Don’t ask what Facebook can do for you

0
3159

Tema do dia: “Don’t ask what Facebook can do for you, ask what your Facebook can do to fuck you”.

Sim, fui eu que inventei. Já ando com a cabeça em Washington (para quem não sabe, a famosa frase de JFK está gravada no chão, em pedra, junto da chama eterna, no cemitério de Arlington, em Washington – ah, e já vos disse que é para lá que vou muuuuito em breve? já disse? ahahahahaha).

Pronto, é isto. Vamos lá a debater a coisa: o Facebook é bom para o trabalho e tal e tal, mas foi o causador de 30 por cento dos divórcios nos Estados Unidos em 2010. Alguém tem alguma coisa para partilhar? Histórias giras?

Eu já venho aqui dizer umas coisas sobre esse assunto.

1 Comentário

  1. O facebook é uma maneira porreira de manter o contacto com os amigos e voltar a encontrar pessoas das quais já se perdeu o rasto há muito.

    Eu tenho uma teoria comprovada em relação aos relacionamentos online. Comprovada comigo. Mas nem todas as pessoas são iguais.
    Os meus últimos 4 ou 5 relacionamentos começaram online. E não pensem que foram coisas inconsequentes, o mais curto durou 6 meses, e o mais longo ainda estamos para ver, vivemos juntos vai para 4 anos.

    A minha teoria é a seguinte:
    Quando conhecemos uma pessoa online, o conhecimento evolui muito rapidamente, e facilmente conseguimos perceber se a pessoa interessa ou não (Obviamente que há sempre aqueles cromos que dizem que são uma coisa quando são outra, mas para uma pessoa perspicaz é fácil apanhar essas coisas, porque é muito difícil manter uma mentira, e em pouco tempo tudo desmorona).
    Adiante.
    Se a pessoa não interessa, não se perde mais tempo. Se por outro lado se quer saber mais, as coisas vão evoluindo. O encontro pessoal só pode acontecer depois de algum tempo, e para esta parte também tenho uma teoria: manter as expectativas baixas, o mais baixas possíveis, tanto num lado como noutro. Se mesmo assim houver vontade de passar à parte física, tudo é mais fácil, e nunca é decepcionante! 😉
    Na minha experiência pessoal, posso comprovar que os relacionamentos que começam assim são mais sinceros, e com fundações mais estáveis, ao contrario do que é o entendimento comum.

    O inicio das relações tradicionais recai sempre sobre o aspecto físico. Sempre. Se a pessoa atrai fisicamente, evolui-se para o conhecimento pessoal e depois intelectual. Se não atrai fisicamente, só em situações em que por outras circunstâncias se mantém o convívio, é que é possível passar a gostar da parte intelectual, e passar a ser atraído também pela parte física. se essas circunstâncias não existirem, nem se olha 2ª vez para o outro.

    E tenho dito.

  2. Tenho 27 anos e tenho facebook, gosto de publicar umas fotos, mostra-las aos amigos mas na verdade ODEIO o facebook, como explicar?… Nao me dá segunrança, ando sp ansiosa, vou ver quem o meu noivo adicionou, se eu conheço ou nao, odeio as amiguinhas (leia-se amigas afastadas/flirts antigos) que comentam as fotos dele, as musica dele, parece que andam sp "à cóca", sp atentas. Odeio deixar-lhe algo no mural e ele nao me deixar nada no meu durante mt tmp, é parvo mas as mulheres ligam a essas coisas. Contudo, nunca discuto por nada disto mas fica me sp entalado. ODEIO mas se ele tem, eu tb tenho…"Until facebook do us part".

  3. Se não for o facebook será provavelmente a rotina diária… cá em casa utiliza-se o fb todos os dias. partilham-se sentimentos no Fb e até se fazem declarações de amor. se podia não as fazer e dizê-las a ela directamente?? Poder podia, mas eu gosto destas merdices, queres o quê??

    Beijos

  4. Acho muita graça àqueles fulanos que criaram Facebook e andam por lá todo o dia a cuscar tudo o que actualização de amigos e amigas e no perfil deles não se passa nada. Meses a fio só a aceitar amigos (sim, porque os outros é que tomam a iniciativa), não comentam nada de ninguém… porque a namorada/esposa faz marcação cerrada em tudo. Andam ali como que num "ai se eu pudesse"… São uns sofredores…

  5. Confesso que utilizo o FB diariamente. É uma maneira de estar em cima do acontecimento pois, acabamos sempre por cuscar este ou aquele. Já ouvi muito "boa gente" dizer que não tem FB e que isso das redes sociais…blá, blá mas depois, acabam por fazer o seu perfil. Não tenho interesse em ter milhentos amigos e já por duas vezes fiz, uma limpeza aos conhecidos. Também não ando a pedir para me adicionarem mas, já acabei por adicionar por, achar giro e até já tive 2 flirts ao vivo e a cores que felizmente, não deram em nada. Podemos falar meses a fio, "likar" os post's e as fotos mas, na verdade, nunca ninguém é quem aparenta ser e só se mostra aquilo que queremos que os outros vejam. Tive 1 namorado de 5 anos que conheci no Hi5 por isso, desde que se esteja disponivel why not? Isso dos divórcios tem muito que se lhe diga…quando as coisas não estão bem, tudo serve para desculpa e o FB é a "ferramenta" mais à mão!!

