Cardozo vs Jesus

17
3513

Vi ontem com atenção o “pedido de desculpas” de Oscar Cardozo aos benfiquistas, seguido da notícia de que seria reintegrado na equipa e retomaria os treinos. E vi tudo isto com muita apreensão. Por várias razões.

Em primeiro lugar, sou contra estas duas decisões. Acho que se o Cardozo queria pedir desculpa deveria tê-lo feito no próprio dia da final da Taça – a 26 de Maio, há dois meses e meio, portanto – e não agora. O que aconteceu foi que o Cardozo não quis pedir desculpa, foi forçado a pedir desculpa, que são coisas totalmente diferentes. Ele percebeu que o futuro dele está nas mãos do Benfica, e que se não se portar como deve ser acaba por ficar sem jogar até 2016, ano em que termina o contrato com o clube. Cardozo não tem o estatuto de intocável, nem vale 50 milhões, para deixar o clube refém das suas birras.

A prova de que Cardozo não ultrapassou o problema com Jorge Jesus é o facto de nunca se ter referido ao treinador. Pediu sempre desculpas ao “corpo técnico”, mas o alvo da sua ira não foi o “corpo técnico”, foi Jorge Jesus. Quem foi empurrado e insultado não foi o “corpo técnico”, mas sim Jorge Jesus. E era a Jorge Jesus, especificamente, que ele teria de ter pedido desculpa, não ao presidente, nem sequer a mim, sócio e adepto, que me estou nas tintas para as desculpas dele.

Com isto, o que me parece que vai acontecer é que Cardozo vai ser um elemento “esquisito” dentro do balneário, e vai obrigar os colegas a tomar uma parte: ou estão com ele ou estão com Jesus. Cardozo vai minar o balneário, não vai conseguir ser apenas um igual aos outros, será sempre o “herói” que fez frente ao mister e continuou no clube (teoria que cairá bem junto dos insatisfeitos, os que jogam menos ou que partilham da opinião que o treinador não percebe nada do que está a fazer) ou será o “privilegiado” que mesmo depois de ter empurrado o treinador acabou por ser reintegrado no grupo.

Claro que a única forma de isto tudo se ultrapassar seria o Benfica começar a jogar bem, a ganhar e a marcar golos atrás de golos, sem precisar do Cardozo (coisa que me parece complicada, tendo em conta o que estamos a jogar). Dessa forma, todos veriam com naturalidade o facto de o paraguaio não ser convocado, e ninguém se lembraria dele. O problema parece ser que o Benfica precisa de um avançado como o Cardozo (que não tem de ser necessariamente ele), e enquanto isso for evidente nos jogos (como frente ao São Paulo) os adeptos irão sempre recordá-lo e chamar por ele, deixando o treinador em cheque.

Ou seja, esta situação é a chamada no-win situation, em que o Benfica perde de todas as maneiras.

Como já aqui escrevi várias vezes, depois do que se passou no Jamor é impossível que Jesus e Cardozo coabitem no mesmo balneário, como se nada tivesse acontecido. Mas como no futebol e na mente dos adeptos o que vale são as vitórias e os golos tudo pode mudar de um dia para o outro, basta as bolas começarem a entrar ou continuarem a não entrar.

Muita gente que defende Cardozo, e que acha que ele deve ficar, afirma que os adeptos têm memória curta e não recordam tudo o que de bom ele fez pelo clube. Provavelmente, estes eram os mesmos adeptos que eu via na Luz a assobiá-lo a cada penálti falhado, a criticá-lo por ser lento, pouco móvel, por parecer desinteressado do jogo, por não jogar nada, por ser um peso-morto, etc.. Eu também não tenho memória curta.

Esta situação não é apenas um problema de egos, uma birra ou uma questão que se resume a um empurrão. É um problema de gestão de equipas, motivações, de liderança, que mexe com toda a estrutura colectiva de um grupo de homens. Quando um grupo é unido e rema todo para o mesmo lado, mesmo sem ter grandes vedetas, tem muitas hipóteses de ter sucesso. Quando, pelo contrário, há elementos desestabilizadores que minam o local de trabalho, que o contagiam com mau ambiente, que criam facções e grupos, por muito bons que sejam os elementos individuais, dificilmente o grupo tem sucesso.

Quero muito enganar-me, quero muito que o Cardozo volte e marque golos atrás de golos e que o Benfica ganhe e Jesus continue e sejamos todos felizes nas nossas conquistas. Mas não acredito em nada disso.

17 Comentários

  1. só agora comento, pois estava de férias.
    este caso ilustra bem a diferença entre o SLB e o FCP.
    não são as arbitragens que dão campeonatos, são equipas boas e bem geridas, tanto pelo treinador, pois claro, tanto pela administração.
    este tipo, que eu até gosto, no FCP tinha logo partido no mesmo dia da final da taça.
    e os primeiros a pedir para ele ir embora seriam os jogadores, pois se uns correm e se esforçam e se respeitam a opção do treinador, não pode haver um a fazer o contrário.
    mai nada.
    boas férias para todos

  2. Concordo contigo que é uma no-win situation. O Benfica bem tentou vendê-lo a qualquer preço quando o Presidente decidiu que o Jesus continuava. Penso que o que não lhes ocorreu é que depois da decisão tomada pelo Benfica nenhum treinador minimamente inteligente quer o Cardozo na sua equipa. Penso que porventura terá sido uma má decisão do Presidente porque o Jesus já leva 5 anos a treinar o Benfica e nunca ganhou nada.

