As iluminações de Natal

0
5901

Já referi isso num post que escrevi, mas acho que não foi disse tudo o que tinha a dizer sobre este assunto.

Não sei se viram o comentário de Miguel Sousa Tavares no noticiário da SIC em que ele f

alava sobre a ausência de iluminações de Natal em Lisboa (se não viram, podem ver mais abaixo).

Ainda antes do comentário, a SIC passou uma reportagem em que dois ou três turistas diziam que estavam desiludidos por a cidade não ter mais iluminações de Natal, e que Lisboa assim tem menos espírito natalício. E depois entra Sousa Tavares, que começa por dizer qualquer coisa como “espero que o dr. António Costa tenha ouvido as declarações destes turistas”. Oi? Como disse? Mas desde quando é que as declarações de umas pessoas que vão a passar têm alguma importância para a tomada de posições políticas? Enfim, adiante.

Diz então ele que Lisboa está “pindérica” sem luzes, considera “uma asneira tremenda” não se terem gasto 700 mil euros em iluminações, sente isto como “uma traição ao povo lisboeta”. E volta a dizer que o facto de estarem em causa apenas 700 mil euros “é pindérico e miserabilista”. Sinceramente, e por mais voltas que tente dar à cabeça, não consigo entender como é que alguém tem a coragem de numa altura destas, em que toda a gente corta nos gastos supérfluos, em que as autarquias estão endivididas até às orelhas, em que o Estado está nas mãos do FMI, em que os portugueses perderam metade do subsídio de Natal e os funcionários públicos vão perder o 13.º e o 14.º mês em 2012, em que é essencial para a sobrevivência do País reduzir a despesa, venha alguém, com a responsabilidade que ele tem (e um opinion maker como ele, o segundo mais importante do País, é muito influente) vir dizer uma alarvidade destas.

Eu, enquanto lisboeta, sentir-me-ia ofendido e revoltado, sim, se a cidade estivesse inundada de luzes, como se continuassemos a viver num conto de fadas, no País das Maravilhas, numa realidade que já não é a nossa. E isso não é ser miserabilista, como ele diz, é ter o mínimo de tino, de bom senso, é não ofender quem conta o dinheiro ao final do mês, porque esses 700 mil euros, por muito pouco que possam parecer num orçamento camarário, significam muito na cabeça das pessoas, na vida das pessoas. Para muita gente, 700 mil euros, são sete casas, é dinheiro que sabem que nunca conseguirão ter na vida, nem que juntem todos os trocos até à reforma, é quase 1 milhão de euros. Quer dizer, somos os primeiros a criticar quando um ministro compra um carro novo de 60 mil euros, porque isso é ofensivo, e depois achamos “pindérico” não se gastarem 700 mil euros em luzinhas de Natal para a cidade ficar mais bonitinha. A sério que não consigo compreender.
Outra coisa de que Sousa Tavares fala, e essa já admito ser exequível, é a de se arranjarem sponsors, permutas publicitárias, que tragam as tais luzes à cidade, mas a custo zero. Isso, sim, acho que pode ser feito, porque ganha toda a gente. Não se está a tirar dinheiro público, que faz falta para outras coisas, e está a dar-se um bocadinho mais de alegria às pessoas, que se sentem com um pouco mais de espírito.

Mas de uma coisa tenho quase a certeza: se a Câmara de Lisboa tivesse decidido gastar os tais 700 mil euros em iluminação para o Natal, isso não deixaria as pessoas mais felizes, mais imbuídas do espírito natalício. Deixá-las-ia, sim, mais revoltadas, precisamente porque se sentiriam roubadas, sentiriam que o esforço, afinal, não é de todos, já que os organismos públicos continuam a gastar hoje o que gastavam ontem, a mascarar o País pobre, que hoje somos, com luzinhas de Natal.

1 Comentário

  1. Concordo contigo. Mesmo assim ainda há zonas com luzes de Natal. Mas não tem nada a ver com anos anteriores. Há que fazer um esforço e cortar tudo onde for possível durante uns anos para ver se o Estado equilibra as contas.

