O caso da Pepa

0
12876

É o tema do dia, o assunto do momento, e diz respeito a bloggers, como tal, sinto-me quase na obrigação de dizer qualquer coisa sobre o assunto. E o assunto é, claro, a campanha da Samsung com alguns bloggers a formularem desejos para 2013 e a consequente suspensão dos vídeos, com o argumento de que estavam a ser mal recebidos nas redes sociais. Deixo já um aviso: não tentarei ser politicamente correcto nem corporativista. Direi o que penso de forma totalmente honesta, não apenas como blogger, mas como homem ligado à comunicação há 15 anos.

Em primeiro lugar, parece-me que houve aqui um erro de comunicação grave por parte da Samsung. E a todos os níveis. Começou com a escolha dos bloggers, passou pela produção dos vídeos, continuou com a falta de visão ao analisar os conteúdos dos mesmos e culminou com a decisão de suspender a campanha. Tudo isto foram tiros ao lado, tudo isto foram decisões erradas. A Samsung é uma marca premium, uma das maiores do mundo, e, também por isso, deveria escolher muito bem as pessoas que quer que representem a marca. Com todo o respeito que tenho por todos os bloggers, não me parece que algumas das pessoas escolhidas sejam personalidades às quais uma marca como a Samsung se devesse associar. E isto não tem a ver com a qualidade dos blogues, com o talento de cada um dos seus autores, mas tão só com o misto de visibilidade/reconhecimento/posicionamento. Faria muito mais sentido fazer estes vídeos com pessoas de talentos reconhecidos fosse em que áreas fosse, gente de topo, prestígio, tal como a própria Samsung. Associar-se a alguns bloggers que muito pouca gente conhece, que são incógnitas, que não se sabe muito bem o que vão dizer, é perigoso, é um risco demasiado elevado para uma marca de topo. A Samsung escolheu esse caminho e deu-se mal. De todos os bloggers que participam na campanha, apenas o da Maria Guedes encaixaria num perfil que eu identifico com o da Samsung. Todos os outros não. Já sei que vêm os comentários do costume a insinuar que eu queria ter sido escolhido para a campanha e que tenho é inveja. Só para esclarecer preventivamente este assunto devo dizer que fui contactado uma vez pela Samsung para uma campanha que envolvia a oferta de um produto da marca, e recusei. Nessa mesma altura, a minha mulher teve uma proposta igual e preferiu, também, não aceitar. Eu recusei porque, por ser jornalista, não me posso associar a marcas, e porque entendi que a campanha não se adequava ao meu blogue e aos meus leitores. Isto para dizer que mesmo que a Samsung me tivesse pago muito dinheiro, jamais poderia aceitar entrar numa campanha deste género. Por isso, a minha opinião não está inquinada pela inveja, como, já sei, muitos irão insinuar. Esclarecido isto, passemos ao ponto seguinte.

Outro dos grandes problemas de tudo isto tem a ver com a edição dos vídeos, nomeadamente o da Pepa Xavier, já que foi esse vídeo que espoletou toda a polémica. O facto de ela formular os desejos e colocar, à frente do amor, uma mala Chanel é algo que só pode ser mal recebido. Eu percebo que a Pepa tenha querido, no meio de desejos profissionais, escolher falar de um sonho consumista, de um fait-diver, mas, se assim era, então, esse desejo deveria ser colocado no final dos desejos, e nunca a abrir. Ao ser um dos primeiros está, imediatamente, a marcar a imagem que temos da pessoa que está a falar. E a imagem que salta logo à vista é a de uma pessoa fútil, algo agravado, claro, pela pronuncia acentuada que ela exibe. Tudo o mais que ela venha a dizer está condenado, porque o que disse antes estragou tudo, minou a mensagem.

E isto leva-nos a outro erro: a falta de supervisão. Não compreendo como é que alguém com responsabilidades na área da comunicação olhou para aquelas montagens finais e não percebeu que aquelas mensagens (e uma vez mais refiro-me ao vídeo da Pepa Xavier), que aquele discurso, os desejos, em nada iriam beneficiar a marca, pelo contrário. Alguém na Samsung deveria ter dito “não, isto não vai funcionar”, “alto, isto pode dar merda”. Mas não. Viram e aprovaram. Erradamente.

Mas o maior tiro no pé foi mesmo a decisão de suspender os vídeos. Sinceramente, ainda não tinha visto qualquer um deles. Até hoje. Até estalar a polémica. E aí, claro, quis vê-los. E encontrei-os. Estavam por todo o lado, pelo Facebook inteiro. A suspensão funcionou quase como um alerta para que todos fossem procurar por algo que foi proibido, retirado. Se não o tivessem feito, os vídeos teriam passado nos blogues dos seus autores, seriam vistos de forma natural pelos seus seguidores, podia haver uma ou outra crítica, mas a coisa passava, sem grandes dramas. Assim, a coisa ganhou uma proporção global, um documento viral, instrumento de chacota por todo o lado. E isso em nada beneficia a marca, em nada prestigia os bloggers que se associaram à campanha.

Agora vamos à parte do conteúdo dos vídeos. Começo por dizer que se tem generalizado, de forma errada, sobre este assunto. Eu só vi o vídeo da Pepa e o da Maria Guedes, e não me parece que sejam “a mesma coisa”. São, aliás, muito diferentes. O da Maria Guedes está bonito, sereno, e vai muito ao encontro do que ela é: uma mulher sofisticada, bonita, com pinta, que sabe estar, e que parece estar de bem com a vida, a saborear o momento de ter sido mãe, e com ambição grande quando olha para o futuro. Mas, ainda assim, com os pés assentes no chão. Nos seus desejos, a primeira coisa que diz é que quer aprender a viver com menos. E isso é de louvar. É respeitável. Fala de outros desejos, de uma casa nova, de uma grande viagem, coisas com que todos nós sonhamos e podemos ambicionar, ainda que não os possamos alcançar no imediato. Em relação ao vídeo da Maria Guedes, não tenho nada a apontar.

Já o da Pepa me parece muito diferente. Ali, está quase tudo errado. Há erros inocentes, há erros por falta de cuidado, há erros por impreparação, imaturidade, mas todos esses erros constituem um verdadeiro desastre.

Não vejo mal nenhum no facto de a miúda querer juntar dinheiro para comprar uma Chanel. Cada um sabe de si. Ela, se calhar, acha ridículo eu querer comprar um relógio de corrida, ou uns ténis amarelos horríveis, mas são coisas do meu interesse e que eu acho que valem o investimento. Ela achará o mesmo de uma Chanel. Mas uma coisa é ambicionar-se uma coisa, escrever-se isso num blogue pessoal, outra, bem diferente, é dizer isso num vídeo promocional, em que se fala de grandes desejos para um ano, colocando o desejo de ter uma mala Chanel ao lado do desejo de ter amor e trabalho. No vídeo, a Pepa assume que é um desejo um pouco consumista, e até o poderia ter feito, mas usando um tom mais informal, mais de brincadeira, e não falando daquilo como uma verdadeira ambição de vida. Se o é, de facto, então é natural que todas as pessoas a considerem uma pessoa fútil ou vazia, porque só uma pessoa fútil ou vazia poderá ter como uma das grandes ambições do ano comprar uma mala de 2500 euros. É aquela coisa muito popular, mas com que temos de aprender a viver: se não queremos ser vistos de determinada forma, não nos devemos pôr a jeito. E a Pepa pôs-se.

