AJJ

0
4327

O Alberto João Jardim é a figura portuguesa que mais asco me mete. Mais ainda do que o Pinto da Costa.

E mete-me asco porque é um ditadorzeco que se acha acima da lei nacional, que pensa que vive num sistema político que o coloca à margem das responsabilidades que são do país, mas que na altura de pedir dinheiro e exigir apoios abre a boca como gente grande. Para ele, a Madeira é a Madeira, não é Portugal, na hora de apertar o cinto e dar as mãos a bem do País. Mas depois a Madeira já é Portugal quando chega a hora de distribuir os dinheiros do orçamento do Estado.

O recente caso do aviso da troika à derrapagem financeira do Governo Regional da Madeira foi a última vergonha (ou falta dela) deste político manhoso. Endividaram-se em mais 230 milhões porque os madeirenses tinham de ser protegidos da política do anterior governo. Justificações com esta deveriam dar direito a despedimento com justa causa. Quer dizer, na Madeira ninguém tem de fazer sacrifícios, o próprio Governo Regional não tem de se sujeitar às directrizes nacionais do Governo do País. E isto passa assim, impune, pelos pingos da chuva, como se nada fosse.

Mas isto também não é de agora. Há 20 anos que este senhor faz o que quer e bem lhe apetece, insulta quem quer e bem lhe apetece, insulta e despede jornalistas que lhe são incómodos quando quer e bem lhe apetece e continua a ganhar eleições, no topo, de peito feito e barriga cheia.

E aqui a culpa é dos madeirenses. São eles que elegem esta figura. E todos aqueles com que falo me dão a mesma justificação: ele faz o melhor pelos madeirenses, defende os madeirenses e tem feito a Madeira crescer muito. Pois, acredito que sim. Mas há razão mais egoísta do que esta? Quer dizer, ele não cumpre a lei, está-se nas tintas para o resto do país, é um ditador, afronta a liberdade de expressão, mas como trata bem aqui do meu quintalzinho eu voto nele. Seria a mesma coisa que os continentais votassem num político que defendesse que a Madeira deveria ser deixada ao abandono e não deveria receber mais um cêntimo do Estado, porque só dá despesa, porque não contribui com nada de útil para as contas do País e porque tem lá um político execrável. Não fazia muito sentido, pois não? Para mim, não, pelo menos.

A posição do PSD relativamente a tudo isto também é condenável. Para o partido – onde tenho muitos amigos – é mais importante segurar um bastião eleitoral do que credibilizar a política, do que cortar com um passado manhoso, de credibilidade duvidosa. E é pena que assim seja.

1 Comentário

  1. Leio o blog da Pipica já há algum tempo. Há poucos dias vim cá parar, ao blog do Arrumadinho. Andava por aqui a navegar quando me deparei com este post, que confesso, me deixa muito triste.
    Sou madeirense, com orgulho da minha terra, e estudante universitária.

    A situação política na Madeira envolve muitas cunhas e muita trafulhice. Há muitos que votam no tio alberto? Sim! Basta ver os as festas que ele faz em tempo de eleições, basta ver os mais ignorantes (que por vezes não tem culpa de o ser) ficarem todos contentes quando o vêm, basta vê-lo andar pelos lugares mais pobres oferecendo comida e bebida a troca de votos!

    Toda esta situação criada e escondida pelo AJJ e pela sua rica equipa, dá uma imagem terrível da Madeira! Não só aos outros países, mas também aos restantes portugueses, que pelo que me parece, ficam com a ideia que todos os madeirenses se acham superiores.

    Tá mais do que no tempo do AJJ largar o trono e o tacho. E também tá mais do que na hora dos restantes madeirenses acordarem!

    Não fui eu nem os madeirenses (decentes) que nos puserem nesta situação.. E agora tenho de "agradecer" ao AJJ por hipotecar o meu futuro, por me deixar na incerteza e por me dar uma bela conta para o qual eu não contribui.

    (foi só um desabafo :D)

  2. "A Madeira não gera riqueza para o País (tirando o Ronaldo, vá), só dá despesa." – exemplo (patético) da ignorância que o tema das autonomias gera na cabeça dos portugueses.

  3. Boa tarde,

    Como leitora assídua deste blog, não podia deixar de comentar um texto que à minha região diz respeito. Quero dizer que estou totalmente de acordo com o que escreveu a AVOGI e ainda, não sendo adepta do AJJ coloco outra questão: Os madeirenses, não vontando em AJJ votarão em quem? Nos restantes partidos que ainda querem um poleiro mais alto que o de AJJ?
    Acho que existem ainda muitas mentalidades que têm de ser desenvolvidas para que a região siga em frente.

