O aniversário

0
8939

Está a aproximar-se perigosamente o meu dia de aniversário.

Sim, já estou na fase em que digo “aproximar-se perigosamente”.

Sim, não acho muita graça a fazer anos. E o número 36 já não soa tão bem como 24, 27 ou até 31. Mas pronto, é o que é.

E é sempre nesta altura que começo a ouvir a esposa, os pais e os irmãos com a conversa do “mas o que é que tu queres para os anos?”. E eu nunca sei. Porque não sei, efectivamente. A bem dizer, não há nada que me faça verdadeiramente falta, nem que queira mesmo muito ter. Quase tudo o que preciso vou comprando e eis que chegamos a esta altura e a única coisa que me falta mesmo falta é tempo para aproveitar melhor a vida.

Por isso, não tenho lista de presentes. Tenho uma lista de sonhos, de desejos e ambições.

As viagens
Quero muito ir aos Açores. E a Berlim. A Budapeste ou a Moscovo. São viagens mais pequenas que nunca fiz, que passaram sempre para a categoria do “isso vai-se lá em qualquer altura”. E essa altura nunca chegou. Por isso, se me querem fazer feliz, amigos, vizinhos, mulher, pais e irmãos, juntem-se todos e façam-me um porquinho viagem para ir viajando, dentro do tempo limitado que tenho.

A loucura

Há muito que gostava de juntar à minha passadeira uma pequena plaforma vibratória de treino. É um equipamento interessante, que acho que me poderia ser bastante útil e complementar os meus intensos treinos matinais.

Os luxos
Não me fazem falta nenhuma, mas há dois luxos pelos quais ainda vou perder a cabeça. O primeiro, é um sonho antigo (meu) e um pesadelo antigo (da minha mãe e da minha mulher): uma Vespa. Já tive mota durante muitos anos, sobrevivi, sempre fui cuidadoso e nunca tive assim nenhuma grande chatice. Uma queda ou outra, nada de especial, nada de grave. O prazer de andar de mota bate em larga escala os sustos que apanhei.

O outro luxo é um LED Samsung ES7000s, uma smartv de 55 polegadas. Temos uma de 47 na sala, mas, talvez por influência de um amigo meu, começo a achá-lo pequeno. Tem também outra limitação: a entrada USB não lê ficheiros de vídeo (que hoje em dia praticamente tornam os leitores de CD obsoletos). O nosso LCD já vai fazer cinco anos, não está propriamente velho, mas também não é o supra-sumo da modernidade. Pode ser que um dia destes se consiga um brinquedo destes. Até porque quero perceber melhor o fenómeno “smart tv”, o que é, para que serve, as utilidades, as diferenças, o potencial. E esta Samsung, segundo os especialistas (os meus amigos que percebem da coisa, vá) é a melhor do mercado.

E pronto, um post em que começo a dizer que não preciso de nada, termino a falar de coisas que gostava de ter (são conceitos diferentes). Mas aquilo que quase toda a gente gostava de ter, eu já tenho: saúde e amor. É o que basta.

1 Comentário

  1. Para relaxar, nada melhor do que os Açores. Fiz já uma viagem de 12 dias e conheci 5 das 9 ilhas. Adorei e espero lá voltar para o ano. Tenho a sorte de conhecer já vários destinos por esse mundo fora, mas os Açores continuam no meu coração. As paisagens são de cortar a respiração e a comida é do melhor. Budapeste também é lindíssima e Berlim muito cool e cosmopolita. Moscovo não conheço aina e faz parte da minha lista. Boa viagem!

  2. Arrumadinho, volto a avisar-te mas espero que saibas que o que vou escrever é só para que saibas no que te podes meter, não critico nem acho nada de mal se quiseres comprar uma Vespa: DÃO MONTES DE CHATICES! Bom, estou a falar da do meu marido, uma PX200. Na volta as mais recentes já não dão tantos problemas.

    Quanto ao resto, sonhar é bom 🙂

  3. …quase a chegar o dia, eu faço a 17! e o meu melhor presente seria mesmo entrar no avião sem saber o destino. Por agora, espero que esteja Sol nesse dia. 🙂

    magda m.

  4. Se optares por Budapeste, posso-te dar depois umas dicas.
    Adoro a cidade. Edificios imponentes e cheios de história.
    Os Açores também ando para lá ir. Convites não me faltam e dizem que é lindo tb!

  5. Arrumadinho, quando te disserem que os Açores são só verde e vacas, não acredites 😉
    Nasci e cresci nos Açores. Vim viver para Lisboa quando entrei para a universidade. No Inverno acho aquilo um tédio, é bem verdade. O tempo chuvoso, o nada-para-fazer, horrível, mesmo. Não recomendo a ninguém. Sou pessoa que gosta de agitação e barulho, e Lisboa tem disso q.b.
    Mas no Verão.. No Verão nada bate as minhas ilhas! O mar sempre já-ali para um mergulho (esta história de ter de andar de comboio/autocarro para ir para a praia aqui, incomoda-me mesmo). O céu azul a perder de vista. As noites quentes. O ar puro. O cheiro. O cheiro das ilhas no Verão é uma coisa que não se explica, não dá. Só mesmo sentindo (:
    E as piadolas que os continentais (sim, é assim que vos tratamos) fazem sobre sotaques e 3º mundo.. A sério.. Do meu grupo de amigos da faculdade eu sou a única que sempre vivi na cidade. Eles dizem "Ai, eu sou de cidade X." Não são. São de uma aldeola qualquer a dezenas de quilómetros. "Ai, mas as cidades dos Açores não são bem cidades..". 'Tá bem, e depois nós é que somos os atrasados.. A maioria deles não faz sequer ideia de como é um avião por dentro.