Agora não acho que o tenha feito porque se quer posicionar dessa maneira. Foi inocente, foi ingénua, não soube medir as palavras, não soube calcular o impacto que este desejo poderia ter num país amargo e amargurado, sensível e sedento de devorar quem se atreve a mostrar uma veia mais consumista em tempos de crise. E agora está a pagar por isso.

Como blogger, e autor de um blogue generalista, sei o que é ser-se julgado pelos conteúdos do blogue. Para quem não me conhece eu sou apenas o que coloco no blogue. Tudo o que me interessa na vida é aquilo que está postado aqui. Resumem o autor do blogue àquilo que sabem dele, e o que sabem dele é o que ele escreve no blogue. Há milhentas coisas de que gosto e de que não falo aqui, porque não acho que seja o lugar para isso, porque acho que são coisas que não interessam assim tanto aos leitores. Faço a minha triagem. Mas isso tem esse custo: resume-me, para muita gente, àquilo que escrevo. Isto passa-se, também, na minha página pessoal de Facebook. Eu praticamente não escrevo na minha página e das poucas coisas que partilho são as rotas das minhas corridas. Logo, para muitos dos meus amigos de Facebook, com quem não falo regularmente, a única coisa que faço na vida é correr. Quando os encontro, muitas vezes, o que me dizem é: “A tua vida agora é só corrida”. Não, não é. A minha vida, a minha pessoa, não é aquela que eu partilho no Facebook ou no blogue, isso é apenas aquilo que eu quero que se saiba sobre mim ou sobre a minha vida.

Isto para dizer que se a Pepa assume publicamente num vídeo (que sabia que iria estar em vários blogues e nas redes sociais) como um dos grandes desejos para o novo ano comprar uma mala Chanel, então, tem de estar preparada para as reacções a essa ambição.

Falta dizer que falei com a Pepa três ou quatro vezes na vida, uma delas há muito pouco tempo, através do Facebook, e sempre tive uma relação cordial com ela. Sempre foi simpática comigo e eu com ela. Não a conheço, não faço ideia se é boa ou má pessoa, muito culta, inteligente, ou fútil. Nem me interessa. Sei que, neste caso, ela foi imprudente, inocente e não teve alguém ao lado que a tivesse alertado para o erro que estava a cometer. Se calhar, aquilo que estou a escrever aqui deveria ter sido dito por alguém próximo dela aquando da gravação do vídeo.

1 Comentário

  1. Digo desdejá que não vi a entrevista ou o video ou la o que foi, mas, A sério!! mas em que mundo vivo eu?? a sério?? tanta polémica por causa de alguém que gostava de ter uma chanel?? qual o problema de ambicionar?? olha, se e3u ambicionasse ter uma chanel seria ezcelente, na certa significaria que tinha bom gosto e seguramente ganharia bem mais que o que ganho! a mim não me chocou nada nem sequer antendo esta polémica! a~serio!!! as pessoas nao tem assuntos mais importantes que as preocupem!

  2. "É o tema do dia, assunto do momento" realmente devo viver noutro país. O que devia indignar os portugueses é a relevância que se dá a assuntos como este.

  3. Muito gostam os portugueses de justificar TUDO com inveja. Se não gosta é inveja, se critica é inveja, se goza e brinca é inveja, se satiriza é inveja, se se se se INVEJA. Inveja porquê? Inveja dela QUERER uma Chanel? É que pelo que percebi, ela NÃO TEM uma Chanel, nem sequer tem dinheiro para a comprar, uma vez que é a própria que diz que anda a poupar para isso. Se ela a tivesse, ainda podia haver inveja, mas se nem tem…Os portugueses criticaram porque a miúda fez uma figura ridícula, só isso. O sotaque dela nem é um verdadeiro sotaque…ninguém fala assim, é uma coisa (mal) ensaiada para parecer "fina". Uma caricatura, portanto.O desejo da Chanel até me passa despercebido, no meio de tanto tique.

  4. Só uma nota: o primeiro desejo dela não foi a mala. Foi ter mais tempo para ela. Eu dispenso a mala, mas adorava ter mais tempo para mim. 😉

  5. Os jornalistas que escrevem sobre restaurantes pagam as contas e, normalmente, visitam os restaurantes de forma anónima. Mais ou menos como fazem alguns dos que comentam blogues, mas sem maldade. Deixem o rapaz em paz, seus invejosos e incultos

  6. O fundamental de tudo isto é: "Sinceramente, ainda não tinha visto qualquer um deles. Até hoje. Até estalar a polémica. E aí, claro, quis vê-los. E encontrei-os. Estavam por todo o lado, pelo Facebook inteiro. A suspensão funcionou quase como um alerta para que todos fossem procurar por algo que foi proibido, retirado. Se não o tivessem feito, os vídeos teriam passado nos blogues dos seus autores, seriam vistos de forma natural pelos seus seguidores, podia haver uma ou outra crítica, mas a coisa passava, sem grandes dramas. Assim, a coisa ganhou uma proporção global, um documento viral, instrumento de chacota por todo o lado. E isso em nada beneficia a marca, em nada prestigia os bloggers que se associaram à campanha."

    A marca sai um pouco arranhada, mas atenção que, apesar de tudo, muitos dirão: "a Samsung, reconheceu que a coisa era má e logo retirou". 😉 Sai arranhada, mas a publicidade passou e passou a viral, que é o el-dorado de qualquer agencia de publicidade. Os bloggers, esses deram-se mal, claro; por isso é que foram escolhidos estes. Carne para canhão que não morde de volta: relativamente pouco conhecidos, pouco poder teriam, mais tarde, para reagir.
    Atenção que a própria Pepa disse que escolheram, dos 12 desejos, manter no vídeo somente o da mala – isto é obviamente propositado!
    No final de tudo o saldo é francamente positivo para a Samsung: pouco dinheiro, enorme divulgação e um arranhão (desculpável) da parte de uma minoria mais atenta – sem esses a marca pode bem.

  7. Parece-me óbvio a estratégia da marca: conseguiu chamar a atenção – com o vídeo que foi claramente editado para passar a mensagem que passou – e, como você próprio diz: "Sinceramente, ainda não tinha visto qualquer um deles. Até hoje. Até estalar a polémica. E aí, claro, quis vê-los. E encontrei-os. Estavam por todo o lado, pelo Facebook inteiro. A suspensão funcionou quase como um alerta para que todos fossem procurar por algo que foi proibido, retirado.".
    Não só todos foram ver a publicidade como a marca ainda se salvou "retirando" os mesmos, sem dó nem piedade logo que percebeu que o vídeo da pepa (a parte 1 do plano) se tornou viral.
    Não há erro nenhum da Samsung aqui; só mesmo uma vítima – a pepa – que foi explorada pelo que é. Enfim, muitos dirão que merece… mais isso já o Arrumadinho analisou neste post.

