6 ideias para superar o dia mais deprimente do ano

18
5495

A terceira segunda-feira de janeiro é chamada de blue monday, o dia mais deprimente e triste do ano. O conceito foi criado em 2005, com base numa teoria que diz que é por esta altura que sentimos que voltamos realmente à vida real, depois das festas, é nesta altura que começamos a perceber que gastámos de mais no Natal e ano novo, e as contas começam a chegar, é nesta altura que percebemos que está um frio insuportável e ainda falta quase meio ano para o Verão, e é também nesta altura que já começamos a perder o entusiasmo em relação a algumas resoluções de ano novo. Tudo junto leva a que, na terceira segunda-feira de janeiro nos sintamos muito deprimidos, tristes ou desanimados com a vida.

Bom, eu não quero nada disso por aqui. Quero gente alegre, otimista, de bem com a vida, feliz e confiante. Por isso, deixou aqui algumas ideias que podem pôr em prática durante o dia de hoje, e fazer com que ele se torne bem melhor. Então vamos lá.

1. Vão provar as novas queijadas de Nutella em Lisboa

A Queijadaria Lisboa abriu a 7 de janeiro perto da Estefânia e oferece a sétima maravilha gastronómica do mundo: queijadas de Nutella. Pronto, acho que não é preciso dizer mais nada. Em dias frios, podem acompanhar com chocolate quente, chás ou sumos. Ao fim de semana também servem brunches. Podem ler mais aqui.

2. Vão correr ou passear num sítio bonito

correr.jpg

Está frio, é verdade, mas a correr ou a andar a coisa passa. Este domingo estava um gelo em Lisboa, mas mesmo assim fui dar uma corridinha de 20 km junto ao rio e foi maravilhoso. Muitas vezes o que nos falta é o impulso para ir, vencer a preguiça de sair de casa, mas depois, quando estamos lá, gostamos muito. Hoje, vão sentir-se muito melhor se forem, se não ficarem a pastelar no sofá. Depois do trabalho, vão até casa, calcem os ténis, vistam qualquer coisa quentinha e façam-se à estrada, nem que seja só meia horinhas. Em alternativa, vão ao ginásio, também ajuda.

3. Vão jantar ao El Clandestino

el clandestino.jpg

Depois da corrida, é tomar um banho e preparar uma saidinha inesperada. Vão jantar fora. Sugestão: o spot mais cool do momento em Lisboa, o restaurante mexicano El Clandestino, no Príncipe Real. Fica ali mesmo ao início da Rua da Rosa, no cruzamento com a D. Pedro V, tem uma decoração incrível, a comida é muito boa e o ambiente cheio de gente gira. Podem saber mais aqui.

4. Vejam o “Making a Murderer”

making a murderer.jpg

Se ainda não começaram, comecem a ver o “Making a Murderer”, a série do momento na Netflix. É um documentário verdadeiramente impressionante sobre a história real de Steven Avery, um desgraçado que foi condenado a 18 anos de cadeia por um crime que não cometeu, acabou por ser libertado, ia receber uma indemnização milionária, mas acabou por ser novamente preso e acusado de um homicídio que também diz não ter cometido. A série, de 10 episódios, acompanha o caso do princípio ao fim, cheio de twists, histórias inacreditáveis, conversas e entrevistas gravadas e filmadas, tudo quase como se tivesse sido pensado para um documentário. É das melhores coisas que vi em televisão no último ano. Risco: podem ficar agarrados a isto e ver os dez episódios de seguida. E depois amanhã é que vão ver o que custa ir trabalhar.

5. Comecem a fazer um mealheiro para as férias

sunny beach.jpg

O Verão ainda vem longe, é, muito longe, mas começarmos a pensar no calor já ajuda a matar saudades. Podemos até fazer outra coisa: escolher um destino de sol e começar a fazer um mealheiro e a poupar para as férias. Está provado que quando começamos a poupar para um objetivo nos sentimos muito mais motivados e entusiasmados com a ideia, por isso, ao fazê-lo, vão contrariar o estado depressivo deste dia.

6. Liguem a uma pessoa de que gostem (e com quem não falam há muito tempo)

Liguem, liguem mesmo, não enviem um SMS, um what’s app, uma mensagem no chat do Facebook. Liguem, a saber dela. Só mesmo para isso. Vão ver que se vão sentir melhor, que vão fazer a outra pessoa feliz, vão sentir-se bem e mais alegres.

18 Comentários

  1. Boa tarde!

    Descobri recentemente este blogue e até agora têm-me ajudado bastante a passar os tempos mortos. O que me traz cá (à caixa de comentários) pode não ter relação directa com este post, mas depois de explicar talvez se torne mais claro.
    Para mim, uma boa maneira de superar sentimentos depressivos é, entre outras coisas, fazer compras! Não sou daquelas que passa horas e horas nos shoppings – não tenho paciência para isso, nem dinheiro -, mas confesso que de vez em quando sabe bem mimarmo-nos um bocado, dar uma vista de olhos nas lojas (online, para gente preguiçosa como eu), quem sabe descobrir alguma coisa interessante. Adiante, para o caso não estou a precisar desse tipo de terapia porque não estou deprimida nem nada, MAS!, ando à procura de carteiras para homem (para os anos do meu boy), e sinceramente não sei o que quero. Bem, sei. Quero uma carteira gira, de qualidade, que não seja um balúrdio, enfim. Só não sei onde procurar carteiras assim, porque nem sequer conheço marcas nem nada.
    Também não sei se, por acaso, já publicou algo sobre moda masculina que incluísse carteiras, tentei procurar nos posts anteriores mas entretanto distraio-me a ler e lá se vai a busca. Por isso deixo aqui o pedido!
    Do que tenho visto, o Ricardo parece-me ter bom gosto (dá para ver pelo clube de futebol eheh), por isso peço apenas que me sugira (se não for incómodo) algumas marcas – ou lojas – onde eu pudesse arranjar carteiras masculinas giras e não muito caras!

    Obrigada e prometo que o próximo comentário vai ser mais direccionado ao assunto do post! 🙂

  2. Fui há pouco tempo ao El Clandestino e adorei. A comida e claro o espaço… 🙂 Aquela instalação é brutal!
    Já as queijadas… Bom ainda darei um nova oportunidade mas não me convenceu muito a de manteiga de amendoim.

  3. Obrigado pelas dicas. 🙂 São verdadeiramente animadoras mas não sei o que é isso do dia deprimente. 🙂 Por aqui a única coisa deprimente é o facto do wind guru me ter enganado e me ter feito estender roupa lá fora. De resto, sinto- me ótima (para recomeço de dieta).

  4. Arrumadinho, confiança e ânimo é mesmo o que preciso neste momento, em que as confusões no emprego são mais que muitas e às vezes fica mesmo difícil ver a luz ao fundo do túnel. Bem haja por ter voltado!

DEIXE UMA RESPOSTA