Escrever por dinheiro

128
14537
Já escrevi aqui duas vezes sobre este assunto, mas, por ser recorrente, vou voltar a falar dele: o dinheiro, ou o facto de muita gente olhar para todos os assuntos unicamente pela perspectiva do dinheiro ou com a preocupação do dinheiro.

Ontem, quando publiquei um post a anunciar que tinha um novo blogue, um baby blogue, onde posso escrever enquanto pai, o primeiro comentário que recebi dizia qualquer coisa como: “Tu queres é ganhar dinheiro”. Pimbas. Tinha publicado o post há um minuto. Nem sei como é que aquela pessoa conseguiu ler o texto e escrever um comentário tão rápido. E a primeira coisa que lhe veio à cabeça, a primeira preocupação, foi o facto de eu ganhar dinheiro com um blogue, ou seja, com textos que escrevo. Depois desse comentário houve vários outros dentro do género.

Queria só esclarecer uma coisa, para as pessoas mais distraídas, ou com menos facilidade de compreensão: o meu trabalho é escrever. A minha formação é na escrita. O que eu sei fazer (para uns bem, para outros mal) é escrever. E é da escrita que me vem todo o dinheiro que ganho. Da escrita no blogue, de crónicas ou na revista onde trabalho.

Logo, dizer-me que eu quero ganhar dinheiro a escrever um novo blogue é mais ou menos a mesma coisa que dizer que um mecânico só quer é ganhar dinheiro se quiser trabalhar em duas oficinas, ou dizer que um pedreiro quer é ganhar mais dinheiro se for trabalhar para duas obras, ou dizer que um médico quer é ganhar mais dinheiro se trabalhar num consultório e num hospital.

O dinheiro é, como me parece óbvio, uma consequência do nosso trabalho e da nossa profissão, o que não quer dizer que não possamos retirar prazer daquilo que fazemos. E eu retiro. Eu escrevo porque gosto de escrever, mas, sendo esse o meu trabalho, não é normal que quanto mais eu escreva mais ganhe? Não é o que acontece com toda a gente (ou deveria acontecer, pelo menos)?

Muito provavelmente, as pessoas que deixam esses comentários chegam a casa do trabalho e aterram no sofá onde ficam a fazer zapping até adormecerem. Muitas vezes, também me apetecia fazê-lo, mas não posso. Tenho posts para preparar para o dia seguinte, textos do livro para editar, crónicas para escrever, redes sociais para moderar, e muitas vezes é meia-noite, uma da manhã, e percebo que estou acordado desde as 7 horas e ainda não parei 10 minutos. Custa-me. Sai-me do pêlo. Mas é o meu trabalho.

Eu até acho que a alguns desses comentadores de visão distorcida entendem isso, mas irrita-os ver alguém a quem a vida corre bem. O que eu gostava era que percebessem outra coisa: na actual conjuntura, com um desemprego galopante, um mercado da comunicação e da publicidade em crise, com o fecho de publicações, despedimentos em massa, o facto de haver pessoas a fazer pela vida, a aplicar o seu trabalho em novas plataformas, procurando gerar dinheiro, fazendo mexer a economia, criando novos mercados, sem ficar a chorar pelos cantos e a culpar a Troika e o Governo por tudo deveria ser algo de relevante. E o mais engraçado é que essas pessoas que fazem comentários arrasadores, dando a ideia que não gostam do nosso trabalho, passam cá a toda a hora, várias vezes por dia, lêem tudo o que escrevo, recordam-se de posts com quase dois anos, decoram frases e ideias que publiquei há sei lá quanto tempo. E só por isso deveriam entender que aquilo que eu escrevo atrai pessoas (as que gostam e as que não gostam), e o que atrai pessoas atrai dinheiro. É uma regra básica dos mercados.

Por isso, não se preocupem tanto com o que eu ganho ou deixo de ganhar. Se gostam de ler o que eu escrevo, muito bem, apareçam, leiam, comentem, se não gostam, tudo bem na mesma, não me vou zangar com ninguém, e continuarei a escrever para que cada vez mais gente possa gostar do que faço.

Não me venham é dizer que escrevo para ganhar dinheiro, está bem? Se não da próxima vez que forem ao médico com um braço partido terão de lhe dizer que só vos vai operar para encher os bolsos, e pode ser chato.

128 Comentários

  1. O arrumadinho e a pipoca mais doce são os unicos blogues que eu sigo atentamente, não por serem os melhores, nada disso. Apenas, porque até ao momento, são os unicos que conseguem agarrar a minha atenção, coisa que não é fácil, sou demasiado exigente e a par disso muito distraida.
    Estes blogues contém : humor, sarcasmo e o mais importante: uma dose de inteligencia fabulosa.
    Se de facto, conseguem atrair a atenção de milhares de pessoas, isso quer dizer que é um bom produto!
    Ora…a dúvida é: porque que os autores não podem retirar proveito de algo que lhes de trabalho?
    Pois… já nem digo que se sintam incomodados pelo facto dos autores terem algum proveito, nem tão pouco que gostem de tudo á borla….
    Apenas acho que é com eles, com as marcas que os patrocinam, com tudo e coiso.
    Adoro ler, adoro, adoro, adoro.
    Quanto ao resto, dediquem-se á pesca.

  2. Olá,
    Estou registado no Publipt a cerca de dois anos e meio e já juntei mais de 87 euros.
    Infelizmente não tenho tempo para ir la todos os dias, mesmo assim não abdico deste mealheiro online.
    É muito simples de utilizar e super eficiente nos pagamentos, para quem quiser experimentar deixo aqui o link para fazer o registo:
    http://www.publipt.com/pages/index.php?refid=mteles

  3. Estou totalmente de acordo! é impressionante a maneira como as pessoas conseguem invejar o sucesso de outros…
    Força nesta nova etapa e muitas felicidades.

    Muitos parabéns

  4. Caro Ricardo, Obrigado pela sua reposta. A propósito deste assunto esta notícia do Expresso pareceu-me ter relevância:

    "Uma carta escrita por Oscar Wilde, com conselhos a escritores, foi descoberta na parte de trás de um velho guarda-roupa, em Inglaterra, de acordo com o jornal inglês "The Telegraph".

    O documento, com 13 páginas, não está datado, mas deve ter sido escrito por volta de 1890, quando Wilde se estava tornar famoso.

    Dirigida a um aspirante a escritor, a carta aconselhava a não depender da escrita para sobreviver. "O melhor trabalho na literatura é sempre feita por aqueles que não dependem dela para ganhar o pão de cada dia."

    Ler mais: http://expresso.sapo.pt/descoberta-carta-de-oscar-wilde-com-conselhos-para-escritores=f795779#ixzz2OXv8Ovvg

    Cumprimentos.