  8. Pois e pelo conteúdo dos comentários por aqui logo se vê que há muitassssssssssss Pepas por aí a fora…hashsushashsusa
    Ui que tenho enjôo só de ouvir o sotaque, e olha lá a anónima das 16h25 querendo doar as malinhas dela. E viva o povo português que adora aparecer, tenho um bom remédio para isso: Uma big melancia no pescoço
    ehehehehe

  9. Bem, a coisa mais horrorosa que li por aqui, nem diz respeito à querida da «Pépa», mas sim à afirmação: «os lisboetas nem têm sotaque, é português correcto». Valha-me Deus, que tamanha ignorância. Eu, que já trabalhei de norte a sul devo admitir: em Lisboa fala-se pessimamente. E também não posso deixar passar o «português correcto» que desconheço por inteiro. Há sim o português-padrão que não se encontra, obviamente, em Lisboa, mas em Coimbra. Mania dos lisboetas se acharem o máximo…

    Rita Guedes

  10. Sinceramente não entendi o intuito da Samsung.
    A Pepa é afetada, choca por desmunhecar muito, a pronúncia é ainda pior. Ela pode desejar a futilidade que quiser, aliás como elas conheço dezenas, o problema é externar como ela fez. O vídeo todo é péssimo, é de pessimo gosto, enfim é tudo de pior…E ela é sem dúvida a principal responsável, porque quem desmunhecou foi ela e não os editores do vídeo. ;)Ela me faz lembrar a brasileira Narcisa Tamborideguy, fútil, vazia, desmunhecada, insana, transparecendo mesmo a estar a base de calmantes tamanha a fora de realidade de tipa; haja pachorra p/ suportar mulheres como elas. E pior é que ainda há quem suporte estas "tipinhas"

  11. É português correcto ?? Com que legitimidade pode afirmar que há um português correcto ou incorrecto que varia de região para região ou cidade para cidade, neste caso de Lisboa comparando com o resto do país?! São fonias e dicções diferentes, são mesmo sotaques . Regionalismos , bairrismos e fanatismos reflectidos em afirmações dessas assustam .. Em Inglaterra há diferentes sotaques, na Alemanha também. Em todo o lado isso acontece e digo-lhe que é lindo (espero que não fique chocadíssimo/a querido/a, não quero ofender nem minimizar o seu SOTAQUE pois é tão correcto como os demais , é IGUALMENTE CORRECTO: é fruto da história de dada região, de dado sítio; é fruto dos costumes, dos hábitos que, depois (ou antes), invariavelmente, dão origem a expressões linguísticas e 'maneiras de dizer'. Há provérbios de diferentes regiões do país e, juntos, constituem os nossos tesouros aforísticos e enriquecem-nos a todos. Ah mas eu não tenho sotaque de Lisboa, falo português incorrecto e descobri agora. Se cria estes radicalismos do correcto/incorrecto quando o assunto é sotaques nem quero pensar o que pensará e que juízos de valor tão assertivos fará acerca de temas socialmente mais delicados – o 'delicado' varia de pessoa para pessoa e tem muito que ver com o bom-senso mas sei lá, para si isto até pode ser um tema delicado. Ahahah… ''Há com cada um/a…''

  12. Lisboetas por norma não têm sotaque é português correto, lol
    E desde quando o sotaque tem que ver com ser português correto?? Os Lisboetas dizem treuze e augua e piqueno (e não é no gozo!). Se nunca ouviu deve ser surdo. Eu ouço um lisboeta falar e percebo donde é… Assim como um lisboeta percebe que sou do norte.

  13. Esta polémica fez-me lembrar uma "estória" que os meus pais me contam muitas vezes e que se passou nos anos seguintes ao 25 de Abril de 74 (ainda eu cá não andava coitadita! Uma tia nossa ofereceu ao meu irmão mais velho que na altura devia ter 3 ou 4 anos um carro tipo kart que comprou em Espanha. Era um brinquedo caro e que em Portugal não se via e que os meus pais nunca teriam tido dinheiro para comprar. Um dia estava o miudo todo feliz da vida a brincar com o carro num parque publico e dois individuos aproximaram-se dele (sim da criancinha!) e aos gritos e a gesticular começaram a insultá-lo (repito, à crinaça de 3 anos) de fascista, ladrão, que devia ter vergonha de ostentar um brinquedo daqueles (lol)… Pelos comentários que nestes ultimos tempos vou lendo temo sinceramente que um dia destes alguem que se atreva a usar uma mala de marca seja insultada e vexada em praça pública…. A inveja e pequenez dos portugueses que sempre existiu vem à tona com as dificuldades. Eu que não embarco em sonhos consumistas não critico quem o faça, todavia, acho que essas pessoas têm que ser coerentes, se um dia a vida correr mal, ficarem desempregdas e não terem um tostão no Banco porque queimaram tudo em "porcaria", não podem estar à espera que os outros – aqueles que se precaveram – se cheguem à frente… Todos temos o direito de fazer as nossas escolhas e depois de feitas temos a obrigação de viver com elas e assumir os riscos e as consequências, sejam elas boas ou más. Infelizmente há muita gente que prefere deitar as culpas nos outros e destilar a inveja e frustração no vizinho do lado…

  14. Fantástico resumo com tudo no sítio!
    Mas tal como muitos comentam, o que salta mais à vista no vídeo da Pépa é o tom "mega hiper tia" que ela deu a todo o vídeo. Ainda por cima sendo uma pessoa de apenas 25 anos. Mas o pior é constatar que ela fala mesmo assim, pois na entrevista que ela deu à SIC, o tom tia com goteira na boca, era exactamente o mesmo!
    Isabel

  15. Não sei quem é a Pepa, mas what a big deal, uma mala chanel!!! Está tudo insane, ainda se pedisse um apartamento no lote 5 Quinta da Marinha ou um Jaguar XF, ainda assim está no seu direito de sonhar com que que quiser. Até me dá vontade de lhe dar uma das que tenho ali, sem serventia nenhuma, das tais que se vão acumulando e não se usam, só porque sim, porque insistem em presentear-me dispendiosamente.

    É tão triste a mentalidade dos pobrezitos.

  16. Errado… Sou Lisboeta de Gema, e por aqui ninguem tem Sutaque de dizer "TreUZE".

    Lisboetas por norma nem têm sotaque, é português correto.

  17. Ela podia ter falado de outra forma. Mas não falou. Ela podia ter deixado o desejo da mala para o fim. Mas não deixou. Eles podiam não ter deixado a campanha nas mãos de bloggers. Mas deixaram. Eles poderiam não ter retirado o vídeo das redes sociais. Mas retiraram…

    … e agora? O que nos resta?

    Dois dias de conversa sobre o que uma miúda (não é tão miúda como isso) diz ou deixa de dizer, dois dias em que uma miúda aparece na televisão para se justificar o que disse. E nós?

    Nós só podemos rir-nos desta situação, entre um café e dois dedos de conversa. Para podermos dizer: "ao que isto chegou!"

  18. O que me chocou, realmente, foi a mesquinhez do povo português, que se revelou com toda a sua força neste assunto. Se os entrevistados eram bloggers de moda, tal como as bloggers que todos temos na parte cima deste site (Pipoca, Stylista, Fralda, etç), COMO É ÓBVIO, o assunto seria moda! Como é lógico, ela não iria pedir uma bicicleta. É incrível que, nos tempos de crise, o que vem ao de cima além das dificuldades é sempre a mesquinhez.

