Crónica de um benfiquista revoltado mas por-outras-coisas-que-não-as-que-parecem-revoltar-a-maioria-dos-benfiquistas

0
5218

Depois do empate do Benfica em Coimbra não se falou de outra coisa se não o roubo que aquilo foi, os dois penáltis mal assinalados contra o Benfica, o sistema que já está a empurrar o Benfica para fora dos primeiros lugares, as maroscas do Carlos Xistra que está ao serviço de outros interesses que não os da verdade desportiva, enfim, falou-se de quase tudo menos daquilo que eu acho que foi o mais grave e escandaloso que se passou dentro de campo: as sete ou oito oportunidades claras de golo que o Benfica desperdiçou. Sobre isso, nem uma linha de discussão.

Pontos prévios:

1. Eu vi o jogo com muita atenção do princípio ao fim, e vi todas as repetições dos lances de todos os ângulos possíveis.

2. Parece-me que os dois penáltis marcados contra o Benfica não foram bem assinalados; no primeiro a falta parece-me fora da área, no segundo parece-me que o Garay toca na bola e o jogador da Académica mergulha por cima dele.

Repararam na formulação usada no segundo ponto? Parece-me. E, efectivamene, parece-me que as coisas se passaram assim. À terceira ou quarta repetição, começo a ter mais certezas, mas, ainda assim, acho que ambos os casos podem perfeitamente deixar dúvidas. No momento, o árbitro decidiu, parece-me que mal, mas pronto, está decidido.

Será que estes penáltis tinham acontecido ou teriam tido importância se aos 6 minutos de jogo o Benfica estivesse a ganhar 2-0, já que teve dois lances em que o Cardozo e o Rodrigo atiraram à barra e à trave com a baliza escancarada? Será que estes dois lances teriam tido importância se, com o decorrer do jogo, o Cardozo não tivesse falhado mais quatro oportunidades, à entrada da pequena área, completamente sozinho? O árbitro, que não é profissional, que ganha 50 vezes menos que os jogadores, erra e cai-lhe tudo em cima, os craques, que são profissionais, que ganham 100 mil euros por mês, podem errar cinco vezes num jogo, prejudicar a equipa, levá-la a perder pontos, e toda a gente assobia para o ar? Eu não assobio.

Há muito que defendo que devia haver um nível de exigência e escrutínio muito maior para com os jogadores de futebol dos maiores clubes, os craques que se passeiam em carros de 200 mil euros, que trabalham 2 horas por dia e muitas vezes queixam-se de que não são acarinhados pelos adeptos. Eles são uns privilegiados, ganham num mês o que muita gente ganha em 10 ou 20 anos de trabalho, vão reformar-se aos 34 ou 35 anos, e são quase sempre tratados como peças de museu, intocáveis, protegidas do mundo. São florzinhas de estufa que quando ouvem assobios ficam deprimidos, e depois jogam mal, e baixam de rendimento, e andam tristes. Estes senhores deviam era trabalhar mais e deixar-se de merdas. Se falham golos de baliza aberta, passem cinco horas por dia, depois do treino, a rematar à baliza, para melhorar as capacidades. Se são fracos a cabecear, passem cinco ou seis horas por dia a treinar cabeceamentos. É para isso que lhes pagam, e é para isso que lhes pagam muito bem: para serem excelentes. Só que muitos deles preferem lamentar-se da sorte e proteger-se no passado (“Ah, mas eu no jogo passado marquei dois golos” – pois, senhor, é para isso que lhe pagam, não fez mais do que a sua obrigação; mas o que é certo é que ainda vai receber um bónus pelos golos, que fazem parte do seu trabalho – isto é tão estúpido como eu exigir ao meu patrão um bónus por escrever textos, como se não fosse esse o meu trabalho).

Durante alguns anos, fui jornalista desportivo. Assisti a muitas e muitas horas de treinos, e sempre me fez confusão ver a maior parte dos jogadores na galhofa, a correr à volta do relvado a 5 km/h, sem o mínimo de aplicação, de garra. E aquilo parecia uma coisa instituída, porque acontecia nos treinos do Benfica, do Sporting ou da Selecção Nacional. Outra coisa que mexia comigo eram os horários. Os senhores treinavam duas horas de manhã e pronto, estava feito o dia. No início das temporadas, havia treinos bi-diários, mas mesmo isso ocupava-lhes quatro ou cinco horas diárias, o horário de um part-time. Ah, e duas vezes por semana o “treino” era “banhos e massagens”.