  4. Como madeirense, fico deveras atordoada quando tentam afirmar que os açorianos são um "bando de coitadinhos"! A verdade é que esta Região Autónoma tem sido obrigada ao pagamento de inúmeras multas em vários milhões de euros, por parte do Tribunal de Contas, devido à atribuição de subsídios sem qualquer tipo de enquandramento legal. Será que este facto também não deve ser tido em conta por vós? Devo também avivar as vossas memórias da recusa feita pelo Presidente Regional dos Açores em congelar os salários da função pública, nesta região?
    Pelo que vejo, só a Madeira tem a obrigação de "apertar o cinto" para que os pobrezinhos dos açorianos possam continuar a fazer uns "pézinhos de meia" para o futuro! Acreditem que entristece-me esta falta de visão ou mesmo, esta "visão turva" da realidade!
    Finalmente, durante os 18 anos que vivi naquele "cantinho do céu", nunca fui alvo de qualquer tipo de intimidação por apenas dizer aquilo que penso. Posso afirmar com veracidade que não temos por lá nenhum "bicho papão" e juro-vos que nunca hei-de perceber, essa vossa implicância para com um povo tão nobre!

  5. Só uma achega: ter ido à Madeira não atesta nada acerca dos reais problemas da ilha.
    Por cá também se trabalha muito, os impostos são pagos e o custo de vida é substancialmente mais alto que no resto do País. Obviamente que quando afirmo isto, não excluo os Açores.
    Existe o problema da reeleição reiterada do mesmo partido político, ou melhor dizendo, do mesmo indivíduo? Sim, há. Mas seria interessante aprofundar as causas dessa permanência no poder. A historieta da obra feita são balelas. Simplesmente, há todo um sistema instalado que é muito difícil contrariar, por inúmeros factores, muitos dos quais passam pelo receio de perda de privilégios individuais (e que nada têm que ver com a suposta dicotomia continentais/madeirenses, saliento).
    Não esqueçamos também que desde o Estado Novo nunca houve um período de maioridade política no arquipélago. (Relembro a forma como AJJ se tornou Presidente Regional – não foi primeiramente eleito, foi substituir quem havia sido eleito). E tenho para mim que se no Continente os protagonistas tivessem sido outros (pós 25 de Abril), provavelmente o comportamento seria semelhante. Aliás, várias zonas do País, em termos das estruturas locais, demonstram isso mesmo. E mais recentemente, com alguns atropelos à democracia, liberdade de expressão e direitos fundamentais, temos visto que a proatividade não é assim tão interiorizada.

  6. Dp, e segundo consta, os Açores mesmo com pouco, conseguiram não fazer o buraco orçamental que tem a Madeira.

    Concordo a 100% com o post. E acho que se os sacrifícios são para todos. E os madeirenses têm que parar de ser ressabiados e dizerem de uma vez por todas afinal o que os incomoda em vez de estarem sempre a queixar-se. Agora querem ser independentes. Sejam! O próprio AJJ que toda a vida falou mal do continente é o que avisa que os madeirenses que não vão ter melhor qualidade de vida com a independência. Pois, porque depois de onde é que vinham os milhões?

    (e já estive na Madeira, adorei a Madeira e não achei a ilha nada atrasada. Vi muito mais pobreza nos Açores, embora acredite que infelizmente ela também exista na Madeira, assim como no continente)

  7. Costumo vir aqui ler-te e admiro este blogue, mas considero que não deves responder aos comentários. parece que tens que justificar as tuas posições. O blogue é teu. Não tens que justificar. Já viste se tiveres que justificar todas as críticas ao teu futuro livro?
    Toma lá juizinho.

  8. Privilégios? qual é o privilegio? só se for ter o iva mais caro, pagar as mercadorias a peso de ouro, pagar mais os géneros alimentícios por terem sido importados. e acima pagar para estudar, Sim falo nos estudantes que para tirarem determinados cursos têm de se deslocar e passar a viver no Continente. É ainda um privilégio? ter de pagar pelos estudos estadia transportes alimentação e ter direito a somente 3 viagens (antes era assim)? agora temos um subsidio de 30 euros por viagem se ele exceder os 31 euros? Será um privilégio ter de pagar mais caros a viagens de lazer as excursões as promoçoes só por que temos de nos deslocar até Lisboa para apanhar uma promoção para outros países?
    Sim, sou madeirense e vivo num paraíso não direi se sou adepta do JArdinismo ou não para o caso pouco importa. e sim a RAm no sistema de educação estamos à fente do Continente fruto do jardinismo e sim , a madeira tem sido o escoamento de professores desempregados.
    E com esta me despeço que vai longo o depoimento. e fiquem com a certeza ganhamos o mesmo que o comum português do continente e gastamos. Nunca poderemos agarrar no volante do carrinho e seguir em frente pela Europa.
    kis :=)