  5. Caro anónimo. Está a misturar várias coisas que não podem/devem ser misturadas. E em várias situações.
    Logo no início, deveria perceber que a sua argumentação é apenas isso, sua. "Acha" que o serviço prestado pelo blogue não justifica que se ganhe dinheiro com ele. Pois, existem milhares de outras pessoas que "acham" o contrário. E é nisso que deveria pensar. Não interessa a sua opinião, interessa a opinião da maioria. E é o número de pessoas que visita um blogue que determina o seu sucesso. E falo de sucesso, e não de qualidade, que, como é óbvio, são coisas distintas. Não acho que o meu blogue seja o melhor do mundo, do país, ou da cidade. Mas tento fazer um trabalho abrangente, tento ajudar pessoas em várias vertentes, tento divulgar cultura, tento falar de novidades que acho interessantes, tendo que seja um blogue eclético, diversificado. E a verdade é que esse trabalho chega a cada vez mais gente, atrai cada vez mais leitores, e isso, para mim, é sinal de que estou no bom caminho. Não quero, aqui, falar de coisas de que gosto, mas que acho que mais ninguém gosta, não quero maçar os leitores com escritas intimistas, porque essas posso guardá-las numa gaveta, ou publicá-las num livro. Este é um blogue que quer ser directo, simples, fácil de ler, dirigido a toda a gente, e não a intelectuais, ou a nichos, porque esses podem procurar outros blogues, porventura mais bem escritos, com temas de que gostam mais.
    No ponto 4 diz que acha que, evidentemente, o Ronaldo não merece o dinheiro que ganha. Uma vez mais, "acha". Pois eu acho o contrário. Uma pessoa que ganhe 50 milhões e que gere 200 milhões de lucro, obviamente que os merece ganhar. É a tal lei do mercado.
    No ponto 5, mais uma mistura que não pode ser feita. Uma coisa são os negócios, são as plataformas enquanto negócio, outra são quem as executa. Se a revista Maria vende 250 mil exemplares e a Visão 40 mil, naturalmente que o gestor do negócio da Maria deve receber mais dinheiro do que o da Visão. Agora, isso não significa que tenha de pagar mais a quem faz a revista, já que é um trabalho que exige menos habilitações e menos capacidades jornalísticas. Se um negócio atrai muitas pessoas é natural que gere mais dinheiro do que outro que atrai menos pessoas. É óbvio. E esta constatação dispensa "achismos". Se o meu blogue chega a 20 mil pessoas por dia, é óbvio que deverá gerar mais dinheiro do que outro que chega a 500, independentemente de um ser mediano e o outro genial. Se um supermercado de produtos básicos serve 20 mil pessoas e gera 30 milhões por ano, é normal que o proprietário ganhe mais dinheiro do que um supermercado gourmet, só com produtos de luxo, que serve 200 pessoas.
    Chegar às pessoas, atrair gente, é, também, um mérito, e um mérito que nem todos conseguem. Essa é a grande dúvida, o grande ponto de interrogação de quem se move neste meio: como chegar às pessoas? o que é que as pessoas querem? Quem souber responder a isto fica rico. E ninguém sabe. Vamos lá por experiências. A minha, por agora, está a correr bem.

  6. É o que nos distingue. Eu faço demasiadas coisas, tendo nunca estar parado, produzir o máximo que posso, utilizar todo o meu tempo em coisas úteis. O caro anónimo não tem nada para fazer e lê blogues para passar o tempo, até os que acha anedóticos. É por isso que o acho uma pessoa triste.

  7. Adorei Ricardo. Como já lhe disse a Ana mais do que uma vez, vocês são pro activos, bons gestores, escrevem bem, fazem um excelente marketing dos vossos projectos e nunca param. Ganhar dinheiro a escrever um blog, ou a trabalhar naquilo que adoramos, não é para quem quer, é para quem pode. Tomara muita gente neste pais ter metade da vossa iniciativa e ser minimamente empreendedora. A ideia de um blog em conjunto, nesta fase, é excelente. Entre os dois conseguem um equilíbrio super interessante e a vossa escrita se complementa perfeitamente. Venham mais projectos, mais livros, mais blogs, e tragam muito dinheiro. Um bj e muitos parabéns

  8. Concordo em parte com o que diz, claro que é legitimo ganhar dinheiro com o que escreve. Como para mim é legitimo ganhar dinheiro a exercer a minha profissão em quatro diferentes sitios. O que já não acho, pelo menos moralmente, tão legitimo, mas isso é só a minha opinião (e é como diz o outro cada um tem a sua e quem quer dá-a, quem não quer não dá…)é ganhar esse mesmo dinheiro à custa de um filho, um bébé, que não pode de forma alguma manisfestar-se sobre a exposição a que a sua vida vai ser sujeita.
    Abraço e tudo de bom.

  9. É o mesmo género de comentador que vem deixar comentários do género "vais levar com um par de cornos" quando eu digo que o meu namorado é muito bom para mim. É a vidinha. Ficam infelizes com as alegrias alheias.

  10. Ora bem…Eu gosto de ler o que o Ricardo escreve, tem sempre uma visão muito apurada das coisas e sabe transmiti-las de forma bem clara e divertida. E não será isso que importa!? Certamente quem segue o seu blogue e o que escreve é porque acha que tem valor…agora se ganha ou não com isso…isso já é outro assunto e só a ele diz respeito…penso eu… Mas muitas pessoas sentem-se no direito de criticar só porque sim..Realmente eu até nem sou de deixar comentários, mas desta vez apeteteceu-me faze-lo, e dizer-lhe que gosto do q o Ricardo e a Ana escrevem, já a sigo há muito tempo. E sinceramente para terminar apenas digo que duas cabecinhas tão divertidas e frescas como as vossas só podem resultar num casal fantástico!!

  11. Ponto 1 : eu não acho que o seu blog seja mau.
    Eu gosto de o ler assim como gosto de ler outros
    blogs. Simplesmente acho que o "serviço"
    efectivamente prestado não justifica receber
    dinheiro (ou pelo menos quantias significativas).
    E o mesmo se aplica a outros blogs nomeadamente o
    da PMD (e outros).

    Ponto 2 : o exemplo da Maria/Tony Carreira etc foi apenas para exemplificar que o facto de ter assistencia/leitores não significa que se tenha qualidade (não o estou a comparar directamente com eles….é apenas um exemplo extremo).

    Ponto 3 : eu não disse que faz algo ilegal por ganhar dinheiro (a questão do codigo dos jornalistas não sei como funciona, pelo que não faço comentarios). Se lhe pagam então aproveite.
    Só digo que acho que não se justifica.
    Nem pelo conteudo do blog nem pelo suposto tempo dispendido (argumentos seus para justificar o dinheiro).
    Efectivamente o blog relata apenas experiencias nornais do dia-a-dia. Na grande maioria dos casos não está a prestar um efectivo serviço. Mas como já disse antes, o caso do blog da sua esposa é um fenomeno bem "estranho".

    Ponto 4 – evidentemente que o Ronaldo tambem nao merece o salario que recebe. No entanto o exemplo foi bastante infeliz (nem vou dizer as razões, pense lá um bocado).

    Ponto 5 – vou dar-lhe outro exemplo : provavelmente a revista Maria rende mais dinheiro que outras revistas de maior qualidade (Sabado, Visao etc etc) e que exigem muitissimo mais esforço e pessoas mais "qualificadas". Provavelmente a equipa que produz a revista Maria até é mais pequena que as outras equipas. Pela sua ordem de ideias seria justo que os jornalistas que escrevem as baboseiras da Maria recebessem X vezes mais que por exemplo o Ricardo ?
    Provavelmente isso não seria ilegal, mas se o jornalista A da revista Sabado/Visao que demora dias ou semanas a produzir um artigo recebesse 1000 euros e o da Maria recebesse 3000 ou 4000 euros provavelmente o Ricardo (e com razão) ficaria "lixado". É a lei do mercado ?
    Em principio o Ricardo não podia "chamar a policia" por isso, mas tinha todo o direito de dizer o jornalista da Maria não produz efectivamente um trabalhalho que justifique esse ordenado.

    Ponto 6 – na terra dos meus pais, durante uns 10 anos, um individuo fez-se passar por medico. Dava consultas às pessoas, onde basicamente receitava uns xaropes e pouco mais às pessoas que apresentavam sintomas simples (constipaçoes etc) e às outras pessoas (com problemas mais graves )umas vezes mandava para o hospital outras vezes até mandava para casa. Curiosamente toda a gente gostava dele (na verdade muitos devem ter morrido antes do tempo sem saber a razão) e até lhe pagavam bem.

    Vivemos num pais pobre e aquela terra é uma zona isolada e com pessoas não muito informadas. À falta de outro iam confiando no homem, que até tinha boa labia e era simpatico para com os velhotes. Evidentemente ninguem se lembrou de tentar arranjar um medicoa serio.
    Isso não faz dele médico e muito menos bom médico. Mas é a lei do mercado.

  12. Caro anónimo do P.S. Quem determina se eu mereço ou não ganhar dinheiro com o blogue é o sucesso do mesmo. Se atrai pessoas, atrai anunciantes. Se atrai anunciantes, atrai dinheiro. É a lei do mercado. Quanto ao "quantias significativas", bom, não sei onde é que leu que são quantias significativas. Não são. São bem menores do que o tempo que dedico ao blogue.