Claro que haverá uns mais profissionais do que outros, uns mais aplicados, outros que lutam para ser melhores, mas, parece-me, a relação vencimento/esforço/dedicação é bastante desequilibrada.

Os adeptos e dirigentes do Benfica fariam muito melhor figura se, em vez de virem atirar areia para os olhos das pessoas, culpando a arbitragem dos pontos perdidos, viessem gritar e exigir mais dos próprios jogadores, aqueles a que também eu pago o salário com as minhas quotas. É que se hoje o Benfica for beneficiado pela arbitragem e ganhar com um golo do Cardozo, amanhã só se vai falar da arte do avançado, e o erro do árbitro passará a uma circunstância do jogo.

Os três grandes deviam ter mais pruridos em falar de arbitragem. Algumas vezes são prejudicados, mas muitas mais são aquelas em que são beneficiados. E, no final, feitas as contas, vai tudo dar ao mesmo: o campeão é sempre o que jogou melhor à bola.

1 Comentário

  1. Tiago Vitória: eu, "agento crítico de blogues"? Deve estar a confundir-me com alguém… Eu nunca disse que sou imparcial, mas, não sendo por acaso, o nome que assino são as minhas iniciais.

    Sempre ouvi dizer que "quem diz a verdade não merece castigo", portanto não compreendo o seu melindre por eu dizer CRAC. Com tudo o que roubou, perdão, ganhou nos últimos 30 anos, era de esperar que o CRAC já tivesse deixado o seu cariz regional e se tivesse tornado um clube nacional. Mas não, o discurso cheio de provincianismo tacanho, de constante antagonismo a tudo e todos, não o deixou. Não digo que não tivessem ganho mais adeptos, mas numa proporção bastante inferior ao que seria expectável. O que me leva a ter alguma fé na educação que os pais estão a dar aos filhos. Ganhar, sim, mas não a todo o custo e pisando tudo e todos.

    Que eu saiba, este clube regional foi condenado na justiça desportiva por tentativa de corrupção e sofreu uma pena de seis pontos. Não recorreu, portanto, assumiu que é corrupto. Não sei porque é que CRAC é assim uma "falta de respeito" tão grande…

  2. Arrumadinho cais no erro do mito "os grandes são sempre mais beneficiados". No caso do SLB isso é mito pq o SLB é muito mais prejudicado do que beneficiado. E podemos analisar caso a caso.

    Mostra-me qd o SLB foi beneficiado por um árbitro como é prejudicado por Xistra, Proença ou Olegário. Vê o "curriculo" destes contra o SLB e mostra algo semelhante em nosso beneficio.

    Cardozo é expulso por dar murros na relva; Aimar é ceifado na área da Académica e leva com falta atacante; Golo do Maycon em fora de jogo em jogo decisivo; golo do Hulk em fora de jogo nas meias da Taça na Luz; Penalty de Yebda sobre Lisandro no Dragão…enchia-te a caixa de comentários com casos e mais casos em que o SLB foi prejudicado. Não vale a pena. Lanço-te a ti e a qqr outro o desafio de mostrarem casos semelhantes em nosso benefício.

    Mas, como defendo sempre, os erros dos árbitros não podem servir para abafar os nossos e aí voltas a cometer um erro ao dizeres q Cardozo falhou não sei qts oportunidades isolado. Como??? Isolado? O homem tem duas oportunidades q o gr defende.. no lance da bola à barra a bola é desviada pelo gr q impede q Cardozo a toque da melhor forma.

    Mas, sim, tens razão. Cometemos erros, demasiados erros. MAs uns não podem anular os outros. São duas guerras.

    E não…o campeão não é sempre o que jogou melhor à bola. Dizer isso sabendo o que se passa em terras azuis e brancas é o pior que o Benfica pode fazer.

    Abraços

  3. Este S.L.B, caro agente crítico de blogues, não fosse ele completamente imparcial pelo nome que assume, está tão ofendido com o futebol português que nem consegue tratar o o rival pelo nome, Futebol Clube do Porto.

    No seu comentário, o que sobra de presunção falta em respeito. Equilibre a balança e comece a falar de futebol.