  3. Eu por acaso tenho outra interpretação, deu-me a sensação que o Vieira é que estava mais inclinado para a manutenção do jogador e que o Jesus estava mais numa de esperar para ver, porque a verdade é que a opinião dele sobre a atitude do Cardozo deu a entender que "prontos", são coisas que acontecem.

  4. Não podes generalizar. A minha opinião e amor pelo Benfica é igual de Agosto a Maio, e de Maio a Agosto. O que muda? Muda o sentimento face a vitórias e derrotas. Face ao Benfica o sentimento é sempre o mesmo. Geralmente é orgulho. Arrepio-me sempre que vou ao estádio, cada vez que ouço os cânticos. Vibro com a coisa.

    Até ao dia do jogo com o Porto, em Maio deste ano, a motivação estava no auge, estava toda "confiançuda" de que íamos ganhar e fazer a festa no Porto – e o gozo que isso ia dar… – e voltei a Lisboa desolada. Na quarta feira dessa mesma semana morreu outro sonho, contra o Chelsea. Fiquei triste, mais uma vez no dia 26 de Maio no final da taça, mas aí confesso que já me estava nas tintas porque não era isso que me ia salvar a época, como adepta.

    Não obstante, no dia 19 de Maio lá estava eu no estádio a assistir ao último jogo contra o Moreirense, à espera de um milagre. O milagre não aconteceu e, ainda assim, no fim do jogo o estádio aplaudiu a equipa de pé.

    O que achas aqui que eu deva mudar como adepta? Se calhar deveria deixar de sofrer pelo futebol, nomeadamente pelo Benfica pois desde que nasci há 22 anos só me lembro de o Benfica ser campeão duas vezes. E este apoio sem retorno já não se aguenta.

  5. O problema é que JJ nunca quis saber das desculpas de Cardozo, para JJ só havia uma solução: Cardozo sair e rapidamente. E foi o que Vieira quis fazer mas sabe que não o pode fazer por tuta e meia. Ao não conseguir que os clubes compradores garantissem o que o SLB pretende Vieira optou por este pedido de desculpas (Cardozo refere, várias vezes "el professor"). Evidente que é uma no win situation pq ninguem acredita que as pazes estão feitas. Isto devia ter sido feito logo no final do jogo no Jamor e se algum se recusasse levava logo com guia de marcha: o treinador que fosse ser o mais bem pago para outro lado e o jogador ficava a treinar à parte até final do contrato. Há valores bem mais altos do que os euros.

    Sobre a memória…Arrumadinho, o que dizer da chantagem de Jesus após o acordo que fez com o fcp? O que dizer das brigas que teve com adversários em pleno relvado? Para mim são bem mais graves do que o acto de Cardozo pq JJ é, supostamente, o líder.

  6. Olha Arrumadinho, já a mim isso é-me igual ao litro. E sabes porquê? Decidi deixar de sofrer pelo Benfica. Acabou.

    Eu que, no fim da última época disse que apoiava o Benfica tanto na alegria como na tristeza, e que tinha corrido tudo mal mas podia ter corrido tudo bem e que este ano era só dar continuidade ao trabalho e havíamos de ser Campeões… decidi parar de sofrer. Chorei baba e ranho no Dragão aquando da derrota de 11Maio e não vale a pena. Há mais vida além do Benfas e chega deste amor tão doloroso. Este dar incondicional sem receber. Provavelmente daqui a uns tempos mudo de ideias e volto à Luz mas por enquanto o medo de morrer na praia novamente é maior. Ninguém merece o sofrimento de Maio deste ano!

  7. Não conseguiram vender o Cardozo pelo preço da clásula, foram teimosos, e agora não há clube que lhe pegue. Tiveram que o readmitir. O Cardozo faz-me lembrar um pouco a forma de jogar do Jardel, parece meio desajeitado, toda a gente diz que não joga nada, mas marca que se farta.

  8. Hoje esqueceu-se de publicar a sua entrevista na cmtv…..ja tenho o meu momento cmtv todas as sextas de manha e pena ser tão curtinha…….eu ja sou fã dos três do arrumadinho, da pipoca, do mateus e ate do manolo….Alem disso adorei o baby blog, n sou mãe, pelo k estas coisas da maternidade m suscitam algumas duvidas, e foi muito giro ler a mudança no caso da pipoca de antes do nascimento e depois do nascimento….familia mt querida parabens

  9. Um pedido de desculpas meses depois é realmente "atirar areia para os olhos" de quem o está a ver e ouvir. Atitude completamente desesperada e ridícula, tenha ele sido obrigado pelo clube ou pelo empresário. Não tem lógica.