  13. Ai é que se engana. O seu comentário revela bem que não sabe em que mundo vive. A seguir vai dizer que o Cristiano Ronaldo, que não sabe falar e tem o 7º ano incompleto, não merece ganhar numa hora o que o seu médico ganha num ano.
    Tem tudo a ver com mercados, com actividades, com o mundo real, e não com o mundo poético.
    No mundo em que vivemos, a publicidade vai atrás de quem movimenta massas, de quem tem talento, ou o que quer que seja, que atraia pessoas. O Fernando Mendes terá os seus talentos, e a sua imagem gera dinheiro, logo, se ele dá milhares de euros a ganhar a alguém, ele merece ter uma fatia disso mesmo. É assim que funcionam as coisas. Percebeu ou quer que lhe faça um desenho?

  14. P.S – mas eu gosto de ler o seu blog e até nem acho que seja mau (o exemplo da revista Maria era um extremo). No entanto isso nao significa que ache que mereça ganhar dinheiro com o blog (ou pelo menos quantias significativas).

  15. E o facto de centenas de milhar ou milhores de pessoas gostarem de ver o Preço Certo não faz com que o Fernando Mendes mereça ganhar num mês aquilo que o meu medico ganha em meio ano.
    Percebeu ou quer um desenho ?

  16. Caro anónimo. É assim tão difícil entender que não existe "a verdade", como acaba o seu comentário. Pode não achar o meu blogue bom, está no seu direito, mas há muitos que o acham e das milhares e milhares de pessoas que aqui passam todos os dias, quero acreditar, que o fazem porque gostam de me ler, e não porque não têm mais nada para fazer na vida.
    Como já disse várias vezes, no posts, nos comentários, noutras ocasiões, eu sou jornalista, vivo do jornalismo, e não preciso do que ganho com o blogue para viver. Mas acho totalmente ridículo que diga que os outros bloggers que têm blogues melhores do que o meu não ganhem dinheiro porque não querem. Acredita mesmo nisso? Acredita que uma pessoa escreva um blogue e que se alguém lhe disser que lhe paga para fazer o que sempre fez, sem mudar nada nos conteúdos, a pessoa vai dizer que não? Que sentido é que isso faz? Estamos assim tão cheios de dinheiro? Mas ganhar dinheiro é algum crime, alguma coisa que meta nojo, para se recusar? É só hipocrisia. Se o anónimo pudesse tivesse um blogue e lhe dissessem que lhe pagavam por isso ia dizer que não? A menos que seja rico, não estou a ver uma razão para recusar.
    Claro que os leitores podem ter uma opinião, e achar o blogue mau, péssimo, intragável, mal escrito, o que quer que seja. Mas, então, a pergunta lógica é: o que é que vêm cá fazer? Porque é que perdem tempo a ler-me? Se há milhares de blogues melhores do que o meu porque não dedicarem-se unicamente a ler esses blogues? Como diz, e bem, a Maria é lida por milhares de pessoas e isso não faz do produto bom. Mas tenho a certeza que é um produto importante para algumas pessoas. E, seguramente, eu não vou comprar a Maria para insultar os jornalistas e dizer-lhes que fazem um mau trabalho. Da mesma forma que não acredito que 90 por cento dos que aqui passam todos os dias, várias vezes ao dia, só para dizer que o blogue é mau não gostem de me ler. Gostam. E lêem tudo – tenho muitos exemplos disso mesmo. Mas não o admitem, o que ainda me dá mais gozo.

  17. Muita gente lê a revista Maria e isso não faz com que a revista tenha real qualidade.
    O Tony Carreira vende muito, isso não faz dele um bom cantor.

    Resumindo : lá porque algo rende não significa que seja bom nem que seja merecido. Existem centenas de blogs em Portugal mais ou menos anonimos com igual ou melhor qualidade do que este. A diferença é que essas pessoas não têm interesse em criar "esquemas de marketing" para fazer crescer o blog. Talvez porque não necessitem do blog para viver ou por outras razões.
    O Arrumadinho tem todo o direito de ter o seu blog e ninguem o pode obrigar a escrever de forma diferente.
    No entanto os leitores podem ter as suas opiniões.
    E a minha é que apesar do seu blog até ser melhor que o da sua esposa, não faz com que mereça dinheiro por ele.
    Mas há fenomenos que não se explicam e desde que não faça nada de ilegal por mim pode continuar à vontade.
    Mas isso não muda a verdade.

  18. Caro anónimo. Leu em algum lado que eu me considerava um grande escritor? Ou que tenha ambições a sê-lo? E que queira que os textos neste blogue sejam um primor de escrita?
    Escrever-se é uma arte interior ao alcance de todos, sejam das ciências exactas, sociais ou tenham a quarta classe. Nada tem a ver com formação académica, mas com talento, por isso, não percebo os exemplos que dá dos prémios Leya. Quem o lê acha que eu vim aqui dizer que era um grande escritor, que os outros eram uma merda, e que me considero injustiçado porque não ganhei prémios literários. Falei de alhos, está a responder a bugalhos.
    Um jornalista tem de saber contar uma história, não tem de saber escrever como um romancista. São estilos que nada têm a ver, e que nem sequer devem ser confundidos. Se quiser fazer a avaliação da minha escrita enquanto romancista, então, espere para ler um romance meu. Aí, então, poderá dizer o que bem entender.

  19. Mas ninguem tem coragem de dizer ao Ricardo que ele apenas escreve razoavelmente melhor qua a média, o que para um jornalista de profissao não é propriamente nada de outro mundo.
    Quando publicares um livro a serio que ganhe algum premio entre pares então depois lá podes andar em bico de pés.
    Epá mete-te no teu lugar porque até malta das ciencias mais exactas (engenharias e fisica) tem ganho importantes premios literarios em Portugal (vai lá ver quem ganhou o premio Leya 2011 e 2012). E sao pessoas que nem sequer escrevem profissionalmente.
    Este pessoal tem a mania que são os maiores só porque são um pouco mais instruidos que a média dos velhotes de 80 anos do lar lá do bairro.
    Irra .
    Que falta de noção.

  20. @Anónimo18 de Março de 2013 à0 12:21
    Isto normalmente é o resultado de viver rodeado de "cordeiros" e "poneis".
    Conheço muito gente que gosta muito de ir passar uns dias à "santa terrinha" numa qualquer aldeia no "cu de judas", porque normalmente quando lá chegam são os "maiores".
    Como muitas outras coisas na vida, a nossa importancia depende sempre de onde se coloca o referencial.

  21. Oh pah tu vais para manifestações exercer o teu direito a tua opinião e depois ficas indignado com pessoas q tem opiniões contrarias as tuas????!!!! Sensível possa!!!!!! Aguenta e não chora não és detentor da razão!!!!!!!

  22. Isso é tudo verdade sim sr!
    Agora da minha parte (e era/sou leitora assidua), e não o digo por inveja, penso que quando isto começou a surgir e a vertente "económica" associada aos blog's cresceu (não falando de nenhum blog nem de ninguém em particular) o conteúdo dos blogs mudou/adaptou-se, completamente normal.
    Afinal têm de estar de acordo com o que gera dinheiro e, a sua identidade está mais exposta, logo o cuidado deve ser redobrado.
    Com isto, há blog's que se tornaram verdadeiros postos de publicidade e perderam muito da sua espontaneidade, simplicidade e credibilidade.
    O que para leitores que lêem, seguem e confiam há anos no "blogger" e que, já não conseguem distinguir post's verdadeiros e honestos de post's com pura publicidade torna-se…digamos chato. Só isso.

    Começam a fazer como eu.. lêem apenas o que não está associado a marcas.

    E volto a repetir, não é inveja nem nada, tanto que continuo a seguir a maior parte destes blogger's. Apenas um pouco de desilusão de não existir uma única referência no post a fazer a distinção de uma opinião completamente independente de uma opinião paga. Por vezes, apercebemo-nos que era publicidade pelas noticias ou por outros blogs (normalmente até menos conhecidos) que o divulgam e aí, faz-se a dedução.

    Mas pronto, era só isso. Cá continuo. E continuarei certamente!
    Desejo de continuação de sucesso.

  23. Olá, boa noite.

    Sinceramente não percebo a razão de muita gente se incomodar com o ganhar dinheiro com o que se escreve. O blog nasceu, digo eu, por um gosto. Depois começam a aparecer os seus visitantes. Bem como os que não gostasm. mas são todos visitantes. E lêem. então qual o mal de se ganhar dinheiro com isso? Sinceramente não entende.