    Este post é evidentemente soberbo. Tem que se concordar com aquilo que o Arrumadinho escreve. E efectivamente não se pode encobrir resultados com teorias da perseguição, porque aquilo que se passa no jogo, se for de valor, de qualidade com garra e talento dos jogadores, sobrepõem-se a tudo o resto, seja a arbitragem, o campo ou a secretaria.

    O ano passado o jogo Benfica-Guimarães, teve 3 penalties para o Benfica, onde só 1 era legal. Mas é exactamente o que o Arrumadinho diz, umas coisas compensam as outras e no final de contas, se fomos prejudicados hoje seremos beneficiados amanhã.

  4. Ai falou exactamente TUDO o que eu penso e ando a dizer há anos! Sabe tão bem saber q não sou a única a pensar assim! A maioria dos benfiquistas está cega! E já agora acrescento que, mais do que os desperdícios do Cardozo, revolta-me mais a situação do Aimar. Ganha milhões de euros, só joga 60 minutos e é tratado como uma florzinha de estufa. Por melhor jogador que ele seja o SLB merece mais! E a política de contratações também é patética e pior, lesiva para o clube! Onde é q já se viu contratar jogadores e prolongar-lhes os contratos por 6 anos qd ainda não mostraram valor? É pra emprestar aos outros mas o SLB é q paga os ordenados! Sou sócia e tenho cativo mas estou farta de desperdiçar dinheiro!

    Vera

  5. Subscrevo tudo o que escreveste.
    E tenho-me surpreendido recentemente a subscrever tudo o que escreves.

    Não percebo é porque perdes tempo com textos sobre roupas e o catano.

    Bem, vou indo, obrigado e boa noite.

  6. Caro Arrumadinho: os erros dos árbitros "são futebol", mas as escutas que provam que houve (e há corrupção) na arbitragem já "não são futebol". E isso é o que está aqui em causa. Esta geração de árbitros vem toda da época do "Apito Dourado" e os principais corruptores andam aí alegres e contentes que "as escutas são ilegais" e portanto está tudo bem. Enquanto não se começar do zero, a suspeição mantém-se.

    Anónimo: pois é, o "Léo não sei quantos", não é? Outros há que ainda falham do Calabote, mas isso já é mais recente, não é? "Ai, eu não vou dizer de que clube sou, mas depois faço um comentário que mostra de que clube não sou". Tens muita piada! Só para que conste: a "Taça Lucílio Baptista", se bem te recordas, foi ganha pelo Benfica nos penalties. Claro que foi assinalado um penalty a nosso favor que não é era e que deu a igualdade. Mas depois a lagartada teve a oportunidade de a ganhar nos penalties. Vê lá se consegues ver alguma diferença em relação a um golo 2 metros em fora-de-jogo no último minuto num jogo importante da época passada…? Só mais uma coisa: no ano passado, não houve nenhum Benfica-Portimonense na Luz. O Benfica é beneficiado? Claro que sim, mas isso "é futebol". Quando descobrires alguma escuta de um dirigente do Benfica a falar de "frutas e chocolatinhos", eu venho aqui fazer mea culpa e dizer que tenho vergonha dessa situação. Coisa que NENHUM adeptos do CRAC alguma vez foi visto a fazer…

  7. Um leitor teu e que também gosta de futebol (e que torce por um clube, não interessa qual, pois se disser o meu comentário será "mal interpretado" por alguns), diz o seguinte:
    UM BEM HAJA AO TEU POST.
    Portugal será um pais melhor quando deixarmos de culpar os árbitros pelos resultados do nosso clube. Aliás, isto também serve para os nossos empregos, para as namoradas, politicos, etc. quando olharmos para nós próprios com olhos de ver, deixaremos os outros de lado.
    mas voltando ao tema do post, também quero dizer que gostei que tivesses dito algo bem importante: "Os três grandes deviam ter mais pruridos em falar de arbitragem. Algumas vezes são prejudicados, mas muitas mais são aquelas em que são beneficiados".
    Um dos comentadores chegou ao ponto de ir buscar coisas do Léo e não sei quê. Lá está, prefere remexer no passado e escolher acontecimentos que lhe interessam e à sua teoria. Aí está o problema, pois não quis falar da famosa taça lucilio, por exemplo, ou do empate na Luz o ano passado entre o SLB e o Portimonense, sem casos e também sem vitória do SLB. Enfim, cada um dos 3 grandes pode falar nisto e nunca mais acaba.
    Já é tempo de nos deixarmos disto e nos concentramos no que é importante, tal como o post realça.
    Bom fim de semana.