  9. Ao anónimo de 19 de Agosto de 2011 21:44

    Eu acho que no caso dos Açores que recebe muito mas muito menos dinheiro que a Madeira, tem que o dividir por 9 ilhas enquanto q o AJJ tem apenas 2.
    Esquecemo-nos que nas 9 ilhas é necessário infraestruturas para as pessoas que lá vivem?? E com o pouco dinheiro que recebem (em comparação com a Madeira) acho que é impossivel fazer-se melhor.

  10. Cara Ana Martins, já me viu alguma vez a dizer que eu aceito os políticos que metem dinheiro em sacos azuis? O que é que a leva a dizer que, para mim, esses estão perdoados? Naturalmente que não estão, e naturalmente que sou contra todos os autarcas metidos em escandaleiras financeiras ou acções menos transparentes. Estou-me nas tintas se eles são continentais ou madeirenses. Acha mesmo que as pessoas do continente se protegem umas às outras, como se fossemos uma união contra os ilhéus? Parece uma teoria um bocadinho pateta.
    Quanto à documentação, bom, minha cara, eu vi a conferência de imprensa da Troika em que eles falaram do caso da Madeira. Não é preciso muito mais. E também vi as declarações do Alberto João Jardim relativamente a isso. Ou as imagens e os sons foram manipulados para distorcer as mensagens dos dois lados?
    Quanto ao "cuidado com as ofensas" só vem provar o que disse antes, que há muita gente que tem dificuldades em aceitar que outra pessoa aponte o dedo ao que acha que está errado. E a resposta que lhe dá é um "cuidado". É o que o Jardim faz aos jornalistas. Se eles não têm "cuidado" acabam no desemprego. Mas, olhe, cara Ana Martins, nós aqui no continente temos liberdade de expressão. Pode ser que um dia venha a saber o que isso é.

  11. Caro Marco, convido-o a que me diga em que parte do texto é que digo que a Madeira está atrasada. Mas alguma vez em falei em atrasos ou em não aplicação de dinheiro a favor da ilha? Pelo contrário.
    Já tive oportunidade de ir à Madeira várias vezes – e ao Porto Santo também – e sei do que estou a falar. Ainda há um ano passei vários dias na ilha, que percorri de uma ponta à outra. E vi o estado de desenvolvimento do território, vi uma série de estradas novas, vi uma baixa reconstruída depois da tragédia que ocorrera uns meses antes, vi isso tudo.
    O que digo é que é muito fácil aplicar milhões a favor do território quando esse dinheiro vem do Continente, quando se pode desrespeitar o orçamento do Estado e fazer crescer o endividamento do Governo Regional esperando que seja o resto do País a pagar a factura.
    Provavelmente, se Trás-os-Montes ou o Alentejo tivessem os fundos e a autonomia que tem a Madeira também seria uma zona muito mais desenvolvida. A Madeira não gera riqueza para o País (tirando o Ronaldo, vá), só dá despesa. E em vez de ter uma atitude humilde em relação a isso, em vez de, numa altura de crise como esta, passar a ter mais moderação na aplicação de fundos e nos gastos, não, Jardim continua a esbanjar e a dizer que é isso que vai continuar a fazer porque os madeirenses não têm culpa dos erros do anterior Governo. Pois, meu caro, mas eu também não tenho, e também sou português, e estou a pagar a factura, com aumentos no IVA, com mais desemprego, com cortes salariais, e com tudo o mais, por que raio é que os madeirenses não têm de fazer o mesmo? Porque a culpa foi do Sócrates? A questão é que nós, no continente, não temos opção. Cortam-nos e pronto. E se a Madeira faz parte do país, se os madeirenses são portugueses como todos os outros, então têm de estar sujeitos às mesmas regras do jogo, e não protegidos por um presidente do Governo Regional que acha que está acima da lei.

  12. Por acaso você conheceu a Madeira de há 20 anos? Você sabia que outras regiões do país receberam verbas e meteram no saco azul? Ah, mas não foi o AJJ está perdoado! Tenha mais cuidado com as ofensas. E, por favor, documente-se antes de falar. É triste um jornalista deixar-se ir pelas notícias de forma tão superficial. Pesquise muito para que o sei livro não seja assim tão superficial.

  13. Convido a vir à Madeira. Vocês continuam a considerar que aqui a vida ficou parada , mas não! Já tive o prazer de visitar zonas do continente bem piores que a Madeira, mas é continente tá tudo bem. Sempre com as manias de superioridade. E muitas vezes nem têm onde cair mortos. Haja paciência.