    Afinal, não é a mesma coisa que um livro? Talvez o blog seja mais democrático, basta uma ligação à internet. Mas no livro também se escreve se ganha dinheiro.

    Há também a questão da, eventual, publicidade camuflada. Mas isso é toda uma outra questão. Há quem diga, e defenda, que se há um qualquer post pago por uma determinada marca – que diz que não faz, está no seu direito, gosta quem quer, quem não gosta meta para o lado – tem de se dizer que foi a marca X que pagou pelo post. Não defendo isso. Nem acredito que tenha de ser assim. Porque se a marca fizer sentido ao blog, se a marca fizer sentido à persona do blog, porquê dizer? Por uma mera questão de honestidade? Mas que honestidade?

    Qual é a sua opinião sobre isso?

    Cumprimentos.

    Btw, viva o Benfica (deixa-me cá ver se o intervalo já terminou)

  24. Não sei se já houve alguém que escreveu isto nesta longa lista de comentários, mas não há nada melhor na vida do que ganhar dinheiro a fazer aquilo de que realmente se gosta. Infelizmente nem todas as pessoas têm essa oportunidade e daí surge a inveja. Deve considerar-se um privilegiado e continuar a escrever o que quiser e em quantos blogs tiver. Se alguém não gosta, a verdade é que não é obrigado a ler.

    Boa sorte para o seu futuro e para a sua família.

  25. para mim escreves bem como a pipoca, mas passas a mesma mensagem atroz de materialismo e snobismo.

    Tirando isso és um gajo porreio 🙂

  26. Não sei em que planeta vivem estas pessoas que fazem esse tipo de comentários, seja em qual for, devem ser seres altamente frustrados! Se cabe na cabeça de alguém que o aliar o que se gosta ao ganhar dinheiro, possa ser algo tão condenador?!!

    A sério, as pessoas de dedicassem mais tempo a realizar os seus sonhos em vez de destilar veneno nos sonhos alheios, assim só naquela… até podiam ser mais felizes 😉

    Felicidades para os 3 e não percam o vosso precioso tempo a dar importância a pessoas que não merecem mais do que desprezo!

  27. Achei piada à alusão aos médicos. De certeza que ninguém iria fazer semelhante comentário a um médico antes de uma operação, não fosse o diabo tecê-las. Mas na blogosfera, parece que tudo é possível e as pessoas dão-se ao luxo de fazer/dizer coisas que, noutros contextos nunca fariam/diriam. Já numa ocasião em que a Pipoca esteve nos Estates, lembro alguém ter feito comentários sobre ela estar a esbanjar dinheiro e coisas assim. Fiquei com pena. De facto, fazer comentários sobre as novelas que passam na TV é uma coisa, mas sobre as vidas de pessoas reais, aguenta aí os cavalos, que a coisa fia mais fino. Há bom remédio para isto. Se as pessoas acham que os bloggers ganham a vida à custa dos inocentes dos leitores então não visitem os seus blogs. Da mesma maneira que se acham que os médicos são uns "enche bolsos", não vão lá. Têm bom remédio. Alguém me disse um dia, que passou num sítio onde estavam a falar mal dela. O engraçado nisto tudo, é que as pessoas até podem falar mal, mas acabam por incentivar maior divulgação do vosso trabalho, porque tudo o que é polémico chama a atenção. Ironias do destino!

  28. O que tu queres é reconhecimento, muita gente quer e não tem. Sou professora há 16 anos, farto-me de trabalhar, por mim e pelos meus alunos. Tenho dois mestrados, estamos no fim do 2 período e estou um caco. Reconhecimento de que faço um excelente trabalho? Adorava tê-lo mas, só ouvimos notícias arrasadoras. Neste país já ninguém reconhece nada a ninguém, não te iludas. Estamos no fim do poço. E com um povo de gente invejosa e ressabiada, o teu estilo de vida pode meter impressão a muita gente. Não querem saber se trabalhas muito ou pouco ou se o teu tabalho é válido ou não. Portanto, vai trabalhando e ganhando enquanto podes e não te preocupes com os outros. E evita as fugas de informação do tipo "500€" casa post, não é informação relevante para ninguém e só atrai invejosos com má língua.

  29. Ricardo, de facto não deixa de ter o seu Q de graça as críticas e exigências a que vocês, blogger, estão sujeitos num espaço que é vosso. Quem visita sabe que vem ler as suas opiniões, a sua visão das coisas.

    De qualquer forma, agradeço a resposta e, como disse, não era para alimentar o "linchamento", até porque tenho o maior respeito por vós, e pelo vosso trabalho.

  30. Então também é questionavel os bebés que aparecem na publicidade das faldas ou das papas, ou aquelas crianças que aparecem nos filmes ou nas novelas, não lhe parece ?

  31. Mas qual indignação, pá? As pessoas fazem cartazes, manifs, protestos? Uns comentários nuns blogues deixam-te neste estado? Não ganhas o teu money à mesma? Irra, que sensível 🙂

  32. Caro anónimo. Em que parte é que tentamos esconder o retorno financeiro? Assumimos isso. Escrevi isso. O blogue dá dinheiro. Tal como dá trabalho. Nós trabalhamos, o nosso trabalho é lido por milhares de pessoas, e isso dá-nos retorno financeiro, sem que os leitores tenham de pagar um cêntimo por isso. Todos usufrem do nosso trabalho, ninguém lhes cobra nada, mas mesmo assim alguns dos que nos lêem indignam-se com o facto de recebermos dinheiro pelo nosso trabalho (ainda que não sejam eles a pagá-lo).

  33. Será este problema de mesquinhez é so dos portugueses? Ou é da raça humana em geral?

    Entendo que estamos numa altura má a todos os niveis, a crise afeta-nos a todos, mas será que estamos assim num estado tão avançado de degradação social?
    Eu não te conheço a ti nem à Pipoca, mas fico feliz por vocês. Visito os vossos blogs e muitas vezes digo para mim "Fogo, que inveja! Eles fazem isto e aquilo, e vão aqui e ali e têm isto e aquilo", e tal como eu acredito que muita gente se sente assim.
    O problema são os que não conseguem gerir a inveja, que no meu caso é uma inveja positiva, mas que no de muita gente é uma inveja doentia e altamente irritate.
    Gostava de entender qual é a necessidade e o prazer que certas pessoas têm em destruir e distorçer o que é dito e feito, neste caso por vocês.
    É claro que fico "triste" porque neste momento não consigo fazer o que vocês fazem, mas tenho esperança que um dia o vá conseguir fazer. E uma das razões que me leva a seguir os vossos blogs é pela admiração que tenho pelo vosso trabalho e sobretudo pelo vosso espírito empreendedor, que na minha opinião é o que vos levou até este ponto das vossas vidas e carreiras.

    Bem, não sei se me fiz entender. Sei que este é so mais um post e que não vai mudar nada, mas senti que devia deixar aqui uma palavra de apoio, porque realmente admiro o vosso trabalho e realmente não entendo o prazer que (infelizmente) muita gente tem em destruir os momentos felizes dos outros.
    É que se ainda ganhassem algo com isso … (Já que se estava a falar de dinheiro)

  34. Caríssimo "Arrumadinho",apesar do que escreves fazer todo o sentido, todos sabemos que apesar de ser a tua ou vossa profissão escrever e blá, blá, blá… Também todos sabemos que a criação de "blog's" trazem retorno quer monetário quem em termos de produtos… Não estou com isto a criticar porque alias se pudesse e conseguisse fazia o mesmo e até acho existir uma vertente empreendedora a qual saliento. Mas não vamos ser hipócritas a criação do blog pode ser para prazer pessoal mas também existe a parte monetária envolvida e não vejo o porque de querer negar e esconder isso como parte importante do projeto. Só critico o facto de estarem sempre a tentar esconder ou tentar desculpar o evidente "pior que cego é aquele que não quer ver"… E apesar de tudo irei continuar a ser seu seguidor 🙂

  35. arrumadinho, acho que devias escrever um livro sobre este tipo de pessoas! então aí fazer dinheiro.. por todo o lado existem pessoas cheias de sentimento negativo e desejando ver o insucesso dos outros!! vê se logo que não estão bem, se acham que fazes dinheiro com o blog (e se fizeres qual é o problema?!) para quê, perderem o tempo deles, tão precioso passando por cá?! o problema é que não têm mais nada de interessante para fazer da vidinha deles.. são pessoas cheias de frustrações!! espero que esse tipo de pessoas passem completamente ao lado das vossas vidas!!

    já agora, comecei a ver "the following", Muito Bom!! Obrigada pela dica!!
    E claro, muitos parabéns pelo bebe!!!