    De resto, acho que deves rever as contas em relação ao que te cortaram no subsidio de Natal…

  2. Oh senhora Ana do comentário das 11.23h, achar que dizer tamanha parvoíce como "Estavam à espera do quê? O gajo é do porco, perdão, porto, e basta!" é uma boa maneira de dizer que o homem está errado quanto às luzes de natal é incomparavelmente despropositado. Cada qual usa dos argumentos que quiser mas não é com ofensas tão básicas como estas que lá vai. Esforce-se lá um bocadinho para deixar de dizer coisas dessas, são feias e sem fundo.

  3. Eu sou do Porto e não sei como está Lisboa… Fazem-me falta as iluminações de Natal! Mas fazem-me falta nas ruas (oferecidas pelas autarquias) e nas casas das pessoas… cada vez se vê menos um pinheiro numa janela embaciada com luzinhas a piscar… isso faz-me lembrar o meu Natal de pequenina e tenho saudades! Não acho que seja necessário efectuarem projectos grandiosos de iluminações… basta pequenos apontamentos que não me parecem que fiquem assim tão caros.. bastava fomentarem iniciativas e novas perspectivas.. apercebo-me que afinal esta crise não vem trazer um novo sentido aos sentimentos e às emoções próprias do Natal… só traz um olhar para dentro e que permanece ali… sem se criar uma partilha… porque as luzes de Natal também são sinómimo de encontro, de dádiva, de comunhão..

  4. Para a ANA Anónimo das 11h23: a estupidez do senhor M. Sousa Tavares nada tem a ver com a sua origem e portanto, não precisa confundir a fantástica cidade do Porto com porco, pois destes também há muitos aí para baixo. É triste aproveitar este assunto para demonstrar este ódio lisboeta pelo Porto!(PS: nem sequer sou do Porto e acho isso uma tristeza…)
    JNunes

  5. Concordo.Nunca percebi o porquê de um país tão pequeno e tão pobre ter que ter o maior centro comercial da europa, a maior árvore de Natal da europa e por aí fora. Foram mais uns milhões de euros dos contribuíntes gastos de modo supérfulo! Se Lisboa estivesse toda iluminada como antes era uma afronta aos portugueses!

  6. Fosse qual fosse a opção do presidente da CML iria provocar polémica.

    Os órgãos de comunicação social têm a sua responsabilidade neste aspeto e ainda pagam balúrdios a senhores como este para fazerem o seu comentário que no fundo não passa de uma opinião pessoal,como expressamos aqui sem ganhar dinheiro por isso.

    Enfim,exemplos de gastos superfluos das nossas televisões.

  7. uma coisa é dinheiro da camara outra é dinheiro do estado. o teu subsidio nao seria pra luzinhas.

    2º, é miserabilista sim, é demagogico. só aceitaria essa desculpa de merda se o costa viesse dizer à TV em que gastou esse dinheiro. é comovente a vossa crença na palavra dos políticos e acima de tudo em acharem que eles estao preocpuados convosco.

    chamasse a edp pra patrocinar, os bancos, o que fosse. natal sem luzinhas sucks

  8. Ainda bem que se poupam 700 mil euros em luzinhas. Assim podemos gastar em cartazes de homenagem, neste momento espalhados pela cidade.

  9. Que otário, esse Sousa Tavares! Acho impressionante a ligeireza com que faz este tipo de comentários. Não é por haver menos luzinhas em Lisboa que as pessoas têm menos espírito natalício. E as atracções turísticas continuam no mesmo sítio.

  10. Se por um lado concordo com o que dizes, por outro acho que falta equilíbrio noutros aspectos porque, pouparam 700 mil euros em iluminações mas, gastaram verdadeiras fortunas noutras coisas que servem outro tipo de interesse.
    Não há dinheiro para pagar aos funcionários, as carreiras estão congeladas até sabe-se lá quando mas, há dinheiro com fartura para pagar outsourcings quando os funcionários poderiam perfeitamente realizar esses mesmos trabalhos, requalificações milionárias de instalações e afins, arrendamento de imóveis quando a autarquia é dona de centenas de prédios, etc, etc..o que falta acima de tudo é bom senso e colocar o interesse público acima dos interesses pessoais.