  6. No outro dia, e por acaso, tive que ir ao pc da minha namorada e ela tinha o fb ligado e uma janela do chat aberta. a conversa que vi nao me agradou e fui ver o historico. li coisas que nunca pensei ler, escritas por ela. a minha confiança cega nela acabou naquele momento. falámos sobre isto e ela disse me que nada tinha acontecido, que era so flirt virtual. ao que lhe disse que metade do caminho já tava feito e que so faltava marcar data e hora para consumar a traição. ela disse que nao, que já se podia ter encontrado com ele e que nao quis. A frase que mais me custou ouvir, foi quando perguntei se era mau namorado, se a fazia infeliz. Ela disse que nao, que eu era bom namorado e que a fazia feliz e que nao havia nenhuma razao para ela ter dado conversa a outro gajo (por sinal, tambem com namorada). Ao que lhe disse: isso é que me preocupa. dizeres que nao ha razao para teres feito, e o teres feito na mesma. Ando a tentar esquecer este episodio e ando a tentar acreditar que nada se passou e que ela nao vai voltar a cometer o mesmo erro. Mas penso nisto todos os dias e se lhe ligo e ela nao atende, fico a pensar coisas que nao devia. Se ela chega mais tarde a casa do que é suposto, fico a pensar coisas que nao devia. Se ela nao quer fazer amor, fico a pensar coisas que nao devia. Se ela recebe uma sms a horas improprias, fico a pensar coisas que nao devia. E isto tudo é o prémio que recebo por ser bom namorado, por confiar nela a cem por cento, por lhe dar liberdade para sair com amigas, por nao ser ciumento nem controlador. Se isto tudo me tivesse acontecido quando era mais novo, a relacao tinha acabado no momento em que li a conversa que ela teve com o outro gajo. Mas como já estamos juntos ha alguns anos, mudámos de casa recentemente e queremos constituir familia a curto prazo, dei a nós uma segunda oportunidade, na esperança que ela nao cometa os mesmos erros, ou entao, pelo menos, que na proxima vez saiba esconder melhor as coisas, porque o que não sabemos, mal não nos faz. É triste dizer isto, mas é verdade.

  7. Conheço estórias de amigos de amigos cujos casamentos se desmoronaram por causa do FB. No FB é muito mais fácil interagir/ "cuscar", ao contrário de outras redes sociais. Isto tem o seu lado positivo porque passamos a saber as linhas com que nos cosemos ( "diz-me com quem andas, dir-te-ei quem és") e tem o lado negativo para aqueles que são inseguros e ciumentos que vivem no inferno constante das verificações e interpretações de paredes…Quanto a mim,até ao momento, a minha experiência é positiva e foi o FB que despoletou a minha relação actual. Ou seja, já nos conhecíamos há anos ( ex colegas de faculdade) mas nunca tínhamos trocado mais do que dez frases no tempo de faculdade. Entretanto, passaram cinco anos e "ele" era a sugestão constante para adicionar pelo quantidade de amigos em comum. Um dia segui a sugestão do FB e "ele" aceitou o meu pedido de amizade. Nenhum de nós tinha segundas intenções ( apesar de "Ele" recentemente ter confessado que tinha ficado fascinado pela fotografia de perfil que eu tinha). Largas semanas depois, num momento raro de tédio laboral resolvo comentar uma das músicas que "ele" postou e a partir daí a interacção foi uma constante e foi nascendo o interesse de saber mais, bem como um crescendo de mensagens via FB que depois passaram ao e-mail. A coisa foi evoluindo num crescendo informativo e no convite para um "date" (após averiguar qual era a minha situação afectiva primeiro com amiga comum e depois frontalmente comigo, coisa que eu achei refrescante). Depois de dois dates e de uma viagem para o outro lado mundo fui basicamente encostada contra a parede e assumimos uma relação. Quase seis meses passados continuamos muito felizes :). Não tenho dúvidas que o FB foi o catalisador e que de outro modo dificilmente nos voltaríamos a cruzar.

  8. Washington é fixe 🙂
    Havendo tempo, o Smithsonian Air and space museum merece uma visita.

    Do facebook… é um bocado estúpido e dá-se demasiada importância ao que lá se põe. Se as pessoas conversassem a sério era bem melhor.

  9. Um conhecido meu tinha "dado um tempo" à relação com a namorada e rumou a outro país num fim de semana ter com uma miuda engraçada que tinha conhecido via facebook. Era para ser só um fim de semana mas a estadia foi-se prolongando até que depois de muitos telefonemas decidiu que o que estava a fazer era uma parvoíce e que deveria voltar para casa e para a namorada que ignorava onde ele estava. Explicou isso à sua amiga que não aceitou bem a boa nova, mas o que fazer?

    Ora que ele se esqueceu de fazer log out do facebook no computador dela e ela publicou, enquanto ele estava em viagem, uma foto dos dois a dar um beijo e onde pos um tag de todos os seus amigos incluindo o da namorada dele. Auch.

  10. Eu tenho uma amiga que andou enrolada com um tipo durante mais de seis meses e, depois de terem passado uns dias maravilhosos só os dois, quando chegaram, ele mudou o status dele para comprometido. Mas com outra. Ah, e com direito a foto do beijinho e tudo!

    Não é uma história muito gira, pelo menos para a minha amiga ahah

  11. Se não for o Facebook é o telemóvel, se não for o telemóvel é o bar, se não for o bar é o café onde se vai todos os dias. Onde quer que hajam pessoas a comunicar, haverá a possibilidade de se interessarem umas pelas outras.

    Não tenho nenhuma história horrrrivel para contar, só uma cómica: tenho uma amiga que conheceu o namorado no Farmville 😛

DEIXE UMA RESPOSTA