  19. O grande problema é a dicção da Pêpa. Consegue ser pior do que duma criança de 10 anos! Não fica bem. Por mais que as tiazocas achem que fica bem, que é bonito, que é chique e tal…não é. Muito pelo contrário. Um terapeuta da fala ficava-lhe muito melhor do que a malinha Chanel! De resto, cada um faz o que quer com o dinheiro que ganha, fruto do seu próprio trabalho. Isso não me choca minimamente…

  20. No meio desta história toda, acho que a rapariga foi sincera na entrevista, e isso comprova-se pelo que afirmou: ela queria a mala, é o objectivo dela para o ano 2013. E não disse frases formatadas, como "quero a paz no mundo" ou algo do género. No entanto, o que me chocou mais foi esta marca usar exemplos como o da Pepa.
    Com uma publicidade desta, ficou bem claro que:
    – a marca não quer chegar a todos os portugueses;
    – a marca não é uma empresa adaptada à realidade do nosso país.

    E nestas coisas, sou muito extremista: se uma marca não consegue distinguir entre o "bem" e o "mal" (neste caso, avançar com uma campanha falhada como esta), então não é marca para mim nem para os meus.

    Falhar é humano, é certo, mas um "falhanço" destes reflecte bem os valores éticos e sociais desta marca, com os quais não me identifico.

    Por último, isto já aconteceu há 2dias (?) e ainda estamos a falar sobre o assunto. Será que foi mesmo um deslize da marca? Ou foi algo muito bem pensado?

    Fica a dúvida…

  21. Concordo com o dizes sobre isto quase a 100%, já não posso dizer o mesmo da tua esposa…
    Nem é a questão da mala… é todo um conjunto. Uma personagem mal encaixada, num vídeo que devia ser inspirador. E dos vídeos que vi nenhum consegue isso.
    Também acho que já se esmiuçou isto que chegue em tão pouco tempo.
    Há assuntos mais importante a discutir pelo bem da nação.

  22. Eu costumo seguir o blog da Maria Guedes (MG) e foi através dele que soube desta parceria entre alguns bloggers e a marca. Sinceramente achei estranho na altura e não vi video nenhum, nem da MG. Porque me pareceu que não fazia sentido e que não teria interesse para mim. Resumindo ainda não os vi. Mas acabei por ler vários comentários em blogs que sigo como o Stylista e este. As criticas aos bloggers dividem-se principalmente em criticas ao consumismo e aos sotaques. Acho que os Portugueses em geral são mesquinhos. É aquela velha história: um americano vê alguém a conduzir um Ferrari e diz 'um dia vou ter um igual' enquanto que um português diz 'deve ter conseguido o dinheiro na droga e espero que se espete'. Eu não sou rica, e vou poupando o meu dinheiro para gastar no que entendo me faz falta, me faz feliz, me apeteça. É um direito meu. E desde que não roube não me parece que os outros tenham algo a ver com o assunto. Vozes irritantes… confesso que algumas me fazem espécie. Como o Francisco Louçã. De tal forma que nem ouço o que o homem diz, ele começa a falar e eu desligo. É uma decisão minha e neste género de coisas (caracteristicas fisicas, etc.) não me parece que existam criticas construtivas, só desejo de falar mal. Quem não gostava da voz da Pêpa parava de ver o vídeo. Longo texto para quem nem sequer viu os videos da polémica 🙂 Mas este assunto para mim diz tão-só que há uma grande incapacidade de respeitarmos a liberdade dos outros e a nós mesmos. Temos poder para escolher o que perdemos tempo a ver e para ficarmos felizes (ou pelo menos não sermos afectados de forma negativa) pela felicidade alheia.

  23. Parei de ler em marca premium. Tão selectivo em relação a roupas, mas tecnologia não é consigo. Desde quando é que a Samsung é uma marca premium? Tal como a Apple, só se forem o premium das massas.

  24. Ricardo,

    Não sei se já comentei o teu bog alguma outra vez. Mas desta não posso deixar passar. Estive para escrever sobre o caso, mas algo não conseguia encaixar bem. Posições extremadas em vários sítios, blogs e por aí fora. Isto para dizer que, na essência, acho que te aproximaste em muito do que escreveste. Principalmente naquela parte que quando escolhemos um meio (blog, vídeo ou FB) para nos "expormos" essa será a construção que as pessoas terão de nós.

    E acabei por não escrever nada, nem o vou fazer agora. diz a velha máxima, se há alguém que o faça/fez melhor, cala-te!

  25. Sinceramente, acho que o vídeo que é melhor revela a falta de qualidade desta produção é o da Susana. Todo o discurso é vazio, mal preparado (e a Susana não é uma miúda como a Pepa). Já não bastava o pouco de interessante que é dizer "quero ir a Tóquio porque é grande e tem muitas luzes", ainda acrescenta "ainda por cima a minha cunhada vive lá. Assim juntava as duas coisas. Visitava a minha cunhada e ia a Tóquio". Já para não falar do: "2012 foi uma ano muito giro, aconteceram coisas fantásticas…", "pude escrever crónicas sobre coisas como os meus vizinhos de cima e as pessoas na rua". Eu não sou da área da publicidade, mas quem no seu juízo perfeito achas que isto tem interesse para promover o que quer que seja. Parecem vídeos feitos para o "estado de graça". Acho que graças à chanel da Pepa, a Susana se livrou de boa…

  26. A unica coisa que consegui ler neste post foi: deviam ter-se associado a pipoca, ela sim, e nao as outras blogs, porque ela e' te topo, tem projecçao, bla, bla, bla. Santa paciencia!

  27. Ui Francisco, você deve ser um menino supé bem, tá a ver? Olhe que até quem "mora na Brandoa" e "gosta de ir passear para o Colombo porque 'parontos'" sabe que aquela Chanel se chama 2.55 (e não "uma mala Chanel, daquelas, tipo, clássicas" – oh meu Deus, que sacrilégio do tamanho do mundo!). E sabe também que se diz carteira, e não mala – que é supé possidónio, tá a ver? Ao passo que a menina de Cascais, que deve ser sua vizinha, que supostamente estagiou na Elle e tem um blog de moda, expert que é na matéria (!!!) não faz puto de ideia da verborreia que está para ali a sair-lhe da boquinha. Deve perceber tanto de moda como eu de engenharia mecânica, e agora todos sabemos que o neurónio dela ficou demasiado ocupado a pintar as unhas enquanto lhe davam noções de "fashion"…ups, the jig is up! E "parontos", é isto. beijinhos da Brandoa! Agora tenho de ir, marquei encontro com uma "miga" no Colombo. (Se quiser pode ler o meu post com tom anasalado, para conseguir perceber o que quero dizer – será mais fácil para o menino.)

  28. Claro queridos, só nas outras profissoes é que isso existe.

    Eu faço uma reportagem sobre um restaurante, mas ele pagou-me ?? obviamente que não…… tão incoerente OMG

  29. "mais por inocência ou imaturidade " isso quer dizer que voce e a sua pipoquinha não passam de uns inocentes e imaturos quando pedem loubotins entre muitas outras coisas !!!