  11. O mal no meio disto é não se arranjar o meio termo,aqui onde moro este ano decidiram gastar menos nas iluminações, a meu ver até ficou bem melhor que em anos anteriores,isto tudo com metade do orçamento previsto.Mas para o ano penso que vais ter uma opnião bastante diferente acerca das iluminaçãoes de Natal dos espaços publicos. e erabilitação dos centros da cidade o que eles tratam é de arranjar os acessos e zonas envolventes dos Centros Comercias.EMFIM o comércio de RUA que se lixe!!!! Mas para o ano como já disse a tua opnião vai ser totalmente diferente.
    Um Feliz Natal e um Prosporo Ano Novo .
    E os 3 MILHÔES para a Madeira,os turistas e as gentes de lá já merecem .Como digo falta o meio termo.Muita Politca.

  12. Eu vim aqui com a intenção de deixar um simples comentário ao Arrumadinho a dizer "eh pá, essa estava fácil de ver. É como um penalty de baliza aberta" algo tão evidente que nem merecia o post.

    Mas depois ponho-me a ler esta caixa de comentários e encontro tanta gente que acha que o Miguel Sousa Tavares (que eu adoro ouvir falar e mais do que muitas vezes concordo com ele) neste assunto tem toda a razão.

    Muitos estamos deprimidos neste Natal mas, pelos vistos também temos alienados. Cuidado… eles andam aí.

  13. Uma coisa é certa: não se pode agradar a Gregos e Trianos.

    Se por um lado concordo contigo e estou completamente de acordo com a argumentação utilizada, por outro, também compreendo os que vêm defender que a falta de iluminação de Natal é como que uma "desistência" do espírito natalício, ou do que quer que seja. Mas por compreender, não significa que concorde.

    Temos que ter noção – cada vez mais! – que os tempos são outros e há que começar a saber poupar. E para mim, não me choca minimamente que fiquemos sem "espírito natalício" em troca de 700 mil euros que sairiam do erário público.

  14. Vocês a a inveja, irra. Isso é obsessão. Pasmem-se, mas há a possibilidade de criticar porque não se concorda. É surpreendente não é?

  15. concordo, arrumadinho!
    gosto muito das iluminações de natal, gosto que o espírito natalício se sinta em todas as ruas, mas quando todos temos de fazer cortes nos nossos natais, não faz qualquer sentido que os municípios não façam o mesmo…
    pena que não sigam o exemplo noutras áreas…

  16. Aflito é inveja é uma coisa muito feia…cada pessoa gasta o que quer e o que pode nas suas prendas de Natal e ninguém tem nada a ver com isso. Estou farta de gente invejosa. Eu tenho um carro a cair de podre e quando passo ao lado de um tipo com um X5 novinho, vou ofende-lo?! Não!!!! Temos de nos concentrar mais nas nossas vidas e não invejar a vida dos outros. Bom Natal.

  17. Concordo com tudo o que disseste. Num pais em que a taxa de desemprego está nos picaros, o ordenado minimo é de 485 euros, gastar 700mil euros em luzinhas era no minimo ofensivo. Temos de cair na na realidade e deixar de viver num mundo de fantasia. O espirito de Natal está dentro de cada um e não nas decorações. Bom Natal a todos 😉

    Joana

  18. Desde há muito que o nosso país vive numa realidade que não é nossa!!! Governos anteriores viviam à grande e à francesa… O Sr. Sousa Tavares teve uma grande oportunidade de ficar caladinho… não ficaria tão mal na fotografia. Ofensa são as palavras dele pra aqueles que lutam dia-após-dia pra suportarem as suas despesas.

