Os nus alemães

0
6428

Quando o Pingo Doce fez a promoção dos 50 por cento no dia 1 de Maio, a maior parte dos críticos falou da indignidade perante o cidadão, porque as pessoas se digladiaram por produtos, porque ficaram horas e horas em filas para pagar. Isso, para essas pessoas, anulou o cidadão a favor do consumidor. E, para essas pessoas, a dignidade foi-se em nome da necessidade de comprar barato. Diziam, os críticos, que isso revelava a pequenez do nosso país e apontavam a razão de tudo isto à crise profunda em que estamos mergulhados.

Pois bem, agora, na Alemanha (a maior potência da Europa, onde a crise não se sente como cá), um supermercado resolveu oferecer as compras aos primeiros 100 clientes que aparecessem todos nus. E lá estavam, à hora de abertura, 250 pessoas nuas prontinhas a fazer compras. Muitos deles eram dinamarqueses (outro país civilizado, onde a crise não magoa como aqui), já que a cidade onde fica o supermercado que fez esta promoção é encostado à fronteira dinamarquesa.

Então e isto não é um ataque à dignidade humana? Sim, para mim é. Ter de se despir para ganhar uma promoção é passar os limites. Ir para uma fila ou refilar por causa de um produto é só uma coisa normal por aqui.

1 Comentário

  1. Vi com muita atenção e de facto pretendo mostrar aqui a minha indignação: Oh pá que raio de pilinhas são aquelas?!!! LOL Ter que mostrar uma pilinha que não cumpre a média europeia é, de sem duvida, humilhante!!

  2. Em ralacao ao facto de terem obrigado os funcionários do supermercado a trabalhar em condicoes precárias, (pelo que me apercebi ao ler um outro comentário) nao estou mesmo nada de acordo e nao penso que seja correcto.
    Trabalhar numa caixa de supermercado em "hora-de-ponta" e o antendimento ao público em geral, requer da parte dos empregados (de qualquer espaco comercial) uma capacidade extra de paciência e objectividade, já para nao falar em situacoes de potêncial carga de trabalho e pressao como foi este episódio.
    Todos nós sabemos como sao as caixas de supermercados no início do mês em Portugal e um pouco por todo mundo.
    Deve ter sido mesmo "tudo-ao-mólho-e-Fé-em-Deus"
    Tambem nao penso que seja correcto a gerência deste tipo de estabelecimentos nao ter em conta os momentos de grande afluência de pessoas e relegar para os funcionários o esforco suplementar de dias como este, em que os ânimos deveriam ter estado mesmo à flor-da-pele.
    Já trabalhei 12 horas por dia, 6 dias por semana a atender pessoas e por vezes pensava como é que eu iria chegar ao fim do mês sem ter um esgotamento físico e psicológico, sim, porque todos nós temos límites… nao é ?!

  3. Pois é, este episódio dava muito pano para mangas, mas como existem polémicas bem mais interessantes do que esta, vou tentar nao me alargar muito.
    Nao sei se alguma vez viveu (ou esteve por alguma razao) na Alemanha.
    Isto é um país de mentalidades muito liberais e libertinas.(que me desculpe a aliteracao)
    Nao me chocou mesmo nada aquilo que se passou aqui na Alemanha, apesar de nao ter conhecimento deste acontecimento até ter lido este Blog.
    Isto vem a reforcar a afirmacao que fiz acima, os Alemaes sao muito liberais e até um pouco "anarcas", por vezes.
    Coisas deste tipo acontecem muito frequentemente neste país(no qual eu vivo vai para 8 anos)e acontecem tao frequentemente que nem existe espaco nas emissoras para relatar ou comentar todos os acontecimentos.
    Quanto ao que se passou em Portugal e em relacao à dita falta de dignidade, penso que nao aconteceu nada que possa envergonhar os Portugueses nesta situacao particular.
    De facto admito que nao me despia e nem estava horas na fila de espera para fazer o meu pagamento.
    Nao o faria neste momento, mas se um dia a verdadeira necessidade me bate-se à porta, seria quase certo que me despia e fazia o pino e tambem nao me importaria de estar eternidades à espera para pagar metade do preco.
    Infelizmente já passei por dificuldades, já passei fome, já comi muito arroz com arroz e nao me sentirei envergonhado se algum dia tiver mesmo de me submeter a certas coisas.
    A dor da fome é uma dor muito forte e que destrói por dentro, mas que tambem obriga o Ser Humano a fazer coisas impensáveis para muitos.
    Nao penso que quem foi ás compras, aqui na Alemanha ou aí em Portugal estaria eventualmente a passar necessidades.
    Espero sinceramente que nao, e aqui é que poderá residir o problema.
    Nao se deve ser ganâncioso(penso eu, sem querer ofender niguem) e se se tiver que ter vergonha será por querer ter mais do que aquilo que nos é necessário.

  4. vale tudo para ser notícia e ganhar milhões.

    Os motivos são sempre discutiveis e cada qual tem a sua opinião.

