A aventura do dorsal

0
2760

Domingo é dia de meia-maratona de Lisboa. Ando desde o início do ano a correr com grande regularidade, mas, ao contrário do ano passado, não estou a treinar especificamente para a meia, mas sim para uma maratona completa (sim, 42,195 km), que irei correr dia 12 de Maio.

Para quem não entende muito de corridas, pode achar que é a mesma coisa, que treino é treino, mas não é bem verdade. A preparação para uma meia é diferente da preparação para uma maratona, por isso, este ano, e apesar de estar em melhor forma do que em anos anteriores, acho que dificilmente conseguirei melhorar o meu recorde (1h28m). Ando a correr mais quilómetros, mas a uma velocidade mais reduzida, mas o melhor é não fazer palpites nem criar expectativas, para não me acontecer o mesmo que no ano passado (eu já contei aqui no blogue, mas, resumidamente, andei meses a treinar para tentar percorrer a prova em 1h23m, para, assim, conseguir o tempo mínimo para ter acesso à Maratona de Nova Iorque, mas a 7 km do fim, e quando ia com um bom tempo, pisei uma garrafa de água cheia, fiz um entorse duplo no tornozelo, e fui obrigado a abandonar).

Como bom português que sou, deixei a inscrição para a última da hora. Ontem, ia eu todo contentinho inscrever-me, quando vi no site da prova que as inscrições estavam encerradas. Pânico. Horror. Mas depois aconteceu uma daquelas coisas que parecem obras do destino. No minuto seguinte recebi um mail de uma menina simpática que me informava sobre uma iniciativa da Vitalis, a água patrocinadora oficial da meia-maratona. Eu quero ser amigo desta pessooooooooooaaaaaaa, pensei eu. E lá lhe enviei um mail interesseiro. E resultou. Os senhores da Vitalis conseguiram arranjar-me um dorsal (espero que não seja de nenhum desgraçado que se tenha lesionado). A eles, o meu muito obrigado.

Com toda esta conversa, acabei por ficar mesmo amigo da menina da Vitalis, que me falou do desafio que eles estão a propor no Facebook e no stand onde se levanta o dorsal. Basicamente, temos de ir lá e dizer qual é o nosso objectivo para a corrida: superar uma marca, chegar primeiro que um amigo, não parar, enfim, cada um determina a sua meta (se quiserem saber tudo, vão aqui). Se o superarem, recebem um prémio. Achei muita graça, até porque na última crónica que escrevi para o site da Sábado falava, precisamente, sobre a importância da motivação para um corredor.

Mas pronto, agora que já estou inscrito estou muito mais tranquilo, e se chegar ao fim sem entorses e bolhas nos pés já me dou por satisfeito.

1 Comentário

  1. Hei! Gostava que comentasses o episódio que aconteceu durante a greve geral, na quinta-feira. Sei que a tua área não é política mas, como jornalista, podes-nos dar alguma perspectiva neutra de como podemos pensar sobre o assunto? Obrigada***

DEIXE UMA RESPOSTA