  8. Caro SLB, também "não é futebol" quando o Benfica é beneficiado, porque é, muitas vezes é. Como outros são. Das contas entre esse ser prejudicado vs ser benficiado acho que o resultado é nulo. Perdemos dois pontos em Coimbra com dois erros do árbitro, ganharemos outros três noutro campo qualquer com erros do árbitro. E os erros do árbitro também são futebol, lamento. E reafirmo tudo o que disse: se os jogadores do Benfica tivessem tido qualidade para finalizar oportunidades flagrantes de golo esta discussão não existia. Os dirigentes e os jogadores que se concentrem em maximizar o trabalho dentro de campo e vão ver que os golos aparecem, as vitórias também, e os erros do árbitro passam-nos ao lado. O que continuo sem perceber é como é que não há uma alma que se levante para reclamar dos erros do Cardozo. Ele está lá para marcar golos, é pago a peso de ouro para marcar golos, só tem de os marcar. Se não os marca, que trabalhe mais e melhor para os marcar. Ou então que vá embora e venha alguém que faça melhor esse trabalho.

  9. Eu não diria melhor, aliás infelizmente acho que é esse o nosso problema, quando ganhamos somos os melhores do mundo, quando perdemos a culpa é de todos menos nossa. Vejam lá se metem a bola na baliza que é assim que se ganha os 3 pontos!

  10. Imagina o seguinte: vais na rua a conversar com um amigo e a olhar para ele. Alguém estica o pé e tu cais. De quem é a culpa? Tua, porque devias estar a olhar para a frente? Ou dele, porque só caíste porque ele provocou essa queda? Tu achas que a culpa é tua. Eu acho que, apesar de poderes ter sido mais previdente, é dele. Porque só caíste, porque efectivamente ele te derrubou (o caso mudaria de figura se chocasses com um poste, porque esse já lá estava. Lá está, isso “é futebol”…). Percebes a diferença? O Benfica tem sempre que ser super-perfeitos, não falhar nada para que possa sobreviver a estas rasteiras e ganhar jogos e campeonatos. Outros, não. Tu achas que é justo. Eu não.

  11. Este teu raciocínio é todo muito interessante, mas enferma de um pressuposto errado: as bolas ao poste “é futebol”, os golos falhados de baliza aberta “é futebol”, até uma má exibição (que nem foi o caso) “é futebol”. O que o Sr. Carlos Xistra fez “não é futebol”! E não é futebol pelos antecedentes que este senhor tem: o que fez em Braga na expulsão do Javi García, a expulsão do Miccoli frente ao E. Amadora para não jogar no estádio do Clube Regional Assumidamente Corrupto (CRAC) na jornada seguinte, o escandaloso penalty que o Léo sofreu frente à Naval a 10’ do fim, etc., etc., etc. Já foi há algum tempo? Pois já, mas eu não apago a história. E “não é futebol”, porque nós vivemos num país em que escutas que demonstram à saciedade a corrupção que existe são juridicamente “ilegais” e portanto não se condena nem afasta ninguém que continua a ter hoje poder para continuar a fazer o mesmo. Ou tu acreditas na redenção e na Madre Teresa de Calcutá, e que “frutas e chocolatinhos” queriam dizer aquelas coisas que compramos na mercearia?

    A tua conversa dos jogadores de 100.000€ que não podem falhar golos também é muito curiosa. (Já agora, porque é que esses não podem falhar e têm que trabalhar 8h/dia e os que ganham 1.500€ já não?) Não viste o falhanço do C. Ronaldo frente ao Rayo Vallecano? Acontece aos melhores… lá está, “é futebol”. Eu acho muito bem que haja mais exigência para com os jogadores, que eles treinem mais (gostaria de ver, por exemplo, o Maxi Pereira, jogador insuspeito, a acertar mais vezes os centros) e que eles sejam obrigados a deixar a pele em campo (independentemente do dinheiro que ganhem). Mas passar uma esponja pelos últimos 30 anos do futebol português é cegueira, desculpa lá. E achar que o Carlos Xistra “errou”, porque “errar é humano” é ser naif. É fazer como a avestruz.