  10. O Benfica precisa é de novos adeptos.
    O ano passado de Agosto a Abril, o Jesus era uma maravilha porque montou uma equipa fantástica tendo perdido 2 peças fundamentais, o cansaço não se notava e até lançava jovens na equipa. O Cardozo continuava a ser uma merda, falha golos fáceis, não ganha uma bola de cabeça, não corre, só marca de penalty, etc…
    Em Maio a Agosto, o Jesus é uma merda, não sabe gerir a equipa, deixou-os todos rotos, lançou jovens nos jogos decisivos. O Cardozo é um espectáculo, marca golos de todos os sítios e maneiras, é um Jardel mas em Paraguaio, é o gajo mais rápido da academia do SCP depois do Ilori, CR7 e Nani e dá na boca ao Jesus.
    Aquele pedido de desculpas é mau, os jogos decisivos foram um filme de horror e a cena de zanga na final da taça de portugal terrível.
    Mas a equipa que joga bem e permite sonhar está lá toda e foi melhorada, o treinador que nos deu os melhores 4 anos de futebol dos últimos 20 continua lá, o presidente (apesar de ser um trafulha e só faz merda quando fala) continua. O que não continua são os adeptos que são uma valente merda e só estão quando se ganha e quando passam a adorar o melhor marcador do clube em 5 dos últimos 6 anos só porque ele se virou contra o treinador.
    Enfim, futebol é paixão, mas exige-se ponderação e bom senso.

  11. O pedido de desculpas deveria ter ocorrido no dia a seguir ao jogo. Evitava-se uma grande confusão. No regresso das férias já ninguém se lembrava disto. E o jogador poderia ser vendido na mesma. Simples.

    Assim, viu-se má gestão. Alterou-se o valor do atleta e o clube ficou mal visto.

    Em relação ao que dizes do balneário. Não é preciso um caso destes para que existam divisões. Ao longo da época elas acontecem naturalmente. No balneário do Benfica, do Porto, do Sporting e em qualquer um. Acreditar que existe união a 100% é uma utopia. Porque isso não acontece. Muito menos num nível daqueles.

    E não compreendo que o Cardozo seja tratado como um animal enquanto Jorge Jesus tem direito a uma renovação com um ordenado milionário.

    Vamos ver no que isto vai dar…

    homem sem blogue
    homemsemblogue.blogspot.pt

  12. O Cardozo, e quanto a mim, extravasou nessa final que complementou o fracasso de uma época, a raiva de quem tudo se esforçou e deu e depois vê, por incompetência e teimosia de um treinador, tudo naufragar. Acontece muito aos homens de carácter.

    Melgarejo estava a jogar bem, ou razoavelmente bem se nos quisermos recordar do golo que ele evitou, o que nos colocou na final da liga Europa, para que nos derradeiros jogos e com a glória à vista, o JJ desse em inventar e o tirasse da equipa para nela incluir o A. Almeida.

    De seguida e na final da taça, com o Cardozo, pelo menos a não destoar da mediocridade produtiva da equipa, portanto susceptível de a todo o momento poder marcar, como, aliás, não seria surpresa nenhuma; o JJ e sem qualquer justificação substitui-o.

    Isso das coisas muito correctas, muito acertadinhas, muito educadas, civilizadas, muito nos conformes, tem muito que se lhe diga. Se fez bem, se fez mal, não sei e só sei que quando a razão nos assiste vai-se até ao Inferno, se preciso for. Como eu também vou, compreendo o Cardoso porque eu também não pediria desculpa ao JJ.
    É tudo tão perfeito neste país, Deus o Benza, mas o criminoso a abater é o Cardozo

    A verdade é que com Cardoso o Benfica marca e sem ele fica a zero.

    E é recebido de braços abertos porque nunca deixou de ter as visitas dos companheiros enquanto cumpriu o exílio e se alguém tem de mudar ou sair é o treinador, a menos que se limite a treinar e a não tomar opções por teimosia.

  13. Vamos pensar que não estamos a falar de futebol, mas de uma relação empregador-colaborador. O segundo teria continuidade na empresa depois de um episódio daqueles? Obviamente que não.
    O "mal" do futebol é quererem brincar às empresas, quando têm tantas outras variantes e condicionantes. Afinal, onde é que fica o desporto, quando só se quer ganhar dinheiro?
    É uma palhaçada que descredibiliza o clube e mina, ainda antes da época, a confiança dos adeptos.
    Sou portista e não me meto muito nos afazeres de outros clubes, mas este é um exemplo de péssima gestão de crise, em termos de Comunicação. E disso já percebo.
    Este pedido de desculpas foi tão mau, que só faltou terminar com a cara do Cardozo metida no quadro do menino da lágrima.

  14. Nunca pensei que o Vieira e o Jesus permitissem esta reintegração do Cardozo e acho que esta decisão foi muito motivada pelo facto de não estarmos a jogar como ao longo de toda a época passada. Mas isso não é certamente o cardozo que vai resolver, um jogador que tem valor mas que precisa que uma equipa inteira lhe meta a bola nos pés à entrada da baliza para marcar golos.

DEIXE UMA RESPOSTA