    Carla

  36. Gostei de tudo o que disses-te…ach oque no tempo em que estamos há que fazer pela vida! Se doi a barriga a muita gente? Claro, é inveja…Se agradas a outro tanto? É normal, jeito para a escrita nem toda a gente tem 🙂
    Só espero que tu e a Pipoca tenham uma vida recheada, não desejo mal a ninguém e quem me dera a mim puder receber muita guita ao fim do mês!!!
    Confesso-te que também adoro o que faço, trabalhar na publicidade é das melhores sensações do mundo, temos sempre ideias, sempre coisas novas para fazer!!!
    Força aí! Os outros que se fodam!!!

  37. Mas se realmente vais ganhar dinheiro com o blogue porque é que ficas tão ofendido por alguém ter salientado isso? As formas de o dizer são muitas, mas a verdade é sempre a mesma. Acho que, na mesma medida em que há maldade da parte de quem comenta, também há muitas vezes uma visão distorcida da parte de quem escreve o blogue. 🙂

  38. confesso que só li o post e os comentários na diagonal (já li demasiados posts com o mesmo conteúdo em não sei quantos blogs) mas acho a analogia do médico e do mecânico um bocadinho mal 'amanhadas'.
    comparar um 'hobbie' a um segundo trabalho não é a mesma coisa. comparar um mecânico que trabalha em duas oficinas não é o mesmo que comparar um jornalista (ou outro profissional qualquer) que trabalha numa revista e tem um blogue como hobbie. é quase o mesmo que dizer que um mecânico que tem um clássico na garagem e o está reconstruir deve ser pago por isso.

    a sensação que este post dá é, não que se criou este blogue exclusivamente para ganhar dinheiro, mas que obviamente se vai ganhar dinheiro com ele (é a minha interpretação do texto).

    e confesso que também leio (interpreto) algumas contradições. diz que é da escrita do blogue que tem algum do rendimento, mas não faz posts publicitários. como assim? se o único rendimento do blog é o único banner, não é da escrita que recebe mas sim das visitas dos leitores. obviamente que os leitores vêm pela escrita, mas a escrita poderia ser a mesma e se não tivesse o nº de leitores que tem não havia rendimento.

    não quero com isto tudo dizer que é mau que se ganhe dinheiro com blogs. mas é verdade que há muita areia atirada para os olhos dos leitores pela blogosfera fora e este ainda é um mundo tão bebé que ainda niguém sabe muito bem o que está a fazer (nem bloggers, nem marcas, nem leitores). talvez um dia as coisas sejam mais claras e ao código jornalístico e ao código da publicidade se junte o código do blog e já não haja nem razão para os comentários que deram azo ao post nem para o próprio post.

  39. Posso irritar ainda mais os maldizentes? Ora bem, espero que enriqueças grandemente com isto e com o outro blogue. Espero que te paguem como um Ministro por escreveres o que muitos gostam de ler. Espero que te oferecam um topo de gama só por colocares os acentos nos "às". Espero que te paguem viagens e comas do bom e do melhor à conta de leitores como eu que te adoram. Já agora és um granda pão e a tua mulher maravilhosa. Ah e parabéns por ires ter mais um rebento. Espero ter sido bem sucedida…, haja paciência para certa gente! Eh pá debulhem favas! Bjos

  40. Infelizmente a maioria das pessoas não consegue lidar com o sucesso alheio, sentem necessidade de criticar, invejar, derrubar e tudo o que há de mal, para se sentirem bem e felizes.
    Espero sinceramente que tenhas muito sucesso na vida, hoje e sempre, juntamente com a Ana e que ganhem muito dinheirinho, e claro está, que o baby chegue de perfeita saúde 🙂
    Sejam felizes!

    Patrícia
    Beijinho

  41. Bem Ricardo, se me permites aquilo que vou escrever a seguir, começo por dizer que voltamos mais uma vez ao mesmo: dinheiro, dinheiro e ainda mais dinheiro.

    Mais uma "polémica" relacionada com o dinheiro… Ricardo, embora eu aprecie estes posts (dos quais denoto que têm alguma pedagogia por trás) e concorde com muito do que aquilo que escreves; julgo eu que andas a perder tempo com este tipo de coisas.

    E sabes porquê? Porque, mesmo que tenhamos uma economia galopante e com milhares de oportunidades á espera das pessoas, vão continuar a haver SEMPRE – mas SEMPRE – pessoas frustradas com a vida e que vão passar a vida a escrever os comentários cheios de críticas, exigências e sarcasmo com os quais lidas todos os dias…

    Por isso é que eu sugiro vivamente que… não ligues. Os cães ladram e a caravana passa. Continua a fazer o teu trabalho, a dinamizar o teu blogue. Continua a fazer a mexer a economia. Tu já chegaste a um ponto em que, já quase que nem precisas de provar nada a ninguém. Pelo menos, já não precisas de provar nada aos teus leitores. A única pessoa a quem tens de provar alguma coisa é a ti próprio.

    Ricardo, os verdadeiros grandes não se preocupam com o que os outros dizem. Nem tão pouco perdem tempo em responder a certas críticas ou comentários. Porque eles vão sempre existir. Por mais cuidado e gosto que tenhas com o teu trabalho.

  42. Eu cá acho a ideia de um blog partilhado pelos dois óptima e muito original. É a primeira vez que comento no seu blog, mas já sou seguidora há alguns meses e posso dizer que gosto muito do seu trabalho aqui e certamente que vou gostar do Pipoca mais dois.
    Acho uma injustiça e uma falta de assunto estarem a levantar essas questões. Estar a arranjar tema de crítica onde eu não vi nenhum.
    Mas enfim, desejo-lhe as maiores felicidades e espero que o novo blog tenha tanto sucesso quanto este.
    Beijinho

  43. Se o facto de escreveres aqui te dá dinheiro, passo a vir cá, duas vezes por dia, no minimo!!!! E se com isso não pagares impostos, prometo vir 4x/dia!!!!!
    APRE!!! Como diz a minha mãe-" não olhes para o que eu tenho, vê antes os sacrificios que faço para ter o que tenho!!!"

  44. Cara Alexandra. Como é óbvio, o mecânico pode arranjar carros à borla. Mas, a menos que seja o próprio ou o de um amigo ou familiar, não o fará. E ninguém lhe exigirá que o faça, como é óbvio. Conhece algum mecânico que arranje carros à borla? Eu não.
    Quanto a mim, posso dizer que não recebo por post, e que durante muito, muito, muito tempo, não ganhei um cêntimo com o blogue, logo, escrevia, trabalhava, à borla. Por outro lado, as pessoas usufrem do meu trabalho gratuitamente, ao contrário de todas as outras profissões. Se vai ao mecânico tem de pagar, se vai ao médico, tem de pagar, se vai a um advogado, tem de pagar, se vai ao cinema, tem de pagar. Para usufruir do meu trabalho, ninguém paga. E o mais engraçado é que não pagam e ainda têm imensas críticas e exigências.
    Tal como escrevi, escrevo porque gosto, porque é o que sei fazer. O facto de ter quem goste de me ler acaba por gerar dinheiro, que é a consequência do meu trabalho.

  45. Clap, Clap, Clap!!! 🙂 E soltei uma gargalhada com isto: "Se não da próxima vez que forem ao médico com um braço partido terão de lhe dizer que só vos vai operar para encher os bolsos, e pode ser chato."

    M.

  46. Não querendo alimentar esse tipo de ideia do "Só queres é dinheiro", porque não partilho em nada dessa opinião, gostava apenas de fazer um reparo:

    "Logo, dizer-me que eu quero ganhar dinheiro a escrever um novo blogue é mais ou menos a mesma coisa que dizer que um mecânico só quer é ganhar dinheiro se quiser trabalhar em duas oficinas, (…)ou dizer que um médico quer é ganhar mais dinheiro se trabalhar num consultório e num hospital"

    Ainda que o mecânico trabalhe em duas oficinas, ele pode arranjar carros sem cobrar nada. Ainda que o médico trabalhe num hospital e numa clínica, ele pode consultar alguém de graça.
    Por isso, também poderias admitir a possibilidade de escrever sem que isso reverta em dinheiro.
    Ao ler este post, fica a ideia de que só escreves se daí advir uma recompensa monetária.