    Estou à vontade para falar, porque no ano passado perdemos o campeonato quando perdemos 5 pontos nas duas jornadas antes de recebermos o CRAC. E, apesar do mega-roubo do Sr. Hugo Miguel em Coimbra (2 penalties a nosso favor, sendo o sobre o Aimar, transformado em falta atacante(!), absolutamente escandaloso), o que é facto é que em 180’ de futebol, nós jogámos apenas 45’. E, claro, ficámos à mercê do “é futebol” do Nélson Oliveira falhar 3 magníficas oportunidades e do “não é futebol” do Sr. Hugo Miguel. Mas nada disso se passou em Coimbra na semana passada: aos 10’ já poderíamos estar a ganhar por 3-0. Não conseguimos, por causa das bolas nos postes e do primeiro dos inúmeros falhanços do melhor marcador estrangeiro da história do Benfica.

    E há outra coisa que me intriga: porque é que só o Benfica é obrigado a jogar este mundo e o outro para poder ganhar jogos? Porque é que o Benfica, depois de ter jogado o que não jogava há quase 30 anos, só conseguiu ser campeão a 15’ do fim do campeonato? Porque é que não pode ganhar a jogar mal (que, volto a repetir, nem foi o caso de Coimbra), como um outro clube faz? Eu digo-te porquê: porque isto está tudo armadilhado! Como o comprova o Xistra, ou o Proença no ano passado, ou o Benquerença há dois anos em Guimarães. Coincidências? Pois, pois… As escutas “não provam nada, porque são ilegais”?! Pois, claro que sim…

    E não, não é sempre o que joga “melhor à bola” que ganha no fim. Vais dizer-me que o CRAC jogou melhor que nós no ano passado? Ou que o Benfica do Trapattoni fez exibições deslumbrantes? Ou que o Chelsea jogou muito melhor que o Barça e por isso é que o eliminou na meia-final da Champions? Devia ganhar quem merece ou quem teve mais sorte. NÃO quem é sistematicamente ajudado para isso…!

    (continua)

  12. Parabéns, de uma Benfiquista que concorda 100% com tudo o que foi dito, gostaria de mais uma vez lhe dar os parabéns. São cada vez menos as pessoas que se conseguem distanciar dos clubismos e ver as coisas com clareza.

  13. Para mim, o problema é que, quando um treinador falha e faz mal o seu trabalho, é despedido. Quando um jogador faz mal o seu trabalho, é vendido. Quando o árbitro faz mal o seu trabalho diversas vezes, é desculpado por ser humano e ainda é promovido a internacional.

    É verdade que o Benfica podia ter ganho por cinco ou seis mas os golos falhados não podem desculpar os erros de Xistra tal como os erros de Xistra não podem desculpar as falhas dos jogadores.

    Os árbitros choram que não são profissionais mas isso é uma treta. São pagos a peso de ouro e a maior parte deles tem licença dos empregos.

    Entendo que, um árbitro, quando falha de forma permanente, deve ser castigado. Não deve ir para a prateleira mas pode ir abirtrar jogos dos campeonatos dos putos.

    homem sem blogue
    homemsemblogue.blogspot.pt

  14. Porque não falas da época em que o Benfica foi campeão à força? 🙂 Onde o Hulk foi afastado 4 meses (para depois dizerem no fim dos 4 meses que apenas devia ser suspenso por 2 jogos), onde todos os jogos do Benfica desde o início da segunda volta acabavam com um jogador da outra equipa SEMPRE expulso e com um penalti a favor do Benfica.Já para não falar do espectáculo televisivo na tarde de uma Segunda-Feira com directos da Camera Municipal de Lisboa, como se tivessem ganho a Champions.
    Se fores imparcial como todos os jornalistas devem, publicas este comentário; se não o publicares, és apenas mais um reçabiado que está a deitar a culpa para "os outros", e que não consegue ver que o problema do Benfica este ano é ter perdido dois grandes jogadores, Witsel e Javi (basicamente, o campo inteiro todo, que como sabes, é quem constroi o jogo de um equipa).
    Abraço.

  15. Os jogadores deviam ter penalizações no vencimento quando perdem devido ao fraco rendimento. Logo viam se não mexiam mais o cabedal!

