se acaba a caderneta do mundial 🙂
    Invizimals para troca tenho aos montes é só uma questão de vermos como/onde podemos fazer as trocas e estamos interessados.

  5. Bem, é mesmo a loucura! Só para ver o homem cá de casa fez recentemente 32 anos e o presente que o entusiasmou mais foi mesmo a caderneta e uma série de cromos do Mundial! E lá anda ele pelos restauradores e pelos “supers” à procura de mais! Só visto! 😀

  6. Verdade. Mas outro spot de troca é também o Mercado da Ribeira aos domingos de manhã, no mercado colecionista.
    Acabamos muitas colecções de cromos por lá.

DEIXE UMA RESPOSTA