  14. Acho giro falarem no desenvolvimento da Madeira e nos méritos do AJJ (pois deve ter alguns). Mas à custa dos sacrifícios dos outros, são todos bons.
    Concordo 100% com o post.

  15. Concordo inteiramente com o que diz!! E é vergonhoso que todos os PSD que vão às TV,tenham sempre o discurso muito elaborado acerca de todos os políticos que eles querem atacar,falam-lhes no Jardim…..é vê-los de sorriso amarelo..(ai e tal é o estilo dele)!! o tanas!!! desculpe a palavra!!

  16. Não fales do que não sabes. Vou falar com ele e ver se te convida para director de um diário cá na Região a ver se não vinhas. Conheces a Madeira? Conheces os programas de desenvolvimento? O AJJ é ditador porque diz as verdades, sim, aquelas todos dizem mas por detrás das costas. Aprende com ele a não ser falso!

  17. e o outro dos açores que tb não quer apertar o cinto? não houve nem haverá cortes nos salários para os açorianos. "os portugueses que paguem a crise" e eles a "mamarem" como gente grande à nossa custa. nós os palermas do continente que paguemos a crise.

  18. Boas, sou madeirense e sempre gostei muito lá do tio Alberto. Sei que ele já muito fez pela Madeira e, se tivéssemos tido outro político no lugar dele por todo este tempo, é mais do que assegurado que muito daquilo que foi feito não existiria hoje em dia e que a Madeira não seria por ventura uma das 3 regiões mais desenvolvidas de Portugal. No entanto, sei que o tempo do tio Alberto já está mais do que no fim e, embora muita gente saiba disso, muito mais gente irá votar nele nas próximas eleições regionais em Outubro. Infelizmente isto acontece, porque há muita gente mal informada e que tem medo do desconhecido.

  19. é simples, todos tem coisas boas ou más, apesar de tudo o Tio Alberto é madeirense e nada mais que isso, e este faz de tudo pelos interesses da Madeira. Nem vou fazer comparações entre a Madeira e os Açores (acerca do seu desenvolvimento), não vale a pena, mas é de frisar que, na Madeira vemos (claramente) a aplicação de fundos da união europeia (mesmo que alguma parte tenha sido desviada para o bolsinho de alguém menos correto)enquanto que nos Açores, (grande) parte desses estão investidos em quê?
    Também sou a favor que este deveria retirar se do poder (agora) para pelo menos sair com alguma dignidade.
    TC

  20. Não podia concordar mais com o que escreveste! Aliás a última notícia que soube e que me deixou os cabelos em pé foi a situação do IVA de 6% que irá passar para 23% no Continente mas nas ilhas, nada! Ficará tudo na mesma! Ou seja, quando é para receber dinheiro é uma alegria, mas quando é para ajudar o país a sair da vergonhosa bancarrota em que estamos, está quieto! Isto não é de bradar aos céus?

  21. É a primeira vez que comento o que quer que seja num blog, no entanto, este assunto não me deixa indiferente. Concordo plenamente com a sua opinião. É uma vergonha que políticos como este continuem no activo, muitas vezes tendo mais tempo de antena por parte dos jornalistas do que aqueles que fazem um bom trabalho (existe algum?)… Mas como diz, os verdadeiros culpados são os madeirenses que continuam a votar nesse ditador e corrupto. Espero que a vinda da troika sirva pelo menos para se acabar ou pelo menos atenuar os privilégios que a Madeira tem relativamente ao Continente. É uma vergonha o actual estado de coisas!

  22. conheço alguém que tb conhece o Albertinho da madeira e me disse a mesma coisa que o comentário da cabranazi, que ele socialmente é bem educado, polido e respeitoso, mas convenhamos que essas qualidades também lhe ficavam bem enquanto politico. concordo em muito naquilo que dizes, ele é execrável.

  23. Muito bem escrito… Somos um país de brandos costumes, porque senão este senhor já tinha atirado borda fora em pleno mar alto.

    Saudações…

  24. Confesso que em relação a este político sou ambivalente. Por um lado acho que ele é um tecnocrata, um ditador como bem dizes, um "laranja" empedrenido que não respeita os que discordam dele. Mas por outro acho que ele tem "colhones" e muitas vezes diz aquilo que todos nós pensamos mas não dizemos. Enfim é um cromo nacional e tem o seu valor 🙂
    Alguém uma vez me disse que este senhor socialmente não é nada assim: é polido, educado e culto.

DEIXE UMA RESPOSTA