    Espero que um dia vás mesmo lá. Eu recomendo o Faial, que é a minha ilha do coração. (E a vista para o Pico não há outra igual no país inteiro) Fico à espera de relato! 😉

  6. Se conseguir receber uma Vespa, diga-me quem foi a alma caridosa, pode ser que tambem me dê a mim, é que para o meu aniversário fartei-me de pedir uma e nada 🙁

    Todos me perguntam, para que quero uma Vespa, muito sinceramente a resposta é óbvia, para andar nela 😀

    Gila

  7. Acho que vais adorar ter uma smart tv quando te habituas começa a ser algo bem útil, nem que seja para ver a metrologia lol. Eu vejo desde exercícios que podes selecionar, a receitas de cozinha. Dá-me jeito sobretudo se quero ver vídeos do Vimeo, que hoje em dia têm grande qualidade. Alias eu vivo em Espanha e costumo ver um programa português pelo Vimeo 🙂

  8. TV bem escolhida!
    As melhores do mercado são as Samsung, sem qualquer dúvida.

    Comprei um LCD em Janeiro numa promoção fantástica na Worten (menos 200€ do que está marcado neste momento…) Adoro! Não troco por a outra. 🙂

    @Suspeita

  9. Votaria na viagem aos açores! =D

    (e como quem não quer a coisa, agendava um lançamento do livro cá, porque acredito que para além de mim havera também imensos fans!)

    JOP

  10. Arrumadinho, um homem tão viajado e não conhece os Açores?? Grande falha! 😉
    Só conheco S.Miguel, mas é absolutamente lindo!! Por mim ia lá todos os anos. 5 dias e vê-se bem a ilha. Tem sítio fantásticos. Para quem gosta de natureza e sossego é o ideal. E deve-se andar sempre com o fato de banho atrás, nunca se sabe quando vamos encontrar um sítio para tomar um banhinho quentinho.
    Recomenda-se.
    Partilho do seu desejo de ir a Moscovo. Mas também gostava de ir a S. Petersburgo.

    http://chicca-maria.blogspot.pt/

  11. Arrumadinho,

    Parece-me evidente que efectivamente nada te faz falta. Porque não pedes à família e amigos que este ano, em vez de te oferecerem coisas de que não necessitas, façam doações a instituições de solidariedade social em teu nome?
    Acho que te ficava bem 🙂

  12. Os Açores são um paraíso natural. Tudo muito verde, muito ‘ao natural’, ainda muito pouco trabalhado (ou estragado, vá) pelo Homem… Sem dúvida um destino português que vale a pena visitar. Sou do Porto e quando visitei os Açores tive a sensação que estava num planeta diferente. Fiquei muito impressionada com aquilo que encontrei! Locais extraordinariamente limpos, locais para piqueniques públicos com tudo ao dispor para se confeccionar as refeições ali mesmo (lenha, para as churrascadas tão à portuguesa, bancas com água, …), pessoas muito prestáveis e um clima óptimo (pelo menos no Verão).
    Na ilha de S. Miguel aconselho que visitem o Nordeste, absolutamente lindo!

    JOS

  13. Budapeste é lindo. Principalmente o passeio de barco… Pena a miséria que, afastando-te um pouco do centro turístico vês por todo o lado.
    Já agora uma sugestão, quando fores a Budapeste, se puderes dá um saltinho de um dia a Bratislava. É uma capital pequenina, muito diferente do que estamos habituados a ver e tem um centro histórico muito arranjadinho e bonito.

    Açores tb é lindo, mas é verde e vacas. Ponto. Mas lá bonito é.

    Berlim não gostei tanto, mas vale a pena visitar. Se fores visita as galerias KaDeWe. É uma coisa assim entre Corte Inglês e Harrods (nem tão mau como o ECI nem tão bom como Harrods, em minha opinião). Mas vale a pena visitar. Principalmente se gostas de compras (e eu sei que gostas). As KaDeWe são consideradas das melhores (senão a melhor) galerias comerciais da Alemanha (dito por um dos accionistas de uma empresa minha cliente – do sector da moda e que trabalha para grandes marcas de roupa de praia – , que é alemão).

    Moscovo é um dos sítios que tenho ainda em lista. Gostava muito de lá ir. Quando vivi em Bratislava estive para ir a Moscovo e S. Petersburgo… mas já foi há uns anos e ainda não era tão fácil o visto (além de caríssimo). Fica para um dia… próximo, espero. 🙂

    Eu, que sou uma apaixonada por viagens, ia adorar receber uma de presente!!!

    Já estás a ver que estou a torcer para que recebas uma.. E depois não te esqueças de contar por aqui como foi. 🙂

  14. O meu mano tem uma TV dessas,mas penso que é a ES8000…julgo que é isso já que não percebo nada dessas coisas:) Até comprou uns quantos pares de óculos para ver em 3D. Tb é um viciado nessas coisas, hehe:) bj!

DEIXE UMA RESPOSTA