    Feliz Natal para todos em especial para o Arrumadinho e pra Pipoca.

  19. Eu tenho imensa pena de que no ano em que venho viver para Lisboa a cidade não esteja iluminada, mas compreendo perfeitamente e acho um grande exemplo. No Porto,ano passado já não houve iluminações de natal e apesar de ter achado a cidade ainda mais escura, aplaudi o Rui Rio pela decisão.
    Raquel

  20. A MIM ESPANTA QUE O MIGUEL SOUSA TAVARES, ALGUÉM QUE DIZ O QUE DIZ MIGUEL SOUSA TAVARES (!), SEJA CONSIDERADO O SEGUNDO MAIOR OPNIONMAKER PORTUGUÊS.

    ISSO É QUE É PINDÉRICO E MISERÁVEL, SINCERAMENTE.

  21. Pois eu concordo com o MST!!!
    O Marquês de Pombal está horrível, aquelas árvores de Natal são caixotes do lixo (na escola do meu filho fez-se uma árvore de Natal de caixas de ovos, tá bonita, só quando te aproximas te apercebes que são caixas de ovos, as do Marquês vêem-se de longe que são feitas de lixo)
    E já agora quanto é que custou instalar e "criar" essas pseudo instalações artísticas natalícias que estão pela cidade? Que são todas horrendas e pindéricas, mas devem ter custado dinheiro.

  22. Caro Aflito, o que é que os gastos privados têm a ver com os gastos públicos? Cada um sabe de si, e gasta dentro daquilo que pode. Agora uma coisa é certa: o Estado não pode. E se não pode não gasta, ou só gasta no que é essencial. Para mim (e repito: para mim) gastar 700 mil euros em luzes de natal é supérfluo. E como contribuinte que sou, que teve de ceder metade do seu subsídio de Natal a favor das contas públicas, sentir-me-ia ofendido se parte desse dinheiro fosse gasto em luzinhas de Natal.

  23. Desta vez estou em desacordo. Desculpe mas está a ter um raciocinio muito curto. A iluminação de Natal em Lisboa não pode ser vista apenas para usufruto nacional, mas numa perspectiva de atracção/complemento turística e desse ponto de vista faz todo o sentido. Há muito desperdicio que pode ser evitado e que vai muito além das luzes de Natal. Vamos lá ter visão abrangente e deixar de ser mesquinhos, porque a pequenez só nos entropece. Feliz Natal

  24. Inteiramente de acordo. Fiquei um pouco indignada com forma como o MST abordou esta questão. Como munícipe, sentir-me-ia muito mais traída se visse a cidade toda iluminada. É uma questão de decoro. Ainda que os ditos "700 mil euros" sejam peanuts no orçamento. E sinceramente, não acredito que umas luzes fizessem diferença no espírito natalício dos lisboetas…

  25. Concordo contigo. Era gozar com a cara das pessoas. Achei muito sensato da parte das autarquias não encherem as cidades com luzinhas de Natal com a situação em que vivemos.

  26. Acho que o Miguel Sousa Tavares tem toda a razão.
    Como tu apontas no teu post "O Natal" este é o Natal com menos espírito natalício do últimos tempos, e não haver uma qualquer coisa luminosa a lembrar Natal acentua este espírito negro, e é uma desistência. Honestamente, fico com mais vontade de emigrar ao ver Lisboa sem Natal que ao ouvir um politico a dizer-nos para emigrar.
    Caramba, em Atenas houve poupança com as iluminações mas houve imaginação e boa vontade e fez-se uma árvore iluminada, não se deixou o espírito morrer.

    O António Costa deve ouvir a opinião de turistas que visitam e gastam dinheiro na sua cidade, porque não é só a poupar que saímos da crise. E era bom que ele começasse a olhar pela sua cidade. Poupou 700 mil euros mas não se esforçou nada por fazer algo diferente.
    E até deixo uma sugestão ao presidente de câmara, poupe 698 mil euros, gaste o resto num périplo por cidades europeias e tire ideias baratas, criativas e que não matam a cidade e os seus cidadãos. Aconselho Budapeste, estive lá no inicio de Dezembro e vi o que se consegue fazer com 2 dúzias de barracas do Aki.

