Franky quê ou o Sporting de hoje

0
2452
Há uns meses escrevi na página de Facebook do blogue o seguinte post: “Franky quê?”.

Foi minutos após ter sido anunciada a contratação de Franky Vercauteren pelo Sporting.
Claro que houve logo comentários e mensagens de gente muito ofendida a chamar-me ignorante por não saber quem era este senhor – é verdade, nunca tinha ouvido falar dele, apesar de ter sido um grande jogador belga. Também me disseram que iria engolir o que estava a dizer, e que era um homem com títulos e provas dadas, e que iria mostrar tudo isso no Sporting.

Nunca acredite nisso. E nunca acreditei por uma razão: porque o problema do Sporting não é a falta de um treinador. É um problema estrutural, que começa no Presidente, desce pela estrutura hierárquica da SAD, passa pelo director desportivo, pelo treinador e acaba nos jogadores. Está praticamente tudo errado, nada funciona como deve ser, e continuo convencido que a única coisa que ainda apresenta consistência e resultados é a formação.

Sinceramente, gostei da postura de Vercauteren. Disse o que tinha dizer, apontou erros, culpou jogadores pelos erros, assumiu os seus, sempre com muita frontalidade. Mas o futebol não é nada disto; o futebol é a bola dentro da baliza, e isso ele não conseguiu pôr a equipa a fazer. E quando assim é não se poderá ser considerado um treinador de sucesso. A sua saída era esperada e inevitável, mais ainda depois da contratação de Jesualdo Ferreira, que voava, qual abutre, por cima da cabeça de Vercauteren, só à espera que ele caísse para o devorar. Chegou esse momento.

Como benfiquista, diverte-me, claro, perceber que muitos sportinguistas depositam todas as suas esperanças no Jesualdo, como se fosse um salvador, um técnico de reconhecido valor e grandes conquistas. Não é. Ele esteve no meu clube e eu sei bem a desgraça que foi. A equipa não jogava a ponta de um corno, e ele acabou por ser despedido depois de uma derrota em casa contra o Gondomar para a Taça de Portugal – eu estava lá na Luz. No FC Porto foi campeão, é verdade, mas foi campeão como praticamente todos os treinadores que passaram pelo FC Porto o foram, por isso, não vejo isso como algo de extraordinário.

O Jesualdo é um bom homem, um conhecedor de futebol, um entendido em estruturas de formação, um treinador de método, mas está longe de ser um revolucionário. E o Sporting precisava de um revolucionário, de alguém que abanasse toda a estrutura, alguém que trouxesse ideias completamente novas, uma mentalidade diferente, e não apenas alguém do meio, que já provou noutros clubes que não é a pessoa certa para trazer um clube de baixo para cima (ele pegou num Benfica sem chama e deixou-o da mesma forma, ou até pior).

Mas, uma vez mais, sublinho que o problema do Sporting não está no treinador, e que para que as coisas se endireitem é essencial que Godinho Lopes saia e surja alguém com um projecto sólido que perceba que o Sporting não pode vender os direitos desportivos dos seus melhores jogadores a fundos, arrecadando migalhas, não pode hipotecar os passes dos júniores e dos craques da equipa B, porque depois, quando os vender, vai receber quase nada. É preciso alguém que entenda o futebol como um negócio, mas como um negócio de paixões, em que é preciso ser cerebral, mas também emotivo, em que as sensibilidades dos adeptos oscilam a cada bola que entra ou vai ao poste. E Godinho Lopes tem provado que não percebe nada de nenhum desses assuntos. Assim sendo, resta-lhe dar oportunidade a outros.

Não há nenhum benfiquista ou portista que não sinta um prazer especial a cada derrota do Sporting, a cada lugar que desce na tabela em direcção aos lugares de despromoção. Mas como apaixonado por futebol, sinceramente, tenho muita pena de ver o Sporting assim. O futebol português só cresce com equipas mais competitivas, e o Sporting é o terceiro grande, será durante muitos e muitos anos o terceiro grande, e é importante que se assuma como tal, que volte a exibir-se como tal. É o Sporting que tem formado as grandes estrelas da Selecção (Figo, Ronaldo, Moutinho, Simão, Nani, Rui Patrício) e um clube moribundo deixará de ter condições para o continuar a fazer.

