O reencontro mais inesperado de sempre

3
12905
Acho que não deve ser difícil encontrar-me aqui, basta procurarem por uma espécie de Mateus, com menos caracóis

“O mundo é mesmo pequeno”. Esta deve ser uma daquelas expressões que mais ouvimos, normalmente quando encontramos alguém fora de um determinado contexto, ou percebemos que alguém com quem estamos, afinal, está também ligado de alguma forma a outras pessoas que conhecemos.

Ao longo da vida, e por razões diversas, fui perdendo contacto com muitos dos amigos. Já falei um pouco sobre isso neste texto. Passei quase toda a minha adolescência em Setúbal, onde fiz uma série de amigos não só na escola, como nas equipas de andebol por onde fui jogando (Ídolos da Praça, Vitória de Setúbal, Comércio e Indústria, Quintajense). Só que com a mudança para Lisboa, quase todos esses contactos desapareceram. Na altura não havia redes sociais, nem sequer telemóveis, os telefones fixos mudaram, as pessoas sairam de casa de casa dos pais, e isso levou a que perdesse o rasto a quase todos.

Precisamente por causa das redes sociais fui reencontrando um ou outro, como Hugo Soares, o rapaz que me ensinou a gostar de Iron Maiden, e com quem joguei andebol alguns anos. Somos amigos de Facebook há algum tempo, o reencontro foi engraçado, mas o mais surpreendente foi mesmo o que nos aconteceu há dias. Começou com uma troca de mensagens.

Hugo — Ricardo, por acaso andaste na Academia de Setúbal, durante a Primária?

Eu — Não. Fiz a Primária em Faro. Mas andei na Academia de Setúbal na pré-primária, com 3 ou 4 anos.

Hugo — Eh pá, é que estou aqui a ver uma foto e acho que só podes ser tu.

Eu — Uma foto? Minha? Na Academia de Setúbal?

Hugo — Sim. E a forma como cheguei lá foi incrível. Nós temos um grupo de Facebook com antigos alunos da Academia. E alguém comentou esta foto e disse que estava lá um miúdo que era igual ao teu filho. Eu fui ver e, de facto, era mesmo muito parecido. Por isso achei que poderias ser tu.

Eu — Envia-me lá isso, para eu ver.

Enviou-me e era efetivamente eu, ou seja eu já conhecia o Hugo Soares desde a pré-primária (mesmo não o sabendo). Mais: ainda fiquei a saber que outro rapaz que está na foto, o Artur (de quem falo no texto que linkei acima), foi, depois, no quinto ano, um dos meus melhores amigos. Também não fazia ideia de que tínhamos sido colegas de pré-primária. E tudo isto se descobriu porque o meu filho é parecido comigo.

O mundo é mesmo pequeno.

3 Comentários

  1. Um dia uma senhora da minha idade, no meio do ginásio onde a minha filha ia, foi ter com ela e disse-lhe: olha, és filha da Magda, não és? e ela disse que sim. E a senhora lá lhe explicou que me tinha conhecido na secundária e que lhe parecia que estava a voltar atrás no tempo quando olhou para a minha gaiata

DEIXE UMA RESPOSTA