  30. "Homem ligado a comunicação à 15 anos" e isso é ?
    UM ADOLESCENTE NA COMUNICAÇÃO

    A Samsung nunca foi tão falada como hoje com este video. É uma grande acção de Marketing e comunicação ou nunca ouviste dizer, "não intressa que falem mal ou bem, intressa que falem"

  31. Miudo(arrumadinho) não entendes nada !

    A campanha está a ser um sucesso !

    Nunca se falou tanto da samsung !

    O objetivo é falar da marca (ninguém esta a falar mal da marca).

    Parabéns ao responsável pela campanha. 🙂

  32. Um jornalista não pode fazer publicidade. É incompatível com a profissão. O problema reside, muitas vezes, em entender qual é a fronteira entre o falar de algo e o fazer publicidade de algo. O meu princípio é simples: eu falo de coisas da minha vida de forma aberta. Não aceito dinheiro ou produtos para falar bem desta ou daquela marca. Se gosto de uma coisa, se acho que isso poderá interessar aos meus leitores, então, falo disso no blogue sem problemas. Esse mesmo princípio é seguido por todos os órgãos de informação. Se sai um iPhone novo, qualquer jornal ou revista irá falar sobre ele, escrever sobre ele, dizer bem ou dizer mal. Não estará, contudo, a fazer publicidade à Apple, mas, tão só, a falar de um produto porque se entende que é do interesse publico (ou do público) abordar esse assunto. Quando, enquanto jornalista, faço um artigo sobre os melhores restaurantes para comer bifes, e o publico na minha revista, não estou, como é óbvio, a fazer publicidade aos restaurantes, apesar de falar deles, e de dizer bem dos espaços ou da comida.
    Ou seja, o princípio deverá ser o do brio profissional. E a linha, para mim, traça-se na parte financeira: um jornalista não pode receber dinheiro para falar bem de produtos ou marcas. O que não significa que não o possa fazer, se entender que isso é de interesse dos seus leitores.

  33. Cara "a.i.". Três coisas sobre o seu comentário: 1. Não me parece que o meu post seja "a criticar de alto a baixo a Pepa", como escreveu. Bastar ler o meu texto para perceber que é, sobretudo, um texto sobre o erro de estratégia de comunicação (da Samsung). Na minha opinião, a Pepa também errou, mas mais por inocência ou imaturidade do que por vontade de excesso de protagonismo ou excesso de futilidade. Acho que isto está longe de ser um post a "criticar a Pepa de alto a baixo".
    2. É livre de pensar o que quiser sobre mim baseada no que eu escrevo. Aliás, digo isso no meu post, que é um risco que os bloggers correm. Agora, parece-me no mínimo ridículo achar que um blogger não deve dar a sua opinião sobre o que quer que seja no seu blogue pessoal. Um blogue serve para isso mesmo, para que o seu autor diga o que bem entende sobre qualquer assunto. E sim, eu acho que, no meu blogue, posso opinar sobre tudo. E a minha opinião será sempre só isso, a minha opinião. E claro que, na minha opinião, eu digo o que acho que está certo, e não o que os outros pensam, ou o que os outros acham que se deve dizer sobre os assuntos. Acontece é que há muita gente que confunde uma opinião firme ou assertiva com arrogância ou sobranceria. Parece-me ser o seu caso. Eu não acho que tenho sempre razão. Mas se escrevo uma coisa é porque aquilo que estou a dizer é, para mim, na minha opinião, o correcto. É a minha visão.
    3. É verdade quando diz que eu pugno por tentar ser boa pessoa. É mesmo isso. Eu tento ser boa pessoa, o melhor possível. Tenho poucos vícios, sim, é verdade – mas tenho alguns, como o de correr. Tenho poucos defeitos, não, tenho muitos, e não me lembro de alguma vez ter escrito que tenho poucos. Isso faz de mim uma pessoa melhor do que os outros? Não, isso já é um julgamento seu.

  34. Ainda bem que a pipoca não aceitou… com este mediatismo todo, mesmo que ela tivesse o melhor video do mundo iam logo cair nas criticas por dizer isto e não aquilo, por ter a camisola a combinar com o sofá, porque tem um blog e é fútil… é que era tiro e queda.

    Aliás a pipoca só de fazer um comentário sobre este assunto já apareceu algumas coisas a falar mal sobre ela… mas pronto.

    Eu concordo que o video da Maria Guedes nem está mau, o problema é que ela foi na corrente da polémica e começaram a criticar tudo e mais alguma coisa no video dela. E é porque diz treUze (como muita gente de Lisboa que também diz vermAlho, coAlho etc, é sotaque carago!), e é porque diz que quer menos mas depois diz que quer uma casa, e é porque se disse que queria mais um bebé para encher a casa é porque já considera os bebés como um objeto…

    epah que doença!!

    Concordo que a ideia da Samsung até tinha potencial, até escolher alguns dos bloggers e estragaram tudo…

    http://catarinosca.blogspot.com/

  35. Amadorismo do princípio ao fim, da parte de todos os envolvidos.

    Já que tocou no tema e não estou familiarizada com o assunto, pergunto-lhe: um jornalista de profissão pode, no seu blog pessoal, fazer publicidade a marcas? Isso seria eticamente discutível ou a partir do momento em que o blog é pessoal, a questão deixa de se colocar?
    E quando faz publicidade a uma marca no blog pessoal e, mais tarde, faz uma peça jornalística a respeito da mesma marca, é injusto para com o o jornalista pensar-se que se trata de uma troca de favores?

  36. Realmente foi uma grande falha da Samsung. Do princípio ao fim. Não conhecia a Pepa, mas conheço bem o blog da Maria Guedes. É o único blog de moda que sigo, porque é despretensioso, agradável e terra-a-terra. A imagem com que fiquei da Maria, naquele vídeo, foi o oposto. Achei-a, até, um pouco irritante e acredito piamente que ela não o seja. E esta foi uma opinião formada antes da polémica rebentar. Resumindo, a Samsung, para além de dar uma imagem errada (assumo eu) das bloggers, ainda manchou a sua própria imagem.

  37. Independentemente da minha posição sobre pessoas fúteis ou pessoas com vidas ou interesses fúteis – Acho que é muito fácil, a posteriori, como é feito aqui, vir-se criticar de alto a baixo a tal Pepa. Já sei que vai dizer que não o conheço de lado nenhum (é verdade), e que só conheço o que escreve. Mas se a Pepa, do que mostrou nesse vídeo, parece uma miúda "imatura", "inocente", "fútil" (atenção,não estou a afirmar que acho que parece, estou a citar o que escreveu), então o Arrumadinho, do que escreve, parece uma pessoa extremamente sobranceira, que acha que nunca erra, e que é o "paizinho" que pode dar os conselhos todos e opinião, e que se tivesse sido consultado pela Pepa para supervisionar o video, então teria saído a maravilha das maravilhas no mundo da publicidade. Please! Um bocadinho mais de humildade não lhe ficava mal, para alguém que pugna por tentar ser uma boa pessoa e melhor que os outros, pessoas cheias de "vícios" e defeitos.