    Não sei se é, se não é, nem tenho nada a ver com isso. Só fiquei com essa ideia, com a qual também não concordo.
    De resto, tudo certo.

    Atenciosamente,
    Alexandra Silva

  47. OH-MEU-DEUS. Não acredito no comentário do Eduardo. É óbvio que ando há 4 anos a matar a cabeça para um dia ser psicóloga (já lá vão uns 4000 euros em propinas, fora os extras), para um dia, claro, trabalhar por gosto, sem receber nada por isso. E viver o resto da vida à custa dos meus pais? A inveja das pessoas é tão nítida. Não entendo o porquê da felicidade de uns, ser motivo da infelicidade de outros.
    Gosto muito do que escreves arrumadinho. Passo por aqui todos os dias, e nota-se perfeitamente que o que escreves é com amor. Já aprendi muito contigo. O que é sempre um bónus para quem anda a estudar e não gosta apenas de se resumir àquilo que aprende na faculdade. Continua a presentear-nos sempre com os textos.
    Cumprimentos,
    Alexandra

  48. Entrei no mundo dos blogs há pouco tempo e tenho lido imensos comentários maus, mesquinhos, invejosos… Não percebo como é que as pessoas podem ter tanto rancor, tanta inveja de pessoas que trabalham imenso para poderem fazer aquilo que gostam, e fazê-lo bem (no seu caso escrever) e ganhar algum com isso!
    Acho mesmo que isto passa dos limites do aceitável: quem não gosta, não lê, não comenta, a não ser que tenha algo de útil a dizer.
    Acho que não vale a pena ligar a estas pessoas, continue com o seu óptimo trabalho e ainda bem que faz dinheiro com isso!
    Muitas felicidades para os 3(:

    aamoravermelha.blogspot.pt

  49. É mais fácil ver um mosquito no olho do outro do que um elefante no nosso. É um facto! Há pessoas pródigas a esse nível. Acho óptimo que escrevam porque gosto de vos ler (identifico-me mais com o registo da pipoca, confesso). Agora o que eu mais admiro é mesmo a leveza com que vocês (e outros bloguers) se expõem. E sim, sei bem que expõem apenas o que querem e que não corresponde a 1/3 das vossas vidas. Mas eu seria incapaz. Sou extremamente selectiva (apesar de bastante sociável) quando partilho a minha vida. Desde as coisas mais importantes às menos importantes. Faço uma diferenciação gigante entre amigos e colegas e conhecidos. E estes últimos da minha vida sabem zero. E às vezes quando sabem ficam em choque, de boca aberta. Com os meus partilho tudo. E a mim surpreende-me a forma como falam de aspectos tão vossos, as fotografias que divulgam, etc. Há tanta pessoa invejosa, tanta pessoa competitiva que passa por cima de todos, tanta pessoa que chega mesmo a desejar-nos mal que eu cá não publicito nada acerca do faço, fiz ou farei. Facebook, instagram, etc são um belíssimo veículo para a cusquice pura e dura. Gabo-vos a paciência 🙂

  50. Caro Eduardo, a menos que os escritores sejam herdeiros de fortunas, que recebam subsídios que lhes permitam viver, que tenham outras profissões, ou que sejam geniais, como cinco ou seis em Portugal, sim, terão de escrever, também, pelo dinheiro. De outra forma, como é que pagam as contas? É muito poético dizer-se que se escreve pela necessidade íntima, pelo desabafo, mas se lê livros, se lê entrevistas ou perfis de escritores (e acredito que sim, pela forma correcta como escreve, e pelas ideias que apresenta), saberá que a esmagadora maioria são egocêntricos, vaidosos, e sentem grande necessidade de feedback. É assim com quase todos os artistas. Escrever, como profissão, só faz sentido se do outro lado houver alguém para nos ler. Historicamente, também saberá que alguns dos melhores escritores portugueses (e não só) tiveram de escrever a metro, por encomenda, e escrever todo o tipo de coisas para poderem pagar as contas. Alguns morreram pobres e o mérito surgiu postumamente, como escreveu.
    Em momento algum no meu texto digo que sou escritor ou que tenho ambição a sê-lo. Digo que sou jornalista e blogger, e é daí que me vem o dinheiro com que pago as minhas contas. Os livros são um extra, um bónus, o subsídio que me gamaram em impostos. E se um dia me virar exclusivamente para a escrita de livros, serei sempre mais um escritor, pop do que de nicho, comercial do que autoral, sobretudo porque gosto mais de escrever para os outros do que para mim, gosto mais de partilhar histórias do que de polir palavras. Mas, para mim, saber contar uma história é um talento, porque nem todos o sabem. E podem acusar-me de não saber escrever, de não gostarem do que eu escrevo, mas de uma coisa eu tenho a certeza: eu sei contar uma história. Se não soubesse, acredite, não seria jornalista há 15 anos e não teria um blogue com 20 mil leitores diários.

  51. Não te chateies com estas coisas. Costuma-se dizer "vozes de burro não chegam ao céu!" 🙂 A inveja é uma coisa tão feia mas, infelizmente, há muita.
    Escreve, ganha dinheiro com o que escreves, porque sabes fazê-lo muito bem e mereces. Mais, mesmo que escrever não fosse, de origem, o teu ganha pão, e havendo uma oportunidade de ganhares mais algum dinheiro escrevendo, porque não? Não me choca nada! De um modo ou de outro, sair-te-ia do pelo e não estarias a ninguém.
    beijinhos

  52. acha que a maioria dos escritores escreveram (escrevem) por dinheiro? Está enganado. Mas lá está, estou a falar de escritores e desculpe, ser jornalista e escrever artigos não é ser escritor. não quer dizer que os jornalistas não possam ser fantásticos escritores, naturalmente, mas daí a dizer que os escritores o fazem por dinheiro, não. escrever é uma arte, uma necessidade intima e pessoal. Os grandes escritores de sempre não escreveram a pensar em ser best sellers. se tiveram sucesso (muitas vezes póstumo) foi pela qualidade reconhecida e não como vontade de partida. é aí que esta a diferença entre um escritor e alguém que quer fazer algo que sabe à partida que vai agradar às massas e como tal ser best seller… Não que best sellers nao possam ser bons escritores. Mas é a intenção, o ponto de partida que , meu ver, separa o trigo do joio, a arte do comércio.

  53. Existe relativamente um grande número de pessoas com falta de cultura, mas enfim!

    Continua o teu trabalho, no qual é bem feito deixa-me que diga, quanto ás dores de cotovelo nem vale a pena dar credito a pessoas assim. Felicidades para ti e para os teus, o seguimento de um excelente trabalho e quanto ao dinheiro, é sempre bem vindo ainda para mais como se encontra a situaçao actual do país, tal como escreveste. Se ganhas ou nao com isso só a ti diz respeito e como referiste é o teu trabalho e fazes com gosto, independentemente do resto. Parabéns!

  54. Como já aqui escrevi uma vez adoro a sua maneira de escrever, até sobre desporto leio qd é algo q n tenho o mínimo interesse só pela maneira magnifica como nos dá a visão das coisa.. Sinceramente acho perfeitamente justo receber pelo que faz, tem imenso talento! As pessoas com talento têm que ser reconhecidas de alguma maneira e o dinheiro é uma das formas de comprovar o sucesso. Portanto espero que continue a escrever sobre si, sobre a sua família, interesses… Que ganhe imenso dinheiro e que faça viagens para destinos de fazer inveja a essa gentinha pequenina :)! Adoro o seu trabalho e agradeço-lhe por escrever para mim (nós)!