    Quanto a mim, o caso PD só mostra o desespero de algumas pessoas que fizeram tudo para poupar algum dinheiro

    homem sem blogue
    homemsemblogue.blogspot.pt

  5. conhecendo bem as culturas alemã e dinamarquesa (já vivi em ambos os países) vejo este episódio como uma brincadeira (meio parva, diga-se…): quem conhece os parque públicos alemães sabe que o nudismo é altamente tolerado! Não consigo fazer o mesmo paralelo que o Arrumadinho: para mim o caso alemão/dinamarquês não passa de uma daquelas ideias meio loucas, que depois de postas em prática não trazem nenhum mal ao mundo. Já o caso do Pingo-doce acho muito diferente: foi uma clara provocação aos direitos sociais/laborais conquistados à custa de muito suor, sangue e lágrimas.
    Anabela

  6. Da próxima vez o pingo doce, vai dizer que os 50% são apenas para indivíduos sem roupa,
    aposto que nesse caso,
    já toda a gente acha super normal e um desafio..

  7. Sem dúvida, concordo em absoluto! Para mim é uma forma muito baixa de fazer publicidade. Isto é gozar com as pessoas! Seria interessante que ninguém aparecesse para fazer compras, nem nuas nem vestidas. Estas empresas que têm a "faca e o queijo" nas mãos parecem não olhar a meios para estimular o bichinho consumista que há em certas pessoas. Reparei no filme que há pessoas a carregarem o carrinho só com bebidas, uhghu!

  8. Se pensares melhor na situação vais perceber que apesar de as situações parecerem similares, na verdade têm consequências bastante diferentes.
    No caso alemão o único eventual "problema" é cultural, porque na verdade o facto de estarem nús não afecta ninguem. Qual o problema de estar nú dentro de um super-mercado provavelmente aquecido ? A partir do momento em que uma pessoa não tenha problema em estar nú em publico o resto não constitui problema. O que o Pingo Doce fez foi bem pior por varias razoes :
    1 – Criou uma situação de multidão dentro de um espaço fechado. Estamos a falar de largas centenas de pessoas e em alguns casos milhares.
    2 – Criou situações com enorme probabilidade de conflito. Sujeitar centenas de pessoas a passar mais de 6 ou 7 horas em caixas de supermercado à espera de pagar em ambiente de "alteraçao emocional" podia ter criado gravissimos conflitos.
    3 – O que fizeram aos funcionarios das caixas foi desumano. Obrigaram funcionarios a ter de atender centenas de clientes com centenas de compras…etc etc

    Mais particularidades podiam ser apontadas, mas acho que ja da para perceber a ideia.

    Pedro
    Holanda

  9. Nem a propósito,quando vi o vídeo que passou nas notícias em todos os canais,pensei o mesmo,e pensei também que se fosse cá,ou muito me engano,ou cheira-me que alguma Instância Superior/Igreja Católica Emitia logo um comunicado!!! Coitados dos Alemães e Dinamarqueses Tão Atrasados!!???

  10. Ainda não sei se há mas há uns anos atrás tinhamos cá o Yorn go naked, onde o pessoal tinha que entrar nu na loja e podia levar a roupa que quisesse. É o mesmo principio. É a apelar à ganancia e ao desespero das pessoas. Portanto, qualquer iniciativa deste género leva o selo de "idiota" para mim.

  11. Olá!
    Eu admiro e gosto de ideias originais e criativas.
    Pensei, de acordo c/ a minha peculiar ingenuidade, que fruta e legumes, atraiam + + + e melhor fruta e até hortaliças.
    Mas não, tudo ao contrário.
    -Fruta "nepia".
    -Legumes e hortaliças, tudo deteriorado, rsr. rsr.
    Afinal, o que se passa?
    -Estarei todo/a ao contrário da maioria?
    -Vala-me o S. João, meu querido, me ajuda a entender estas novas técnicas de marckting…!
    Amén!
    SALTEM A FOGUEIRA COM CUIDADO NÃO VÁ A FRUTA PEGAR CHURRASCO. TÁ!
    Jinhos.

  12. Esta notícia já saiu há uns dias e na altura causou-me realmente repúdio. Mas, depois, tentando analisar a relação que eles têm com a nudez, comecei a achar que a "nossa" promoção foi pior…

  13. Desculpa, mas alguns estão calçados: não devia valer!! 🙂
    Não me parece que seja um atentado à dignidade, devem ser pessoas que gostam de andar nuas e isso para elas não é um problema. Parecem-me felizes por andarem nus e ainda lhes "pagarem" por cima! Não há discussões, a coisa parece-me ordeira – todos ficaram felizes!
    Bom fim-de-semana

  14. E defender certos interesses humanos, ou animais, todos nus? Ou protestar de bicicleta todos nus?

    Tu não consegues ver a diferença entre o pingo doce/Portugal e esse supermercado/alemanha/Dinamarca??
    Quantas pessoas estavam à porta do pingo doce e à porta desse outro supermercado?
    E em que dia fosse essa promoção? É que a do pingo doce foi a um feriado, quase universal.

  15. O que o Pingo Doce fez foi brincar com a dignidade humana. Nada tem a ver com isto. As pessoas que foram às compras nuas foram, quase de certeza, pelo desafio. Duvido muito que alguma destas pessoas tenha, sequer, um décimo das dificuldades das pessoas que se atropelaram no Pingo Doce…

DEIXE UMA RESPOSTA