  16. Nem mais! Totalmente de acordo! Já não se suporta as críticas aos árbitros! Há anos que deixei de ver futebol, à excepçao de quando joga a seleçao,por causa disso.Já não há pachorra para as mesmas desculpas de sempre. E de fato também acho que os jogadores não dão o máximo. A cabeça deles deve estar no Ferrari que vão comprar no dia a seguir ao jogo. Os jogadores dos maiores clubes não passam de uns vaidosos! Só se vê ostentação! Uma vergonha! Mas quando abrem a boca é de fugir. Não sabem dizer mais nada que "sabemos que vai ser dificil, mas tentaremos dar o nosso melhor", ou então, "sabíamos que ía ser um jogo dificil e demos o nosso melhor". Haja paciência!

  17. Epá!!! Estou a ficar tua fã!!
    Sim senhor, alguém com o pensamento mais correcto possível acerca destas questões futebolísticas!

    Como é que aqueles gajos que andam a correr atrás de uma bola durante 90 minutos (mais treinos e essas coisas) podem ganhar TANTOOOO dinheiro por mês e depois se a coisa não corre bem culpam sempre os mesmo – os árbitros!!

    Tudo bem que eles às vezes podem ter culpa no cartório, mas também acredito que não seja nada fácil ver lances à porta da baliza quando existe uma data de marmanjos à frente…

    Mas… tenho dito! Já sou tua fã!

  18. Isso é foi um chamado "deitar cá para fora"! Concordo!!

    Não há desculpa nenhuma para um Cardozo e/ou outro qualquer jogador desperdiçar tanta oportunidade. Se um comum mortal falhar no seu emprego duas ou três vezes seguidas, é motivo de despedimento em alguns casos, é incompetente e o facto de ganhar mal ou pouco não é desculpa. Aqui então aplica-se muito bem… Com o ordenado que ganham quase que dava para fazerem horas extras sem lhes pagarem. Mas pronto, cada um ganha o que ganha e está feito. Acho mal é que a culpa é sempre para o mesmo 'gajo'! Porque a culpa não é sempre do mesmo… É da equipa que não aproveita os lances que tem, é da equipa que se desconcentra e comete erros quando estão mais que treinados para não os cometer, é da equipa que passa paninhos quentes porque estão desanimados, é da equipa porque não tiveram casa cheia, é da equipa porque lhes dói a unha do pé… É da equipa e pronto!

  19. Jedi, quando falo dos ordenados e das reformas refiro, especificamente, que estou a falar dos casos de jogadores dos maiores clubes: "Há muito que defendo que devia haver um nível de exigência e escrutínio muito maior para com os jogadores de futebol dos maiores clubes, os craques que se passeiam em carros de 200 mil euros, que trabalham 2 horas por dia e muitas vezes queixam-se de que não são acarinhados pelos adeptos."
    Também concordo contigo e sei que nos outros clubes não é assim, e há muitos jogadores a ganhar na casa dos 800 ou 1000 euros na segunda divisão. Mas mesmo na Liga Profissional há quem ganhe 1500, o que não é um luxo para quem tem uma carreira curta. Mas, os exemplos que dou, são sempre para os jogadores dos grandes clubes, os internacionais, os que ganham muito, muito dinheiro.

  20. Concordo com quase tudo. Acho que se treina muito pouco em Portugal. Depois do treino conjunto, deveria haver treinos individuais (como existe no jogo de PC FM) para os jogadores melhorarem as suas capacidades tecnicas, OBRIGATORIAMENTE e não quando lhes apetece (o Ronaldo ficava depois do treino a treinar o seu famoso remate de livre, mas isto deveria ser uma obrigatoriedade para cada jogador treinar coisas especificas da sua posição em campo).

    A parte com que não concordo é quando falas do ordenado e da reforma dos jogadores. Isso dos 100mil mês é só nos clubes grandes e nos melhores jogadores. Se fores um jogador de clube pequeno, será muito bom se ganhares €5000/mês.

  21. Concordo com praticamente tudo o que aqui li, à excepção da última frase.

    Efectivamente, há muito essa mania de usar os árbitros como desculpa para ganhar ou perder e para justificar as más prestações das equipas.

    Mas não concordo que, no final, ganhe sempre quem joga melhor à bola.

    Maura

DEIXE UMA RESPOSTA