  55. Olá pai de segunda viagem… Antes de mais parabéns a si e à Pipoca pelo pipoca baby que aí vem a caminho.
    Parabéns tambem pelos vossos blogues que acompanho sempre que posso e que acho que são de uma criatividade incrivel… Livres, soltos, fixes, sem papas na lingua, com uma linguagem corrente que dá vontade de ler e que se lê com um sorriso nos lábios. Quanto à população preocupada com a sua conta bancária… e com o facto de o seu pipoca baby ficar traumatizado com o blogue em sua homenagem (ignore)!!! Sejam felizes… com muitos blogues, com a conta bancária recheada, com muita saúde e boa disposição. Há um ditado popular que diz: "Aos olhos da inveja, todo o sucesso é crime!" Felicidades. Carolina VC

  56. Cara anónima. Se ler com atenção o que eu escrevi perceberá que eu não vou escrever um blogue para ganhar dinheiro. Eu vou escrever um blogue porque gosto de escrever. E quero escrever sobre este período que estou a viver. E num espaço que achei mais adequado do que este. Se, daí, vier dinheiro, perfeito, será apenas uma compensação pelo meu trabalho.

  57. Como se diz cá no Norte "caga nisso".Continuem,quem gosta gosta quem não gosta siga em frente.Já agora que ganhe o nosso SLB logo e que daqui a 8 jornadas estejamos a comentar a festa.Sandra M (anónima porque não tem blogues)

  58. mas usar o nascimento futuro de um filho para ganhar dinheiro, não sei se vai ser esse o propósito ou não, é um bocadinho questionável, não?!

  59. Adorei a direta ao tipo de pessoas que dizem mal do que escreve, e depois passam a vida a fuçar o que escreve.Força Arrumadinho, porque eu adoro o seu blog.Felicidades para o novo blog.

    Ana Fenixx.

  60. É a primeira vez que comento (embora leia alguns textos seus e da sua mulher) e eu pasmo-me (na falta de outra palavra que faça jus à minha expressão) com a estupidez (lá está, falta-me uma palavra mais cuidada, mas hoje não tenho esses cuidados, peço desculpa) dos anónimos que por aí andam a dizer mal de tudo e todos. Serei só eu que, se não gosto, não comento? Se não gosto, não como, não bebo, não vou e não leio. Eu admiro-os por aturarem estas pessoas que, claramente, têm algo de errado na cabeça para pensarem "eu vou só aqui dizer que ele não presta e desejar a morte à família toda!". Eu nem sei que lhe diga, a não ser: escreva. Ganhe dinheiro aos montes! Escreva mais e mais e seja feliz. Contrarie a crise que se sente e é de louvar a pró-actividade (se é em forma de novo blog, seja! Se for a engomar camisas aos sábados para os vizinhos, seja também!).

    Mundo pequeno este, hein? "Nossa, que biolência" 🙂

    Parabéns ao casal pelo rebento que vai nascer, desejo-vos muita sorte para o que aí vem 🙂

    MarianaMarques

  61. "Eu até acho que a alguns desses comentadores de visão distorcida entendem isso, mas irrita-os ver alguém a quem a vida corre bem"

    É isso mesmo. Sem tirar nem por. A inveja é fod…lixada.

  62. Pois, conheço bem o Código. E, de acordo com o mesmo, não estou em incumprimento em nenhum dos pontos. Nem enquanto jornalista, nem enquanto blogger. Mas obrigado pela partilha, já que pode haver quem não o conheça.

  63. Conheço jornalistas que levam isto mesmo muitooooooo a sério!

    "Não constitui actividade jornalística o exercício de funções referidas no número anterior quando desempenhadas ao serviço de publicações de natureza predominantemente promocional, ou cujo objecto específico consista em divulgar, publicitar ou por qualquer forma dar a conhecer instituições, empresas, produtos ou serviços, segundo critérios de oportunidade comercial ou industrial.

    1 – O exercício da profissão de jornalista é incompatível com o desempenho de:

    a) Funções de angariação, concepção ou apresentação de mensagens publicitárias;
    b) Funções remuneradas de marketing, relações públicas, assessoria de imprensa e consultoria em comunicação ou imagem, bem como de orientação e execução de estratégias comerciais;

    2 – É igualmente considerada actividade publicitária incompatível com o exercício do jornalismo o recebimento de ofertas ou benefícios que, não identificados claramente como patrocínios concretos de actos jornalísticos, visem divulgar produtos, serviços ou entidades através da notoriedade do jornalista, independentemente de este fazer menção expressa aos produtos, serviços ou entidades."

  64. O pior é que pensam mesmo isso dos médicos, principalmente dos que operam… Cada um sente à sua maneira, mas a inveja é um mal transversal neste país…

  65. "E a primeira coisa que lhe veio à cabeça, a primeira preocupação, foi o facto de eu ganhar dinheiro com um blogue"

    Mas oh Arrumadinho,

    Alguém que escreve um comentários desses nas circunstâncias que descreves, está-se a borrifar se ganhas ou não dinheiro com o blog. Isso foi escrito claramente para te irritar, tão só e apenas.

  66. Pelo que parece, há muita gente a precisar desesperadamente de Nívea 😀
    Escrever num blog, imagino, deve ser algo tão desgastante como um outro ofício qualquer, portanto qual o problema de haver uma remuneração? Essa necessidade bem portuguesa de ''deitar a baixo'' consegue ser bem irracional e parva. Se não querem compactuar, não leiam. Resolvido. Afinal ao visitar só estão a beneficiar o autor…

  67. Coisa feia a inveja! Que se lixem…
    Continua a escrever e bem. Gosto de ti, Arrumadinho Blogger e também gosto de ti, Ricardo Martins Pereira Jornalista. Continua lá a ganhar dinheiro com a escrita porque isso significa que, nos entratantos, vamos lendo o que te vai saindo do pêlo!
    Vera

  68. Desde que li o teu livro que sou leitora deste blog. Gosto dos temas, da tua opinião sobre eles. Opinião sempre escrita de uma forma que dá vontade de ler até ao fim do post.
    Tudo o que atrai pessoas, atrai dinheiro… é assim que este mundo funciona. Melhor para ti 🙂 Toda a gente gostava de ganhar dinheiro com algo que gosta de fazer. Nem acho que aqui a questão de seres jornalista seja o factor principal, há pessoas que têm blogs e escrevem bem e não são jornalistas e atraem pessoas… ou se não escrevem têm outro mérito qualquer, há bloggers de tudo e mais alguma coisa…
    Parabéns pelo excelente trabalho! E já agora pelo filhote que originou o baby blog 🙂

  69. Arrumadinho, acho muito bem que ganhes. Quer escrevas profissionalmente, quer apenas por gosto, se acham que o que escreves é digno de remuneração, pois acho muito bem, sobre tudo porque agora vais ter mais uma boca para alimentar(e com apetite, esperemos… se sair à mãe então, cuidado- segundo o que a própria escreve…) 😀
    E digo-te mais: se fosses mecânico e gostasses de escrever e te quisessem pagar, pois que continuaria a achar bem, em particular porque gosto de como escreves.

    E mai' nada!

    Maria Martins

  70. "E é da escrita que me vem todo o dinheiro que ganho. Da escrita no blogue, de crónicas ou na revista onde trabalho."

    "Naturalmente que sim, que um jornalista está abrangido por um Estatuto próprio que não permite que se façam posts patrocinados por marcas"

    Sou eu o unico que lhe parece que há qualquer coisa aqui que não faz sentido?

  71. É uma situação complicada. Quanto a mim – e acredito que se passe o mesmo contigo – basta-me ter a consciência tranquila. Nota-se que vives dessa mesma forma. Por isso, continua! O resto é paisagem.

    homem sem blogue
    homemsemblogue.blogspot.pt

  72. Não sou jornalista. Nem nada que se pareça mas concordo em absoluto com este comentário do homem sem blogue.

    Gosto do que escreves, e da forma do que escreves. Vou continuar a acompanhar-te aqui e no outro blog. Vou continuar a ler-te com prazer. Deste lado não sinto que leio palavras encomendadas e isso agrada-me.

    Se te pagam para fazeres o que gostas, melhor ainda! Mesmo que não fosses jornalista! Qual o problema da "coisa"?! No fundo, e sem me alongar mais, o cerne da questão está na pobre mentalidade de se nivelar tudo por baixo. Em vez de tentarmos trabalhar para ganhar tanto quanto o "vizinho", não, tenta-se deitar abaixo o vizinho!!