  38. só mais uma achega: ainda n tinha visto os vídeos e quando percebi a ligação SAMSUNG-bLOGGERS, achei algo desfasado, apesar de por outro lado dar uma imagem de moderno, citadino, actual… mas convenhamos bloggers, era como aparecer o CristianO Ronaldo num anúncio ao "Talho do Armindo" de Alguidares de Baixo

  39. Nem do video da maria gostei. Safa se porque ela é de facto um caso a parte mas de qualquer modo o produto final não é cuidado e o treuze é um exemplo disso. Mas concordo contigo. Como é que a samsung deixou passar aquilo? ! E é um alerta para os bloggers. Que vao ter de exigir ver o produto final antes de ser lançado para nao se "queimarem".

  40. Eu acho que o objetivo da Samsung foi cumprido, de propósito ou não.
    Se não fosse a polémica, o vídeo não seria viral e a grande maioria das pessoas nunca o veria… Assim, no meio do discurso oco, dos tiques e de tudo o resto, o que também fica na cabeça é a máquina de fotos branca (tão feminina, sei lá…)que muitas irão espreitar à loja e até comprar, mesmo não se identificando em nada com a menina do vídeo.

  41. Eu acho que o objetivo da Sumsung está cumprido, propositadamente ou não. E isto porque, ao ver o vídeo da Pepa, no meio de todo o parlapier de tiazocazinha, vi uma máquina fotográfica branca (bem gira e feminina). Mesmo não me identificando nada com aquele discurso, com os tiques, com os desejos ou com a maneira de ver o mundo, a máquina ficou na cabeça e, quem sabe, se não vou ali à loja espreitá-la.
    Se não fosse a polémico,o vídeo não se tinha tornado viral e a maioria das pessoas nunca o veria e não conheceria os produtos. Esta é a ideia da marca, acho eu…

  42. Sinceramente o video da Pepa não me chocou assim tanto.. mas pronto eu também não moro na Brandoa nem gosto de ir passear para o Colombo "porque parontos".

  43. desculpe não percebi…que mal tem o verbo fazer? como é que as crianças aparecem? elas imaginam-se? projectam-se? Simplesmente a rapariga usou o verbo fazer como podia ter usado o verbo ter sei lá. Tenho a certeza que não se estava a referir ao acto de «fazer» a criança não é? Ai sinhor(a) por favor…Tanta coisa para dizer vai me pegar no verbo…

  44. Olá Ricardo!
    Sou um leitor recente do teu blog mas aprecio mt o teu trabalho por isso Parabéns!
    Analisando o caso da Pepa no anúncio da Samnsung, e comunicador como tu, permite-me discordar da tua seguinte frase: "Ao ser um dos primeiros está, imediatamente, a marcar a imagem que temos da pessoa que está a falar. E a imagem que salta logo à vista é a de uma pessoa fútil, algo agravado, claro, pela pronuncia acentuada que ela exibe. Tudo o mais que ela venha a dizer está condenado, porque o que disse antes estragou tudo, minou a mensagem." Eu percebi o que tu quiseste dizer, mas se a marca pretendia associar-se àquela blogger em específico, o responsável pela edição do video deveria realmente ter mais cuidado na composiçãoe setética da mensagem que a blogger quis passar! No entanto, se esse responsável ou até o seu supervisor tivessem em edição alterado a ordem do polémico desejo da Pepa estariam na mesma a compactuar com a futilidade e avareza da pessoal! E isso Ricardo, nada nem ninguém poderá alterar pois nota-se que faz parte da personalidade da pessoa e a Samsung estaria de qualquer das maneiras a permitir essa falha, só inverteria a sua posição, mas o sentido seria o mesmo! Neste caso foi uma má decisão e km td sabemos mt bem as redes sociais t~em cada vez mais um impacto fulcral na forma como as pessoas avaliam as marcas! Não obstante, acredito que a Samsung n saíra assim tão prejudicada mas que lhes sirva de lição que mesmo trabalhando com profissionais existe a possibilidade de se cometerem erros, quanto mais com amadores!

  45. Muitos parabéns pelo texto. Foi de longe o melhor que li acerca do assunto. Foste sincero, assertivo e não te deixaste dominar pelo medo que uma trivial acusação de parcialidade te poderia causar. Concordo com tudo o que disseste: a samsung é das principais culpadas pois mesmo sendo uma grande marca não soube gerir os conteúdos a passar. Era tremendamente inevitável que, numa sociedade que está a passar por tantas limitações, uma pessoa que dizesse que o sonho dela para 2013 era ter uma mala fosse alvo de críticas duras. Ninguém tem nada a ver com a vida dela nem sequer com o que ela faz ao dinheiro: certo; todos temos desejos materialistas:certo. Agora não se pode usar isso numa campanha dirigida à população em geral numa época como esta. À parte de tudo o resto, e como disseste bem, qualquer um teria percebido que isso ia dar porcaria. Espero que isto passe depressa e que não atrapalhe o trabalho dela. Ninguém tem o direito de fazer isso.

    http://ovagoencanto.blogspot.pt/

  46. Arrumadinho mais uma excelente análise!!
    mas com isto tudo quem vai beneficiar é a Samsung com tanta publicidade gerada num só dia e a Pepa que vai ter mais visitas no seu blog de curiosos para ver o que "menina da mala Chanel" escreve…

  47. Mal vamos nós quando temos de ter cuidado com o que dizemos com medo da reacção do público. Não se pode dizer nada que fica logo tudo indignadinho e podes ser visto desta ou daquela forma.
    Parece "censura democrática", podes dizer o que quiseres, mas cuidado com a reacção do público e com o ridículo!
    Eu quero ser podre de rico! Mas tão rico, tão rico que espero que todos se indignem por ser espampanante e ter desejos fúteis!
    Com as notícias publicadas na net sobre isto, também se percebe porque a campanha falha, o director criativo é um dos blogers. Ou seja, a falta de filtro e a vontade de protagonismo resultou mal. Mas pedir desculpa…desculpa do quê? Fazer uma campanha que não resultou? Porque as pessoas ficam enxofradinhas por terem pouco e haver uma tipa que quer uma mala? Ambicionem e trabalhem para ter muito!

  48. Anónimo, mas o que se põe em questão em páginas do facebook e afins, é efectivamente o facto da rapariga querer comprar uma mala da chanel. Se me forem falar ao nível da dicção, pois, concordo que não será a mais adequada para o que se pretendia, mas infelizmente há coisas que não dá para mudar, eu sou alentejana, tenho um sotaque "valente", e nem que me pinte irei deixar de tê-lo! E muitas vezes também tenho que ouvir certas "brincadeiras" de pessoas que não são alentejanas…

  49. A questão é que, ao querer aproximar-se das pessoas (consumidores), a samsung julgou poder fazê-lo usando gente consumista com uma mensagem a roçar o fútil, provavelmente intencional na medida em que a compra de um artigo samsung de última geração releva vulgarmente mais de capricho que de necessidade imperiosa. Se as pessoas escolhidas tivessem um discurso menos óbvio e uma entoação menos afectada talvez a campanha passasse com o público alvo a sentir-se identificado com aquela pequena futilidade de se querer uma marca conceituada, razoavelmente compreensível num mundo consumista apesar da crise, onde muita gente se identifica com marcas, como reflexo de um estatuto ou imagem que se quer transmitir. Mas a campanha resvalou de uma sugestão subtil para o excesso e a insensibilidade. Quanto à Pépa (ou Pêpa, ou ainda Pepa, segundo as muitas grafias utilizadas) é daquelas pessoas que, a julgar pelo vídeo que protagonizou, suscita o desejo de, em 2013, não deparar com tal alma tão desligada da realidade…

  50. Parabéns! Muito bem dito. Também defendo que a grande falha é da marca. O que estaria a Samsung a pensar quando convidou as pessoas que convidou? Não tenho nada contras as pessoas mas os videos parecem-me um reflexo dos seus blogues. E se não existiu supervisão sobre os vídeos, deveria ter existido. Não gostavam, pediam videos novos. Até porque convém não esquecer que os vídeos não são um favor feito à marca. Certamente que há algo envolvido neste projecto.

    homem sem blogue
    homemsemblogue.blogspot.pt

  51. "Quem faz um filho, fá-lo por gosto", como escreveu o grande poeta Ary dos Santos.