  27. Concordo Arrumadinho! Apoio os Presidentes de Câmara que decidiram não colocar iluminações de natal ou diminuir as mesmas… É verdade me "perturba" um bocadito o espirito natalício, mas se pensarmos na quantidade de coisas realmente úteis que podemos fazer com o milhares que se gastam nas iluminações de natal acho que faz todo o sentido! E mesmo que não se faça nada de util com esse dinheiro, pelo menos não se aumenta a dívida… o que já não é mau!

  28. Do comentador em causa outra coisa não seria de esperar. Só lamento que se dê tempo de antena a indivíduos assim. Serei a única a achar que de nove em cada dez vezes que o senhor abre a boca quem fica de boca aberta somos nós?

  29. Eu não concordo contigo nem com as decisões do Dr António Costa. Não se gastou 700 mil euros, mas pagaram 150 mil euros a gabinetes de arquitectura para colocarem chapéus de chuva e placas de transito. Creio que estes 150 mil poderiam ter sido aplicados em LUZES de natal na Av. da Liberdade, Chiado e etc…
    Se é verdade que estamos em crise, também é verdade que, mais do que nunca, precisamos de coisas que nos transmitam alguma paz e alegria.
    Eu sinto falta das luzes de Natal, e acredito que o impacto positivo que tem no nosso espírito vale o investimento.
    Adicionalmente, não devemos descurar a opinião dos turistas, antes pelo contrário. O turismo é necessário para desenvolver a nossa economia, prefiro ver os turistas a saírem de LX com vontade de voltar que a dizerem que estão desiludidos.

  30. Nem tanto ao mar , nem tanto à terra… Certo que 700 mil euros é muita massa, mas por outro lado, as empresas de iluminação também têm que pagar aos seus trabalhadores. E estes, por sua vez, têm famílias para sustentar. Se se optasse por um meio termo entre o "não fazer iluminação" e "fazê-la por 700 mil euros", muito provavelmente iriam "agradar a gregos e troianos" e evitar despedimentos nas empresas de iluminação. Facto que se tem constatado por todo o país motivado pelo corte radical na iluminação de Natal.

  31. Em circunstâncias normais, a opinião dos turistas acaba sempre por contar, embora o que dois ou três dizem não seja minimamente relevante.
    Mas uma vez que não só não estamos em circunstâncias normais, mas também não estamos na Madeira, a política de deixar o Natal desprovido de iluminações na rua parece-me o mínimo que se deveria fazer este ano.

  32. Bom Dia Arrumadinho

    Concordo contigo! Imagina que o Antonio Costa decidia gastar os 700mil em luzes de Natal, acredito que o Sr. Miguel Sousa Tavares fosse o primeiro a criticar, enfim !!

    Feliz Natal mesmo sem luzes, mas com luz no coraçao.

    L

  33. Há dias arranjei algum tempo e fui passear ao fim do dia a Lisboa com a máquina fotográfica em punho. Confesso que inicialmente me senti um pouco desiludida por não existirem luzes natalícias mas depressa o meu pensamento passou para a crise e achei muito bem e um grande exemplo. Não há dinheiro, não há cá caprichos! Se as pessoas querem luz que iluminem é os seus corações e as suas cabecinhas!

  34. Arrumadinho, o pior nem é que existam pessoas que pensem que não gastar dinheiros públicos é miserabilista, o pior é que quando esta crise passar, porque há-de passar, um dia, vão voltar a gastar-se rios de dinheiros em coisas supérfluas como as tais luzinhas de natal nas cidades. Há que mudar mentalidades, essas luzes têm que ser pagas por quem beneficia delas, os comerciantes, e não pelo povo que ano após ano vive mais apertado.

    Um feliz e santo natal para ti e para os teus.
    Abraço

DEIXE UMA RESPOSTA