    Continuação de boas escritas.

  73. O Português, é realmente um ser muito egoísta. “Ah o gajo tem uma grande casa, aposto que trafica drogas e órgãos”…
    É triste, não ver para além do obvio.
    Pelo que leio, é fácil perceber que este espaço é uma espécie de catarse, e é escrito por gosto. E se fazer o que se gosta dá dinheiro, Wtf is the problem?!
    Quem me dera conseguir dinamizar o meu blog e ter o mesmo sucesso! Talvez um dia possas dar um workshop! 
    Abraço e felicidades para os 4.

  74. Olá Bruno. Já tive essa mesma conversa com vários colegas jornalistas, bem como com outras pessoas. Eu, enquanto jornalista, não sinto um escrutínio tão grande como enquanto blogger. Na minha revista, falo sobre tudo o que acho importante, tudo o que acho que merece ser dado a conhecer, e faço-o abertamente, enquanto serviço ao leitor. No blogue não o posso fazer. Porque se o fizer já sei que levarei com as queixinhas dos que podem achar que eu estou a ser pago para dizer isto ou aquilo. É aquela coisa do não bastar ser sério. Abraço

  75. Ahahahahah adorei! há certas pessoas que precisam que as metam no lugar, quando se fazem criticas deve-se pensar bem no que se está a dizer e pensar se realmente a pessoa em causa "merece" essa critica, ou se apenas estamos com um bocadinho de inveja e aquela pessoa e o seu sucesso nos está a incomodar 😉

    http://sophiedamoda.blogspot.pt/

  76. Enquanto jornalista, concordo com o que dizes. Se vives da escrita, faz todo o sentido que aproveites o máximo aquilo que as palavras têm para ti. Mesmo que tenhas desejo de criar 150 blogues porque vão ser fontes de rendimento para ti e para os teus, que mal causa isso ao mundo? Nenhum! Como dizes, e bem, quem gosta lê, quem não gosta não lê.

    Por outro lado, compreendo aquilo que causa mais estranheza a muitas pessoas. E isso prende-se com a publicidade escondida em textos, algo que um jornalista profissional não deve fazer. E algo que pode causar conflitos na hora de renovar uma carteira profissional. Acho que algumas pessoas acabam por sentir-se enganadas quando gostam de um texto que acabou por ser encomendado por uma marca. Porém, explicas que não o fazes. E isso é bom. Contudo, há o outro lado que as pessoas ignoram. A maior parte dos jornalistas fazem publicidade nos textos que escrevem para os jornais ou revistas onde trabalham. E isso já ninguém critica. Quando se fala sobre o restaurante x, sobre o artista y que lançou um cd e vai dar um concerto, estamos a publicitar algo.

    Pessoalmente, sou contra esse tipo de textos, até porque muitas pessoas caem no erro de elogiar produtos de marcas diferentes. Conseguem dizer que ambos são os melhores do mundo. E isso acaba por incomodar muita gente.

    Como em quase tudo na vida, são opções que as pessoas escolhem e seguem. Cada qual sabe o caminho que quer percorrer e os objectivos que persegue.

    No teu caso específico, gosto daquilo que leio. Gosto da forma como abordas diversos temas e pessoalmente não sinto que estou perante textos encomendados. Por isso dou-te os meus parabéns.

    E falas de algo que muitas pessoas desconhecem. Que é o facto de que um blogue, por maior prazer que se sinta na sua escrita, dar muito trabalho.

    Continua no bom caminho.

    Abraço

    homem sem blogue
    homemsemblogue.blogspot.pt

  77. Gostei deste post arrumadinho. Na verdade o que muita gente tem é a chamada dor de cotovelo pois como, ou estao desempregados e a chorar pelos cantos ou têm um emprego fastidioso das 9 as 18 em que detestam o que fazem ou simplesmente porque são pessoas invejosas, olham para o sucesso das pessoas que fazem o que gostam e ganham dinheiro com isso e ficam todos roidos. E eu identifico-me com as pessoas fastidiosas mas ao contrário das pessoas que comentam negativamente só posso é olhar para os vossos casos (teu e da pipoca) e pensar, bolas… é possivel!!! Portanto, toca mas é a erguer a cabeça e a fazer por ter sucesso também. Eu penso assim, para mim, o vosso sucesso é uma inspiração em como é possivel fazermos o que gostamos e ganhar dinheiro com isso… inveja? claro que tenho um bocadinho. Não sou sonha nem vou mentir… seria idiota dizer que não tenho um bocadinho de inveja. Não de vcs mas de todas as pessoas que têm sucesso a fazer o que gostam. Mas para mim esta inveja é positiva. Dá-me força, dá-me alento para que tb um dia eu possa dizer que consegui. Força aos dois.

    Rita
    http://eraumavezomeusonho.blogspot.pt

  78. Se ganahs dinheiro com isso aproveita…

    Nos dias que correm todo o que vem é pouco…
    Se para além disso ainda divertes/entretens algumas pessoas melhor…

  79. Cara Maria. Naturalmente que sim, que um jornalista está abrangido por um Estatuto próprio que não permite que se façam posts patrocinados por marcas. É por isso que não os faço (e também porque não me sentiria confortável a fazê-lo). Quanto à opinião, aí, não, um jornalista pode dar a sua opinião sobre tudo o que bem entender. O que não deve é opinar quando está a escrever uma notícia. Este blogue não é um órgão de informação, e eu aqui não escrevo notícias, dou apenas opinião.
    Relativamente ao "blogger profissional" vs "jornalista profissional", no meu caso, também não se põe essa questão: eu sou jornalista profissional, e blogger em part-time. Mas poderia ser ao contrário, que também não seria incompatível. Hoje em dia, há centenas de jornalistas que são bloggers.

  80. Concordo plenamente contigo mas, como jornalista profissional que és não tens algumas restrições? Vi em alguns blogs comentários sobre a falta de ética jornalista quando um profissional escreve patrocinado por marcas por exemplo ( não sei se é o caso ou não) ou sem qualquer tipo de isenção de opinião. Mesmo embora seja um blog de opinião pessoal.

    Mas não existe alguma discordância entre o profissional jornalista e o blogger profissional??

    Desde já Obrigada

  81. Caro Arrumadinho,
    Sou leitora assidua mas nunca comentei, no entanto, foi tao assertivo que resolvi dar-lhe os parabens pelo que escreveu e pelo bebe que ai vem!

    As pessoas nunca estao felizes com nada, nem com ninguem… Principalmente se estao felizes!

  82. Não há dúvida que o povo português prima pela inveja, rancor,até ódio por quem corre atrás, faz acontecer, produz. Haverá sempre bom remédio, é fazerem igual, procurarem o sucesso. Não conseguem? Temos pena. Por mim que venham mais blogs, muitos, todos os que precisamos para nos encher a alma de palavras, sons e cores!

  83. Não sou uma particular fã do seu blog nem do da Pipoca. No entanto, passo por aqui algumas vezes e sinto interesse em ler alguns dos seus posts.

    Também não me interessa nada um baby-blog. Sou uma mãe recente, mas de maternidada já me chega a que tenho em casa.

    Mas numa coisa dou-lhe todo o valor – a pro-actividade.

    Está a lutar pelo que gosta, o que quer e a fazê-lo bem. Continue e parabéns por todas as coisas boas na sua vida.

    E já agora, ganhe muito dinheiro…:)

  84. Adorei o texto acima, apesar de não estar a viver uma situação fácil em termos financeiros, haja alguém que faça pela vida…É uma inspiração para mim…E uma das coisas que uma vez me disseram é que as pessoas, como são mesquinhas, não gostam de ver a felicidade e realização pessoal das outras, alimentam-se da infelicidade dos outros…É mais fácil, passar a mão pelo lombo e dizer "coitadinhos".

  85. Quem sabe, sabe! E o "Arrumadinho" sabe! Não podia estar mais de acordo! A inveja é algo dificil de digerir!!!!! Felicidades para si, para a Pipoca e para o rebento que espero nasça a 21 de Agosto 🙂

  86. Bom dia,
    Continue a escrever por muitos e muitos anos e eu a ler pois gosto muito de vos acompanhar a si à pipoca e agora a pipoca mais dois…

DEIXE UMA RESPOSTA