    Qual é o problema do verbo "fazer"?
    Gente tão púdica!

  52. Aliás, destes todos, o da Maria foi o que mais me desiludiu, pq curiosamente das outras pessoas, a ideia que tinha formada era exactamente aquilo que vi, da Maria não, tinha-a muito mais em conta do que efectivamente me parece AGORA ser.

  53. Caramba, estiveste bem melhor do que a tua mulher no comentário que fizeste! Porque a pipoca fala de uma possível "manobra" daquilo que passa cá para fora, mas o problema aqui é que passou exactamente a imagem de amadorismo, de algo não editado, não trabalhado, ou seja, passa a imagem daquilo que as pessoas são exactamente e sinceramente não gostei, de nenhum deles, nem do da Maria!

  54. Foi uma campanha amadora a todos os níveis, e levanta sem dúvida muitas questões sobre a gestão das relações marcas/bloggers. Mas crucificar a pequena com tanta grosseria é um exagero. Onde estava a equipa de comunicação que devia ter gerido a produção e edição dos vídeos? E como é que se entrega a direcção criativa a um dos bloggers interessados? Parece-me que por ser uma campanha para New Media, logo com menos custos, acharam que não tinha importância. E já se sabe – o barato sai caro…

    http://jessi-aleal.blogspot.pt/2013/01/a-polemica-e-tonteria-da-samsung.html

  55. Olá!
    Mas com o estalar desta confusão toda só vejo duas coisas, ou há azares que dão em sorte ou há realmente alguém que tem uma visão muito à frente!
    Se não fosse este burburinho todo, nem 1/3 das pessoas tinha ido ver os vídeos e falava da Samsung neste momento.
    Isto é que foi uma bela campanha! Mais rapidamente as pessoas falam mal do que bem, e foi por aí que eles ganharam! Pôr toda a gente a falar, não importa se bem ou mal!

    Abraço

  56. Concordo a 100%. Quero lá saber se deseja uma mala Chanel ou uma Prada. São desejos tão legítimos como outros quaisquer. Agora o que me provoca urticária é mesmo a forma de falar.

  57. epa é só de mim mas dos 3 que vi: pepa, susana e maria, pareceu-me que esta última conseguia ser mais perigosamente fútil do que as outras. É que não é por nada, mas o próprio filho estava ali a funcionar quase como um "adorno"; um "objecto fashion", ainda que possivelmente de uma forma inconsciente. Esta Maria é tão "mazinha" como a Pepa naquilo que diz, pese embora o linguajar um tanto ou quanto mais apurado.

  58. Estão todos mal, Ricardo. Uns mais que outros, mas estão todos mal e maus!
    A da MG é semelhante ao da outra desgraçada. Tira a parte do puto e fica igual.
    Quero menos, mas depois fala em viagens de 2 a 3 semanas? Quer menos e quer uma casa nova e maior?
    Quer largar o filho? AHAHA! E logo 2 semanitas? E depois quer outro?
    Quanto à desgraçada, ela mostrou aquilo que é, porque assim o quis. Claro que é fútil e desfasada da realidade.
    Eu por mim, achei excelente porque gosto de gozar com os outros e com as imbecilidades dos que se acham…acima da média digamos assim.
    Abraço

  59. Alguém já se deu ao trabalho de visitar o blog da Pepa? Tem tão pouca qualidade como a prestação dela no vídeo. É só mais isso, um blog de moda muito mal escrito, e com trivialidades. Já o mesmo não se pode dizer do blog da Maria Guedes, por exemplo. Infelizmente, a Pepa não tem nada para dizer, e no final de contas, o desejo da mala Chanel nem é o pior. E muito honestamente o 2000 e treuze da Maria Guedes quase passa despercebido, porque a Stylista tinha muito mais para dizer, e é sem dúvida alguma muito mais interessante.
    Só uma última coisa, essa espécie de desculpa do "ai eu e a minha mulher até tivemos umas propostas da Samsung e lalala mas recusámos" é no mínimo… ridícula e nem valia a pena ser mencionada…

  60. Arrumadinho, nao tens mas devias ter (algo a apontar ao video da Maria Guedes) a rapariga passa o tempo inteiro a dizer "em dois mil e treUze".

  61. já pariu uma criança para saber se é preciso ter coragem ou não? eu não, mas como mulher aposto que deve estar ligado à dor do parto. Não sei, talvez assim só por acaso. Espero ter coragem para ter um rebento, porque pelo que imagino do assunto deve doer para caraças. Realmente, não percebo porque se diz isto…Mais valia ter ficado um anónimo ausente

  62. Não, ela falou em sorte, tempo para a família e depois é que veio o da carteira. Nesta ordem, sem tirar, nem pôr. Nenhum dos vídeos foi bom, nenhum dos bloggers diz uma para a caixa. Nem ela, nem a Maria Guedes que é clix.pt mas não deixa de ter sido mais um fiasco. Ela própria o admitiu no blogue.

  63. bom resumo, acabei de comentar o post da pipoca mas acho agora que bastava ter lido os blogues na ordem inversa.
    Concordo mais com a tua forma de expôr o assunto mas penso que apenas difere na da pipoca por estar mais explícito e ordenado.
    O assunto ganhou uma proporção desmesurada por ter surgido na blogosfera. Agora está na hora de seguir em frente e deixar de dar atenção a palermices ditas por uma miúda pseudo-modas.

  64. O problema não é a malinha chanel… é o tom não-me-toques-que-sou-de-porcelana… nunca na minha vida tinha ouvido uma pessoa a falar de forma tão afectada.. revolveu-me o estômago

    Ass. Pessoa de muito bem com a sua vida, que compra o que tem a comprar e que não está interessada no que os outros fazem ao seu dinheiro.

  65. Já muita vez discordei contigo.. mas agora falaste tão tão bem 🙂

    Quanto ao assunto Pepa… do conteúdo da mensagem só me fez espécie a Chanel como "conquista pessoal"…O que fez mesmo impressão foi o modo de falar, a postura, o sotaque, "tipo", "sei lá"… era de caricatura, pôs-me os nervos em franja…

  66. O problema é o tom/pronúncia da voz. É isso que é cómico.

    Quem aprovou isto é de certeza (juraria) da mesma "família" e nem percebeu como os "comuns" portugueses olham e gozam com estas pessoas, vulgo betos.

  67. "num país amargo e amargurado, sensível e sedento de devorar quem se atreve a mostrar uma veia mais consumista em tempos de crise."