Nos anos 90, vi o Benfica a passar por uma fase semelhante (mas nunca tão grave) e nunca perdi a esperança. O Sporting vai vencer isto. Não será é com Godinho Lopes.

1 Comentário

  1. Concordo plenamente com quase tudo tirando uma coisa, isso de ser o 3º grande. Já foi, é um facto, mas virá a ser outra vez? Longe vão os tempos que o jogos eram ganhos com a camisola, agora ou se joga ou não. Talvez já ninguém se lembre mas o Boavista FC foi campeão e onde é que ele agora está, e foi considerado o "4º" grande, o intrometido entre os grandes. Talvez seja melhor a lista dos 3 grandes ser anual e não viver apenas do tempo das velhas glórias.

  2. Conheço uma pessoa ligada à formação do clube e, segundo este amigo, também o sucesso das camadas jovens está comprometido. No lugar dos que realmente percebiam de formação foram colocados os amigos (leia-se antigos jogadores do clube) que pouco ou nada percebem do assunto. Além disso, o clube deve anos de remuneração aos observadores. Assim, segundo ele, será inevitável que dentro de poucos anos o Sporting terá fracas equipas jovens. Basta ver que nos escalões de iniciados e juvenis já é o Benfica que domina.
    Como Sportinguista penso que o meu clube dificilmente se voltará a erguer!

  3. Concordo com o que disse,mas o empenho dos jogadores também é importante! E temos visto noutros clubes e até lá fora os jogadores ao mudarem de treinador terem um desempenho diferente!Só que no meu Clube já vamos no quarto!!!E a transferência do izmailov (letra pequene),passou despercebida e não é por ir para o Porto,até podia ir para o cascalheira!!é a atitude! Toda a vida andou nas birras,ronha (lesionado)!! e ontem disse que se ia entregar ao trabalho PARA GANHAR TITULOS!!!????«««

  4. O Braga, terceiro maior?
    O que é que o Braga ganhou na época passada?
    Se bem me recordo, o FC Porto ganhou o campeonato, a Académica venceu a Taça de Portugal, o Benfica ganhou a Taça da Liga Lucílio. E o Braga? O que é que ganhou?

  5. O Jesualdo conseguiu a proeza de conduzir o Benfica a um sexto lugar no campeonato, é um artista da bola. Além disso, é aquilo que eu vulgarmente chamaria "oportunista". Nem sei como não é consultor de qualquer coisa. É manager, quase o mesmo. Espetou cimitarras em costas como as de Vercauteren, no Sporting, ou Nelo Vingada, nos sub-21, depois da campanha dos jogos olímpicos de Atlanta (4ºlugar). Assinou pelo Boavista e passados uns dias virou costas e foi treinar o Porto. É um indivíduo pouco recomendável e que de futebol percebe tanto como eu de estudos sobre a renegociação da dívida.

  6. Pois, pois, o Jesualdo não presta para o Sporting e blá blá blá blá blá blá blá blá. Para o Sporting tudo é demais! Não pode ter nada de bom! Só pode lá ter é bostikes de treinadores, porque tudo é demais para o sporting! blá blá blá blá blá!!!! Porque é que estes benfiquistas ranhosos e com a mania que sabem tudo estão sempre a dar palpites sobre o Sporting!???? Fico parvo com isto! Calem a boca, pá!!!!!!!!!!!!!!!! Metem nojo!!!!!!
    Ass: Ricardo Carrapato

  7. O que eu acho de mais extraordinário, e que, aliás, pouca gente refere, é o timing desta saída. A saída de Vercauteren (já) foi uma surpresa, penso eu,para muita gente. Foi fácil desvalorizar a saída de Izmailov…

  8. Epa, estavas a escrever tão bem mas borraste a pintura toda quando disseste isto: "porque o problema do Sporting não é a falta de um treinador"

    É óbvio e gritante que o problema do SCP é ter a pior equipa tecnica da 1ª liga, que nem os jogadores consegue pôr a jogar em coletivo. Nem sequer conseguem ensinar a equipa a defender bem quanto mais atacar. E o problema nem começou em FV, mas continuou (e piorou) com ele.

    Tivesse o SCP uma equipa técnica de jeito e nem metade dos problemas haveria.

DEIXE UMA RESPOSTA