Homens, vassouras e sexo

0
2772

Pronto, foi desta que os cientistas se passaram mesmo. Eu nunca fui muito de acreditar em estudos, até porque o que um estudo defende hoje é precisamente o contrário do que um outro estudo defendia há duas semanas. E este é mais um, mas pronto, já sei que vai dar que falar.

Vamos lá então. Segundo o sociólogo Scott Coltrane, da Universidade de Riverside, na Califórnia, “em geral, quanto mais tarefas domésticas os homens fizerem mais felizes estarão as mulheres”. Até aqui tudo bem. Até poderia dizer que o contrário também se aplica. Seria mais feliz se não tivesse de mexer uma palha em casa, o que claramente não acontece. Prosseguindo. Mas depois o senhor Coltrane borra a pintura quando diz que existe uma relação entre a quantidade de tarefas domésticas que o homem cumpre e a quantidade de relações sexuais que tem. Aaaaalto aí, rapaz. Sei que deves saber de cor as teorias de influência de Saint Simon no pensamento de Auguste Comte mas de relações não deves perceber grande coisa (até porque deves ser um nerd académico, daqueles que não têm sexo a vida inteira).

É claro que se as tarefas domésticas forem divididas sobra muito mais tempo para o casal. Não é preciso tirar doutoramentos para perceber isto. Mas desde quando é que isto é um major turn on para as mulheres? Vocês, que estão desse lado, digam de vossa justiça. É claro que todas adorariam ter um marido participativo, activo em casa (assim como eu), mas daí a isso deixar-vos loucas de desejo acho que vai um passo de gigante.

A quantidade/qualidade do sexo depende, seguramente, de 467.546 factores mais importantes do que a divisão de tarefas domésticas. Eu até poderia falar delas aqui, mas teria de escrever uma enciclopédia. Pode ser que daqui a uns tempos comece a soltar uns posts sobre essa temática.

Há ainda outra explicação, e se calhar é disso que o senhor Coltrane quer falar. São os homens que têm de fazer tudo em casa e, depois, para se vingarem, vão às putas. Deve ser isso.

1 Comentário

  1. No que me toca, gosto de justiça, se trabalho também gosto que trabalhem à minha volta, até porque se não houver ajuda, ficaria sobrecarregada de trabalho e sem tempo livre. Quanto a sexo, o mais poderoso mecanismo de excitação feminino é o cérebro… E a fase de "encantamento" dura só nos primeiros tempos, depois há que cultivar o amor, para colher os frutos… E isto é válido não só para os homens, mas também para as mulheres!
    Eu acredito na lei do retorno: Pratica o bem e serás compensado. Just as simple as that!

  2. Haha o que me ri com o comentário da Pilar, deve ser uma fustrada qualquer, pois diz que nos casamentos longos o sexo não passa de uma tarefa doméstica. Arre!!! Não faço a minima ideia a idade que tem nem o que lhe vai na cabeça, mas olhe que os casamentos longos têm sexo bom e de obrigatório nada!! Coitada, é mesmo de ter pena!!

  3. Em parte concordo!!
    Quando o relacionamento vai bem e ambos têm vontade de sexo, o facto de as tarefas domésticas serem partilhadas deixa mais tempo livre para o bem bom.
    Agora se a relação já não estiver no seu melhor e a mulher já não tem vontade de sexo, acho que realmente ele pode acontecer em retribuição de o homem ter ajudado nas tarefas domésticas

  4. Claro que o estudo tem razão! Falo por mim: fico muito mais querida com a minha cara-metade quando ele se mostra assim, bem comportado.

  5. Para as mulheres os preliminares para sexo a noite começam de manhã, nunca ouviram dizer? Se uma mulher vir o marido/namorado/parceiro ajudar nas tarefas domésticas, não só vai estar menos cansada para a brincadeira como automaticamente fica mais disponível mentalmente. Se se sentir sozinha no mau, não lhe apetece dar do bom.

  6. isto é válido para casamentos com muitos anos. daqueles em que o sexo é só mais uma tarefa doméstica [lamento, são quase todos a partir de certa altura]. quanto mais tarefas os homens fizerem mais obrigação as mulheres sentem de retribuir. acredito plenamente neste estudo.

  7. É um estudo científico. E, como todos os estudos científicos, estuda relações verdadeiras. Os doutoramentos não são escritos como um livro, onde ele diz o que lhe apetece. Ele, com toda a certeza, estudou casos reais. Uma amostra (as pessoas que entra no estudo) significativa. Utilizou análises estatísticas que revelam, sem sombra de dúvida, que para um determinado grupo (pode ser naquela aldeia, pode ser nos estados unidos, pode ser na Europa (depende da amostra que ele utilizou) que a hipótese que ele levantou é verdadeira.
    Turn on ou não, o melhor mesmo é ir ajudando. Eu faço a minha parte cá em casa :).

  8. O que pode constituir um turn on é por ex. se o homem fizer as vontadinhas todas da sua mulher, ser um querido e fizer/ajudar nas tarefas de casa .. agora, tarefas domésticas por si só?! Please..

  9. Acho que começa e acaba no facto de o casal ter mais tempo para si. A partir daí, tentar arranjar uma fórmula matemática para quantificar, parece-me estupido.

DEIXE UMA RESPOSTA