    Nem que fosse só por esta brilhante, bem escrita e tão verdadeira afirmação, o texto todo já valia a pena.

    Isabel

  68. Concordo com o que foi dito e mais…sendo a menina uma fashion adviser/blogger nao deveria saber referenciar com exactidão o modelo da mala a que aspira?! Uma profissional, portanto…

  69. Se eu não soubesse que tinha sido uma campanha publicitária, pensaria que aquele vídeo era uma caricatura, um sketch de um programa de humor, mas sem piada. Ainda assim, coitada da miúda.

  70. Concordo plenamente contigo, mas esta polémica não acontecia se todas as portuguesas pudessem comprar uma mala da chanel, de certeza!! Na minha opinião, mais do que o video em si é o modo de pensar da maioria dos portugueses.. Nós estamos em crise, mas felizmente há pessoas que continuam a poder viajar, continuam a poder comprar malas da chanel e a fazer grandes excentricidades! E o problema reside no facto de que o português se está mal, todos os outros têm que estar também, se há crise, TODAS as pessoas têm que estar em crise. Isto é revoltante!! Se eu pudesse eu também compraria uma, duas, três, as malas que eu quisesse da chanel, se eu pudesse também ia de ferias várias vezes por ano para os destinos mais caros e depois??? Isto é que me deixa revoltada com a maioria do povo português!

  71. "num país amargo e amargurado, sensível e sedento de devorar quem se atreve a mostrar uma veia mais consumista em tempos de crise."

    Meteste o dedo na ferida.

  72. O da Maria também não está assim tão bom! Perdoem-me a sinceridade mas dizer " ahahah quero ter coragem para fazer outro filho" fica mesmo bem no video!

  73. Já li em dezenas de blogs sobre este assunto, mas tenho que assumir que o Arrumadinho diz exatamente o que eu penso. Apesar de tudo estava a ler em voz alta para o marido ouvir e até me encolhia toda ao imaginar quem lhe cairá em cima. Ah grande par de tintins. Eheh
    um beijo

  74. revoltadinha lol10 Janeiro, 2013 15:55
    fico triste, fico muito triste.. a samsung tem ajudado programas de investigação portugueses e o governo tem andado a bloquear as verbas para a investigação, dinheiro que não lhe pertence e é intocável.. fazia um apelo já que estão tão interessados na samsung que se revoltem contra isso porque está em causa o futuro de muitos investigadores que trabalham para desenvolver esses produtos todos catitas. Como jornalista Ana peço-te encarecidamente que investigues e exponhas isso, ou então peças ao teu marido que é o suposto expert em gadgets. Acho que o problema de Portugal passa por aí, darem mais importância a esta miúda que tem o desejo de ter uma channel e que não é nenhum crime, do que dar importância a algo que é efectivamente um crime. Os vossos impostos não estão a ser gastos na channel desta miúda, estão a ser gastos com este governo de maus gestores!

  75. O bom disto tudo é que no fim de contas e como vivemos numa época tão imediatista,frenética e "social", até mesmo as coisas negativas ( neste caso parvas ) esquecem-se rapidamente. Depois de amanhã já ninguém se lembrará
    de Pepa e sua Chanel! ( Talvez o Castelo Branco…)
    Nada tenho contra a rapariga mas fez-me mais confusão a sua maneira de falar claramente "wannabe" do que propriamente o pedido que faz ao pai natal… 😉

  76. E acho que apolémica não é a mala, nem o raio dos desejos da rapariga, que acredito que se acabou um mestrado deve ter dois dedos de testa, ou talvez não porque qualquer merda se forma hoje, mas à frente, o problema mesmo, é aquela maneira supé fútil e tiazorra de falar, ai é que o caldo ficou entornado. Porque aquele sotaque de tia a dizer que o desejo para 2013 é comprar uma mala chanel com o dinheiro dela foi a bomba perfeita!

  77. Pegando um pouco nas tuas palavras, eu vi todos os videos e SÓ o da Maria estava de facto decente! Ela sim é um exemplo e, por mim, a campanha tinha ficado por aqui. Qualquer outro video só veio estragar e o da Pepa nem se fala no que causou. Acho que escreveste muito bem e admiro por seres blogger e não estares por isso aqui a tentar defende-la o que eu acho que não tem como ser feito! A forma como interpretaste toda esta situação, na minha opinião, não poderia estar melhor e só me fez perceber, mais uma vez, porque não consigo deixar de seguir este blogue! bjinho*

  78. Sinceramente não vejo o porquê de tanta polémica. Sim, a Pepa passa a imagem de que é uma miúda muito fútil, com um sotaque que eu nem sabia que existia de tão acentuado, mas e depois? O ano correu-lhe bem, e, muito possivelmente, tudo o que se passou no ano passado passou-lhe completamente ao lado, tal como, infelizmente, à grande maioria dos jovens da geração dela. É uma questão geracional. Os miúdos de agora não estão informados, não se interessam, e também não me parece que haja um esforço no sentido de os interessar. Correu mal e, coitada, está a ser massacrada pos isso, mas caramba, também tem direito a ter como aspiração uma mala Chanel, porque se calhar no mundo dela tudo o resto está bem. Quem tratou da campanha devia, como bem o dizes, ter sido mais cuidadoso na montagem da campanha. Paciência, fica para uma próxima.

  79. Arrumadinho, sabes o que eu acho? Que a mala é o menos, o problema é o tom queque-tia que a Pepa tem, não é do nosso dia a dia e OBVIO que ia ser gozo total, em que país é que a Samsung vive? E sabes que mais? tenho pena da Pepa, porque ela é assim e cada um é como é, mas no fundo é um "produto de nicho" que o mainstream ainda nao entende. E isso a samsung para seu bem e da Pepa devia ter percebido inicialmente que um produto de nicho nunca pode ser colocado num massivo facebook.
    Termina e mal com a Samsung a assumir que fez coco, em vez de ter pensado numa forma inteligente de virar o jogo a seu favor. enfim, meninos.
    Mas ao mesmo tempo mostra a raiva que esta gente tem dentro dela, credo.

  80. Resumiste esta polémica toda na perfeição. Admito que concordo que ela se pôs a jeito, embora considere que isso não dá a ninguém a permissão para enxovalhar uma pessoa. Ela tem sido ridicularizada.

    É como bem dizes, muita imaturidade da parte dela. Caramba, eu também quero muita coisa, mas se me perguntassem quais os meus sonhos para 2013, a minha resposta seria "família, amor, trabalho e muita saúde". Isso sim, é importante. Depois podia falar das viagens, das malas, das roupas, dos pássaros e dos gatos. Mas as prioridades, permite-me a repetição, devem vir em primeiro. As futilidades deverão ficar para segundo plano.

    Agora o erro é todo da Samsung. Não sei como raio uma marca tão forte aceitou isto.

  81. Clap, clap, clap…

    Clap pela mensagem, clap pelo esclarecimento, clap pelo respeito ao código deontológico dessa mui nobre profissão que é a tua.

    Mas a Samsung também beneficiou um pouco, afinal, só o simples facto de eu fazer este comentário já é publicidade (é negativa, mas não deixa de ser isso mesmo, publicidade).

DEIXE UMA RESPOSTA